Ex-jogador de futebol Holandês morre ao pular de penhasco; veja o vídeo

Ex-jogador de futebol, Mourad Lamrabette morreu na semana passada após pular de um penhasco de 30 metros em Maiorca, uma ilha paradisíaca da Espanha, onde passava férias com a mulher e os filhos. A informação foi publicada pelo jornal ‘A Bola’.

Segundo o jornal, o ex-atleta tentou alcançar o mar, mas não conseguiu ter impulso o suficiente e acabou se chocando com as pedras. O vídeo postado em redes sociais foi feito pela esposa do ex-jogador, que gravava o momento que deveria ser de descontração em família.

O laudo da perícia apontou que Mourad morreu por afogamento após perder a consciência com o choque de cabeça nas pedras. Ele nasceu na Holanda e jogou quase toda a carreira no Vitesse, no seu país natal.

 

Crédito: Portal R7

Adolescente espanhol é internado por 2 meses com grave vício no jogo Fortnite; caso é inédito

Um adolescente espanhol ficou internado durante dois meses em razão de um grave vício ao jogo Fortnite, caso tratado como o primeiro do mundo estudado pela literatura científica. O jovem foi hospitalizado após apresentar um distúrbio comportamental que o levou a se isolar em casa e recusar interações sociais.

Segundo a equipe médica do hospital provincial de Castellón, onde o menor deu entrada, ele exibia uma série de sintomas relacionados à dependência ao jogo de videogame, entre eles rejeição de ir aos serviços de saúde, inflexibilidade pessoal persistente e pouco interesse pelo meio à sua volta.

Os profissionais de saúde informaram ainda que o jovem desencadeou alterações no desempenho das atividades básicas diárias, teve o sono prejudicado e dificuldade de aceitar o tratamento prescrito.

Desde o início do ano letivo, a família do menor, antes com um desempenho acadêmico elevado, notou um aumento do absentismo, interrupção dos tempos de descanso e desinteresse pelos estudos, o que implicou uma mudança de turma.

O tratamento envolveu tanto o adolescente quanto a família, e os resultados mostraram uma diminuição significativa no uso de tecnologias na primeira fase após a hospitalização, que consistia em promover sua socialização de maneira supervisionada. Os médicos também observaram uma melhoria no desenvolvimento pessoal e social do paciente.

De acordo com o hospital, este é o primeiro caso de vício associado ao Fortnite estudado pela literatura científica. Especialistas que integram a pesquisa alertaram para a necessidade de prestar atenção ao comportamento de jovens que dedicam horas a videogames e afins, dada “a crescente precocidade do seu consumo”, especialmente devido à “falta de maturidade nas funções executivas e cognitivas durante a adolescência”.

A pesquisa conclui que se deve fiscalizar o uso que os menores fazem dessas tecnologias, “estabelecendo limites claros e bem definidos” e “promovendo a prática de outras fontes de satisfação”.

Crédito: extra.globo.com/