A Polícia vai investigar a participação do MC Poze em um baile funk em Niterói

A Polícia Civil vai investigar a participação do MC Poze em um baile funk em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, na sexta-feira (26).

O show aconteceu na na Vila Ipiranga e imagens mostram uma uma grande aglomeração de pessoas, em plena pandemia, que se estendeu até a manhã de sábado (27). Ainda há denúncias sobre a presença de homens armados, que também serão investigadas pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD).

Em nota, a defesa de MC Poze afirmou que ainda não foi notificada sobre a abertura de uma nova investigação contra o artista.

Sua advogada, Silvia Martins, alega que o MC ficou por meses sem poder trabalhar:

“No atual cenário , diante da flexibilização, ele está retomando aos poucos , e tomando os devidos cuidados . Lembrando que não inclui cantar de máscara , pois não seria viável , por motivos óbvios”, afirmou a advogada.

Em 2019, Marlon Brendo Coelho Couto Silva, de 20 anos, foi preso no Mato Grosso por apologia ao crime. A polícia afirma que o MC e outros três suspeitos foram presos por tráfico de drogas, incitação ao crime e corrupção de menores. Segundo a polícia, o evento foi organizado por organização criminosa.

Marlon Brendo Coelho Couto Silva, de 20 anos, conhecido como MC Poze do Rodo, do Rio de Janeiro, foi preso por apologia ao crime em MT — Foto: Twitter/Reprodução
Marlon Brendo Coelho Couto Silva, de 20 anos, conhecido como MC Poze do Rodo, do Rio de Janeiro, foi preso por apologia ao crime em MT — Foto: Twitter/Reprodução

Em julho de 2020, Poze chegou a ser considerado foragido por associação para o tráfico e a Justiça pediu sua prisão preventiva. No dia 14, no entanto, a prisão preventiva foi revogada, e o MC celebrou:

“Deu tudo certo. Obrigado papai do céu. Estou livre. A Favela venceu. Quem sorriu na minha ida pode sustentar”, disse MC Poze.