Prefeitura do Rio vai distribuir 8 milhões de absorventes para alunas

A prefeitura do Rio de Janeiro lançou hoje (13) o Livres para Estudar, programa que vai distribuir 8 milhões de absorventes por ano para estudantes da rede municipal para ajudar a combater a evasão escolar. A expectativa é que a iniciativa alcance cerca de 100 mil alunas. O investimento será de R$ 14 milhões por ano.

A distribuição começará a ser feita a partir da próxima segunda-feira (18), quando terá início a nova fase do ensino presencial, em que 100% dos alunos poderão ir todos os dias para a escola.

O programa visa a diminuir o índice de evasão entre as alunas do Ensino Fundamental 2 que têm, em média, entre 11 e 14 anos. Segundo a prefeitura, uma entre cada quatro jovens já faltou às aulas por não ter absorventes. Cerca de 43 mil alunas cariocas já deixaram de ir para a escola devido à pobreza menstrual.

Durante o lançamento do programa na Escola Municipal Vicente Licinio Cardoso, na Praça Mauá, na região central da cidade, o prefeito Eduardo Paes disse que a escola é o espaço em que o Poder Público alcança as pessoas que mais precisam.

“Temos que superar esses tabus, menstruação é algo normal, acontece com todas as mulheres. Defendemos a dignidade de gênero, temos que preservar e proteger as nossas meninas, esse é o objetivo da prefeitura. Vamos distribuir absorventes para todas as nossas meninas do segundo segmento da rede pública municipal, que é a maior da América Latina. Que alegria poder colocar o Rio, mais uma vez, na vanguarda”, disse.

O projeto conta com a parceria do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, da Comissão da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e dos grupos Girl Up e Elas na Escola.

“Não pode ser normal que uma menina deixe de ir pra escola simplesmente por não conseguir comprar um absorvente. O que estamos fazendo aqui é dar o mínimo, dar dignidade para nossas alunas estudarem decentemente e não largarem a escola”, afirmou o secretário de Educação, Renan Ferreirinha.

 

Fonte: Agência Brasil

Depois da polêmica, Prefeitura do Rio e Flamengo vão se reunir para discutir liberação de público no Maracanã

Representantes da Prefeitura do Rio e do Flamengo vão se reunir nesta sexta-feira (10) para discutir a liberação da presença de público no Maracanã. A informação é do prefeito do Rio. Após ter tomado a segunda dose da vacina contra a Covid-19 nesta quinta (9), Eduardo Paes falou sobre a decisão que permitiu o retorno gradual de torcedores ao estádio em jogos do Rubro-Negro.

Segundo ele, a ação foi tomada após um pedido feito pelo clube, baseado em exigências de um decreto da Prefeitura, ter sido analisado pela Secretaria Municipal de Saúde. Para Paes, uma das maiores preocupações é a área externa do Maracanã.

Ainda de acordo com Eduardo Paes, nenhum outro clube entrou em contato para pedir a permissão de público em estádios localizados na capital fluminense.

Apesar da autorização da Prefeitura, a Confederação Brasileira de Futebol e as outras 19 equipes que disputam o Campeonato Brasileiro decidiram manter a proibição da presença de torcedores durante o torneio. O Rubro-Negro não participou da reunião.

Os clubes também informaram que vão pedir ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva que reconsidere ou reforme a decisão liminar que autorizou o Flamengo a contar torcida em jogos como mandante.

 

Crédito: bandnewsfmrio.com.br

Prefeitura do Rio vacina hoje mulheres de 49 anos gestantes e puérperas

Seguindo o calendário de vacinação contra a covid-19, a cidade do município do Rio de Janeiro vacina hoje (21) as mulheres de 49 anos com a primeira dose do imunizante. Amanhã, será a vez dos homens com esta idade e, na quarta-feira, todas as pessoas de 49 ou mais que tenham perdido o seu dia de tomar a primeira dose. 

Na quinta-feira (24) podem comparecer aos postos de vacinação as mulheres de 48 anos, na sexta-feira é a vez dos homens e no sábado haverá a repescagem para pessoas a partir dessa idade.

Também esta semana, o calendário prevê a vacinação das grávidas e das mulheres que tiveram filhos há pouco tempo. Independente da idade, elas poderão ser imunizadas em qualquer dia da semana. Esta fase do Programa Nacional de Imunização (PNI) abrange as grávidas e puérperas sem comorbidades para a covid-19. Elas receberão a vacina da Pfizer ou a CoronaVac, já que o Ministério da Saúde suspendeu a aplicação da AstraZeneca/Fiocruz neste grupo.

Na quarta-feira (23) também ocorre a repescagem para os profissionais da educação que não conseguiram ser imunizados nas semanas anteriores. Na próxima semana, dias 28, 29 e 30 de junho, serão vacinadas pessoas com 47 anos. Em julho, serão contemplados quem tem entre 46 e 38 anos e, em agosto, entre 37 e 18 anos, sempre respeitando o escalonamento por idade e sexo.

Setembro começa com meninas de 17 anos no dia 1º e meninos de 17 anos no dia 2, seguindo até o dia 15, quando ocorre a repescagem para todos os adolescentes a partir de 12 anos. Os adolescentes foram incluídos no calendário após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar a vacina da Pfizer para crianças com 12 anos de idade ou mais.

O calendário de vacinação contra a covid-19, divulgado pela prefeitura do Rio de Janeiro, foi elaborado de acordo com a previsão de entrega das doses do imunizante pelo Ministério da Saúde.

Prefeitura do Rio quer vacinar 90% da população adulta do município até o fim de outubro

A Prefeitura do Rio espera vacinar 90% da população adulta do município até o fim de outubro, segundo o calendário de imunização divulgado esta semana. “Chegando a essas condições, vamos ter réveillon e carnaval”, afirmou o prefeito Eduardo Paes, em coletiva nesta sexta-feira (14).

Na quarta (12), Paes compartilhou o cronograma da aplicação da primeira dose para o público em geral. A previsão é vacinar, até o fim de maio, todas as pessoas com comorbidades — para, então, iniciar o atendimento a qualquer um com menos de 60 anos.

Serão três dias para cada idade, chegando a 18 anos em 23 de outubro.

“A boa notícia, se eu pudesse definir em uma frase, é que vamos ter carnaval. Chegando nestas condições, a gente pode ter réveillon, pode ter carnaval, as pessoas podem voltar a se abraçar”, afirmou o prefeito.

“Não custa lembrar que isso tudo depende da chegada do imunizante. A gente tem tido nos últimos tempos uma estabilidade na entrega da vacina, principalmente da AstraZeneca”, pontuou Paes.

Paes citou a diretriz dos EUA da dispensa de máscara para vacinados: quem tomou todas as doses não precisa mais usar máscaras na maioria dos ambientes.

“Ontem eu vi na a repórter em Washington tirando a máscara. Vamos poder olhar para a cara dos outros sem máscara. Este é o objetivo a que a gente quer chegar. A gente precisa, quando olha para o futuro, ter o mínimo de previsibilidade. Qual o nosso tempo? Qual a nossa expectativa? Como a gente constrói coesão social para que a gente possa superar esta fase difícil? Acho que este calendário divulgado esta semana permite isso”, explicou.

Decreto vai liberar eventos

O prefeito antecipou que nos próximos dias vai editar um decreto flexibilizando ainda mais as regras contra a Covid.

“Falta acertar detalhes, mas muito provavelmente na segunda-feira (17) devemos publicar um decreto com a volta de eventos — com uma série de protocolos”, disse.

Paes citou os shows-teste “com todas as pessoas testadas no dia e ‘retestadas’ um período depois”. “Um conjunto de regras, neste primeiro momento, que a gente não espera que fique por tanto tempo”, explicou.

“O decreto deve estabelecer parâmetros bem claros para que algumas atividades possam voltar com segurança”, destacou.

“À medida que a gente vai aumentando a imunização e os números vão melhorando a gente pode ir flexibilizando”, continuou.

 

Rio poderia vacinar mais

 

Paes também disse que a prefeitura está vacinando menos do que gostaria, em razão da restrição dos grupos prioritários, determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“A gente vacina menos do que a gente teria capacidade em razão desta regra das prioridades”, afirmou.

Há uma semana, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) suspendeu a vacinação para os profissionais de educação, segurança pública, motoristas e cobradores de ônibus, transporte escolar e serviços de limpeza urbana.

A prefeitura então atendia a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a ordem de vacinação de grupos prioritários.

Paes acrescentou que continua defendendo que professores deveriam se vacinar antes.

“Lamentamos não estarem neste grupo também os profissionais de educação. Vamos fazer este esforço para programar e acelerar essa vacinação para eles. Nossas crianças têm que voltar de vez para as aulas”, ponderou.

 

Fonte: g1.globo.com

Prefeitura do Rio interrompe vacinação contra covid-19

prefeito do Rio, Eduardo Paes, anunciou que o calendário de vacinação contra a covid-19 será interrompido. Nesta segunda-feira serão vacinados quem tem 84 anos e amanhã (terça-feira) os de 83 anos, com a interrupção iniciando na quarta-feira. A paralisação, que já era anunciada que poderia ocorrer, acontece pela falta de imunizantes.

“Recebi a notícia de que não chegaram novas doses. Teremos que interromper amanhã nossa campanha. Hoje vacinamos pessoas de 84 anos e amanhã de 83. Estamos prontos e já vacinamos 244.852 pessoas. Só precisamos que a vacina chegue. Nova leva deve chegar do Butantan na próxima semana”, disse Paes, em rede social. Mesmo no feriadão de Carnaval, os postos ficam abertos nestas segunda e terça-feira.

Com a nova leva de doses de Coronavac do Instituto Butantan chegando, a expectativa é que a imunização de pessoas com 82 anos seja retomada na próxima segunda-feira, dia 22 de fevereiro. O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, garantiu que há doses para a vacinação para quem tem 84 e 83 anos, que ocorrem hoje e amanhã.

“A previsão do Instituto Butantan é que semana que vem já enviem doses. E aí retomarmos o calendário”, falou, em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo. Ele também afirmou que o calendário para quem vai receber a segunda dose está mantido. “Infelizmente, a gente vai ter que interromper o calendário, voltar para o calendário original, porque a gente antecipou uma semana o calendário no Rio”, afirmou o secretário.

O calendário de vacinação contra a covid-19 no município do Rio havia sido antecipado no dia 2 de fevereiro. A previsão era que todos os idosos acima de 75 anos fossem imunizados no mês de fevereiro e os maiores de 60, em março. Apesar da interrupção, o município continua com o plano de vacinar todos os idosos com mais de 60 anos até o fim de março, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. A prefeitura também já havia anunciado a intenção de vacinar as pessoas com comorbidades em abril.

Segunda dose confirmada

Quem tomou a primeira dose da vacina no Rio não precisa se preocupar, pois a segunda dose está reservada. É o que garantiu o secretário Daniel Soranz.

“A segunda dose está reservada, a gente já começa na segunda-feira a aplicar a segunda dose em alguns institutos de longa permanência de idosos. Profissionais de saúde que tomaram a primeira dose no dia 20 de janeiro, também terão a aplicação desta dose amanhã, 16 de fevereiro. Vamos aproveitar o feriado de carnaval para poder aplicar a dose”, informou o secretário.

 

Fonte: odia.ig.com.br