Justiça italiana inicia trâmites para pedir extradição do jogador Robinho em caso de abuso sexual em grupo

Foi registrado nesta segunda-feira (31) na Procuradoria de Milão, Itália, o pedido de execução de pena contra o jogador de futebol Robinho e seu amigo, Ricardo Falco, condenados a nove anos de prisão no último dia 19 por violência sexual em grupo.

O ato é o primeiro passo para o pedido de extradição e de um mandado simultâneo de prisão internacional que devem ser apresentados nos próximos dias. A Constituição Federal de 1988 não permite que brasileiros natos sejam extraditados, mas com o pedido internacional de prisão, a dupla pode ser detida caso realize uma viagem para fora do país. A Itália também pode solicitar ao governo brasileiro que os dois cumpram pena uma penitenciária do Brasil, mas o código penal limita a homologação de sentença estrangeira.

Conforme o jornal Corriere Della Sera, após a coleta de alguns documentos para confirmar a identidade dos dois condenados, será iniciada a fase de execução com o envio ao Ministério da Justiça do pedido de extradição, que será encaminhado às autoridades brasileiras, e a expedição do mandado.

Relembre o caso

Robinho e Falco são acusados de abusar sexualmente de uma mulher albanesa numa boate em Milão, em janeiro de 2013. A vítima, que diz que foi embriagada e que seis homens participaram do ato de violência.

A dupla brasileira afirma que a relação foi consensual. Robinho não foi a nenhuma audiência desde que o caso foi aberto, em 2016. A sentença de primeira instância foi anunciada no ano seguinte. Em outubro de 2020, o jogador chegou a ser contratado pelo Santos, mas uma série de protestos, principalmente nas redes sociais, fez com que o Peixe suspendesse e posteriormente encerrasse o acordo com o jogador. No mesmo mês, a TV Globo divulgou trechos de uma conversa de Robinho com amigos, no qual os homens debochavam da vítima.

Dois meses depois, em dezembro, a dupla também foi condenada em segunda instância, na corte de Apelação de Milão. Na época, a juíza Francesca Vitale, que presidiu o julgamento, disse que “a vítima foi humilhada e usada pelo jogador e seus amigos para satisfazer seus instintos sexuais”.

Neste mês, com a condenação na terceira e última instância, não restam mais recursos para os acusados. O processo contra os outros quatro homens envolvidos no caso está suspenso até o momento, mas pode ser reaberto com a decisão da justiça italiana.

 

 

Crédito: Jornal O Globo

Jogador de vôlei italiano que acreditava namorar Alessandra Ambrósio chorou ao saber a verdade

Parentes e amigos do jogador de vôlei italiano Roberto Cazzaniga, que foi enganado por 15 anos num golpe de falso namoro na internet, agora tentam ajudá-lo a se reerguer, tanto emocional quanto financeiramente. Isso porque a estelionatária, que usava fotos da modelo brasileira Alessandra Ambrosio, recebeu dele ao longo de todo esse tempo 700 mil euros (R$ 4,3 milhões) sob pretexto de sofrer problemas cardíacos e precisar arcar com despesas hospitalares. O atleta chegou a fazer empréstimos para ajudá-la. Diante da verdade, revelada pela emissora “Mediaset” nesta terça-feira, um amigo dele e ex-colega de time, chamado Danilo Rinaldi, criou no dia seguinte uma vaquinha online no site GoFundMe. Até o fechamento desta reportagem, já haviam sido arrecadados mais de 9 mil euros, cerca de R$ 56 mil. Além disso, Roberto recebeu uma festa de seus amigos e parentes na quadra onde joga para animá-lo.

— Roberto é uma pessoa boa e muito frágil que confiou nas pessoas erradas — afirmou Danilo ao GLOBO. — No começo, não foi fácil… depois de 15 anos. Ele estava muito triste, mas agora está aos poucos se sentindo melhor. Claro, depois de toda essa reação midiática, ele sente muita incredulidade, mas apenas precisa de mais tempo para se dar conta (do que aconteceu) e começar de novo, com uma vida nova. Criei a campanha no GoFundMe para ajudar Roberto depois dessa triste história. Ninguém vai devolvê-lo os últimos 15 anos, mas juntos podemos fazer algo para o futuro dele.

‘Me apaixonei por aquela voz’, conta Roberto

Segundo o programa de TV “Le Iene”, Roberto, cuja dívida atual com credores é de 60 mil euros (aproximadamente R$ 375 mil), se apaixonou virtualmente pelo telefone após conversar com a estelionatária, apresentada a ele por uma suposta amiga dele. No entanto, ao longo dos últimos 15 anos, o casal nunca se encontrou, pois a golpista criava desculpas para não conhecê-lo pessoalmente. Roberto contou que a voz da mulher ao telefone foi o suficiente para despertar sentimentos.

— Não, nós nunca nos conhecemos. Nunca. Ela deu mil desculpas, como doença e trabalho. E ainda assim me apaixonei por aquela voz, uma chamada após a outra. O contato era apenas no celular, quase que diariamente. Ligava antes de eu ir treinar ou à noite, na hora de dormir. Como ela me tirou todo esse dinheiro? Nem sei ao certo, mil euros aqui, outros dois mil ali… No final chegamos a um total de 700 mil. Passado este pesadelo, é como se tivesse acordado de um coma que me fez perder décadas de vida — contou ao jornal “Corriere Della Sera”.

‘Nunca tive dúvidas’

Ao ser confrontado com provas colhidas pelo jornalista Ismaele La Verede, o jogador de vôlei, que atua como oposto pelo clube New Matter, de Castellana Grotte, disse que nunca teve dúvidas sobre a identidade da falsa namorada.

— Nunca tive dúvidas. Para mim, era ela. Aquela voz me deixou à vontade e me confortou. Me pedia dinheiro com desculpas plausíveis, como quando teve que dar um presente, mas o caixa eletrônico foi bloqueado. Mas era impossível vê-la devido às suas constantes viagens de negócios e uma grave doença cardíaca. Ela me dizia que ficava hospitalizada com frequência — disse Roberto.

A reação de sua família e amigos, contudo, foi diferente. Preocupados com a situação de Roberto, eles levaram a história dele ao canal italiano, que foi atrás das envolvidas no golpe, Manuela Passero, a suposta amiga, e Valeria Satto, que se identificava como “Maya”, mas com o rosto de Ambrosio. No início, porém, os companheiros do time New Matter faziam piadas sobre a Maya de quem ele falava tanto, mas ninguém conhecia. A insistência em pedir dinheiro, porém, ligou um alerta depois de tantos anos. Quando citavam que o colega poderia ser vítima de um golpe, Roberto negava e trocava de assunto. Foi aí que familiares e amigos decidiram se juntar para fazer uma denúncia e dar início às investigações.

‘Amiga’ que apresentou golpista corre de repórter na rua

Procurada pelo “Le Iene”, Manuela negou que conhecesse o jogador e chegou a correr do cinegrafista. O repórter então mostrou à vítima a declaração da “amiga”, deixando-o abalado. Já Valeria, moradora da Sardenha, uma ilha italiana no Mediterrâneo, também tentou se esquivar dos questionamentos do programa televisivo. A reportagem indagou por que ela recebia o dinheiro de Roberto, ao que a acusada, de 50 anos, respondeu: “Enfim, seja o que for que eu fale, acho que você não acredita em mim”.

 

Crédito: oglobo.globo.com

Jogador de Vôlei italiano cai em golpe e acreditava que namorava a modelo brasileira Alessandra Ambrósio há 15 anos

Um jogador de vôlei italiano ficou 15 anos acreditando que namorava à distância a modelo brasileira Alessandra Ambrósio, após ter conhecido uma pessoa pela internet que usava fotos dela, mas se apresentava como Maya. As informações são do jornal O Globo.

O caso foi revelado na terça-feira (23), por um programa de TV que, a pedido da família do jogador Roberto Cazzaniga reuniu provas de que ele havia caído em um golpe.

Nesse período, Cazzaniga chegou a entregar um total de 700 mil euros (R$ 4,3 milhões) para a golpista, que pedia ao jogador uma ajuda financeira alegando que seria para pagar pelo tratamento de supostos problemas cardíacos.

Segundo o jornal “Il Fato Quotidiano”, o jogador chegou a fazer empréstimos para enviar dinheiro para a estelionatária.

De acordo com a imprensa italiana, uma suposta amiga de Cazzaniga teria participado do golpe, tendo sido a pessoa que apresentou os dois. Ainda segundo O Globo, a golpista foi identificada pela mídia local somente como Valeria.

Cazzaniga procurou a polícia para prestar queija e Valéria, negou que tenha participado do golpe, dizendo apenas ser uma amiga de “Maya”. O caso será investigado.

 

 

Crédito: istoe.com.br

Fazendeiro na Itália colhe abóbora de 1,2 tonelada e bate recorde mundial

O fazendeiro italiano Stefano Cutrupi bateu o recorde mundial da abóbora mais pesada do mundo com a colheita de um fruto com 1,2 tonelada – peso maior do que um carro compacto.

Sua abóbora foi apresentada em um festival na cidade de Peccioli, próximo à Pisa, em 26 de setembro. Na última quinta-feira (28), o Guiness World Records reconheceu a marca.

O fazendeiro contou ao site do Guiness que ficou nervoso na hora da pesagem, já que vinha cultivando abóboras gigantes desde 2008.

“Na hora da pesagem, eu estava de costas para a tela. Quando meus amigos e o público viram o peso, eles me levaram para a comemoração. Naquele momento, eu sabia que tinha conseguido. Gritei até perder minha voz“, disse.

Além de ter conseguido a marca história, o fazendeiro dominou o evento e ficou com os 2º e 3º lugares da competição com outras duas abóboras que pesavam 978.99 kg e 794.51 kg.

Stefano disse que precisou superar o desafio do clima na Itália para realizar o feito – a região da Sicília, onde ele realizou o cultivo, registrou temperaturas que chegaram a 48.8°C em agosto passado.

“O controle climático é um fator essencial desde a germinação até a colheita. Para permitir que as plantas se expressem no seu melhor, é uma questão de aquecimento, resfriamento, sombreamento, nebulização, irrigação quando necessário”, disse ao Guiness.

O fazendeiro disse que “não há segredos” para cultivar as abóboras gigantes.

“Como em qualquer outro campo, trata-se de perseguir a meta com método e perseverança”, completou.

Fonte: g1

Foi removido o carro que ficou estacionado no mesmo lugar desde 1974 na Itália

Um carro que estava estacionado desde 1974 em uma rua da cidade de Conegliano, na Itália, foi removido da via no dia 20 de outubro, segundo o jornal “Corriere del Veneto”.

O carro ficou estacionado durante décadas no mesmo local, em frente a uma banca de jornais.

O veículo, um Lancia Fulvia, ficou famoso em redes sociais depois que os italianos o elegeram um dos “monumentos” da cidade de Conegliano.

Em tom de piada, dizia-se que o carro deveria ser decretado como patrimônio da humanidade e a herança dos avós de Conegliano.

O governador da região é da cidade e afirmou que viu o carro parado lá desde que ia para a escola.

Segundo a rede RAI, o dono do carro é Angelo Fregolent, um senhor de 94 que trabalhou como mecânico da Fiat e foi jornaleiro. Ele disse que quando ele abriu a banca, ele usava o espaço interior do carro para guardar temporariamente alguns jornais, antes de levá-los para dentro.

O imposto de circulação era pago anualmente, apesar do carro não circular.

Carro ficou famoso e será exibido

O Lancia Fulvia ficou conhecido por causa das reportagens da mídia italiana e, então, resolveram tirá-lo de lá.

Ele foi levado para uma exposição na cidade de Pádua, uma das maiores da região. Depois da exibição, o carro será levado a Vicenza, onde será restaurado.

Depois disso, o carro vai voltar a Conegliano, e ficará exposto perto da casa de Angelo Fregolent.

Crédito: https://g1.globo.com/