Ambev anuncia aumento no preço da cerveja a partir de outubro

A Ambev, proprietária das marcas Skol, Brahma, Antarctica, Bohemia e Stella Artois, anunciou ontem (28) à noite o aumento do preço das cervejas. A empresa fez o anúncio através de comunicado enviada a clientes e distribuidores e afirmou que o reajuste vai seguir a variação da inflação, dos custos, câmbio e carga tributária.

De acordo com a Ambev, o reajuste pode variar entre regiões, marcas, embalagens e segmentos. A cervejaria diz que “reforçamos o nosso compromisso com a competitividade das nossas marcas no mercado, visando sempre a boa performance do volume de vendas da indústria”.

A Ambev ainda não informou qual será a faixa de reajustes. No entanto, segundo o site Metrópoles, em São Paulo, donos de bares e restaurantes já estão planejando aumento de 5% a 6% no valor de cervejas e chopp a partir de outubro.

A Ambev, que concentra 60% de participação de mercado no Brasil, não informou qual será a faixa de reajustes. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), o aumento de preços deve ser alinhado com a inflação acumulada nos últimos 12 meses, ou seja, em torno de 10%.

“Reforçamos o nosso compromisso com a competitividade das nossas marcas no mercado, visando sempre a boa performance do volume de vendas da indústria”, diz a Ambev no comunicado.

 

Fonte: A Tribuna

Petrobrás anuncia preço da gasolina

A Petrobras informou na última segunda-feira (29) que o preço médio do litro gasolina nas refinarias vai subir 3,5%, para R$ 2,045, a partir desta terça-feira (30). É o maior patamar desde 23 de outubro do ano passado (R$ 2,0639). O preço do litro do diesel segue estável em R$ 2,2470.

O preço médio da gasolina não mudava desde 23 de abril. A Petrobras reduziu a frequência de reajustes na gasolina. Para evitar perdas, tem utilizado mecanismo de proteção financeira (conhecido como hedge)que permite aumentar os intervalos de reajustes nos preços da gasolina nas refinarias em até 15 dias.

O repasse do reajuste ao consumidor final, nos postos, irá depender de uma série de variáveis, como a margem de revendedores e distribuidores, de impostos e da mistura obrigatória de biocombustível.

Neste mês, a estatal anunciou uma mudança na divulgação dos seus preços de combustíveis. A Petrobras decidiu passar a publicar em seu site os valores dos combustíveis em todos os seus pontos de venda, e não mais a média como fazia anteriormente.

Segundo a Petrobras, a mudança na publicação dos preços atende a pedidos do mercado e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que se queixavam de que a média nacional não dava a transparência necessária sobre como a petroleira estava atuando em seus pontos de venda.

Na sexta-feira (26), a companhia informou que vai vender oito refinarias das suas 13 refinarias.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse que pretende arrecadar cerca de US$ 15 bilhões com a venda das refinarias. Juntas, elas têm capacidade de refino de 1,1 milhão de barris por dia. O processo de venda deve ser concluído em até um ano e meio.