Paquistão aprova lei para castrar quimicamente condenados por abuso sexual

O Parlamento do Paquistão aprovou uma lei na quarta-feira (17) que prevê que as pessoas condenadas mais de uma vez por abuso sexual podem ser condenadas a serem castradas quimicamente.

O texto determina que o governo paquistanês deve criar cortes especiais no país inteiro para acelerar os julgamentos de acusados de crimes sexuais e garantir que os casos sejam decididos em até quatro meses.

Os condenados por estupro em grupo podem enfrentar sentenças de pena perpétua ou execução.

“A castração química é um processo devidamente notificado por normas instituídas pelo primeiro-ministro, pelo qual a pessoa fica impossibilitada de praticar relações sexuais por qualquer período de sua vida, será determinado pelo tribunal e vai ocorrer por meio da administração de drogas, que será realizada por meio de um quadro de profissionais médicos”, diz o texto.

Durante a sessão, o senador Mushtaq Ahmed rejeitou o projeto de lei, que seria “anti-islâmico e contra a Sharia” (código de leis do Islã). Ele propôs enforcar publicamente os estupradores, em vez de castrá-los quimicamente.

Crédito: g1.globo.com

Acidente de trem deixa pelo menos 36 mortos no Paquistão

Um trem do Paquistão colidiu com vagões descarrilados de outra composição nesta segunda-feira (7), matando ao menos 36 pessoas, disseram autoridades de governo. O acidente mostra o estado ameaçador de um sistema ferroviário de mais de 165 anos de idade.

O número de mortos provavelmente aumentará, já que agentes de resgate estavam com dificuldade para alcançar pessoas aprisionadas em vários compartimentos esmagados e espalhados pelos trilhos em Sindh, província do sul do país.

Um porta-voz da Pakistan Railways disse que ao menos 33 corpos foram levados a hospitais, entre eles os de duas autoridades ferroviárias. Mais de 100 pessoas ficaram feridas, afirmou à Reuters.

O policial Umar Tufail disse que o número subiu para 36 pessoas e que seus homens conseguiam ver mais quatro corpos presos nos destroços. “Ainda não conseguimos retirá-los, mas uma operação está em andamento para isso”, informou aos repórteres no local. “Salvamos mais três pessoas; elas estão feridas”, acrescentou.

Um passageiro ferido, que estava no trem que descarrilou, contou como uma calamidade levou à outra. “Nós nos sentimos atirados para longe”, disse ele, com a cabeça enfaixada, a um repórter de televisão no hospital, ao falar do descarrilamento inicial do trem em que viajava. “Depois, um segundo trem atingiu o nosso, o que causou mais danos.”

O porta-voz da Pakistan Railways disse ainda que vários vagões do primeiro trem tombaram nos trilhos adjacentes, após o descarrilamento no distrito de Ghotki. Em seguida, o segundo trem, que vinha na direção oposta, se chocou com eles, acrescentou.

“O condutor tentou acionar os freios de emergência, mas a locomotiva atingiu os vagões espalhados”, disse a Pakistan Railways em um relatório inicial.

“A linha tem problemas em vários pontos, os vagões são antigos, alguns têm até 40 anos”, afirmou a autoridade ferroviária Khalid Latif à Geo News TV. “Eu disse a chefões várias vezes: ‘Por favor, façam algo a respeito disso'”.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, escreveu no Twitter que está chocado com o acidente “horroroso” e que está determinando uma investigação abrangente sobre a segurança ferroviária.