Prefeitura do Rio quer vacinar 90% da população adulta do município até o fim de outubro

A Prefeitura do Rio espera vacinar 90% da população adulta do município até o fim de outubro, segundo o calendário de imunização divulgado esta semana. “Chegando a essas condições, vamos ter réveillon e carnaval”, afirmou o prefeito Eduardo Paes, em coletiva nesta sexta-feira (14).

Na quarta (12), Paes compartilhou o cronograma da aplicação da primeira dose para o público em geral. A previsão é vacinar, até o fim de maio, todas as pessoas com comorbidades — para, então, iniciar o atendimento a qualquer um com menos de 60 anos.

Serão três dias para cada idade, chegando a 18 anos em 23 de outubro.

“A boa notícia, se eu pudesse definir em uma frase, é que vamos ter carnaval. Chegando nestas condições, a gente pode ter réveillon, pode ter carnaval, as pessoas podem voltar a se abraçar”, afirmou o prefeito.

“Não custa lembrar que isso tudo depende da chegada do imunizante. A gente tem tido nos últimos tempos uma estabilidade na entrega da vacina, principalmente da AstraZeneca”, pontuou Paes.

Paes citou a diretriz dos EUA da dispensa de máscara para vacinados: quem tomou todas as doses não precisa mais usar máscaras na maioria dos ambientes.

“Ontem eu vi na a repórter em Washington tirando a máscara. Vamos poder olhar para a cara dos outros sem máscara. Este é o objetivo a que a gente quer chegar. A gente precisa, quando olha para o futuro, ter o mínimo de previsibilidade. Qual o nosso tempo? Qual a nossa expectativa? Como a gente constrói coesão social para que a gente possa superar esta fase difícil? Acho que este calendário divulgado esta semana permite isso”, explicou.

Decreto vai liberar eventos

O prefeito antecipou que nos próximos dias vai editar um decreto flexibilizando ainda mais as regras contra a Covid.

“Falta acertar detalhes, mas muito provavelmente na segunda-feira (17) devemos publicar um decreto com a volta de eventos — com uma série de protocolos”, disse.

Paes citou os shows-teste “com todas as pessoas testadas no dia e ‘retestadas’ um período depois”. “Um conjunto de regras, neste primeiro momento, que a gente não espera que fique por tanto tempo”, explicou.

“O decreto deve estabelecer parâmetros bem claros para que algumas atividades possam voltar com segurança”, destacou.

“À medida que a gente vai aumentando a imunização e os números vão melhorando a gente pode ir flexibilizando”, continuou.

 

Rio poderia vacinar mais

 

Paes também disse que a prefeitura está vacinando menos do que gostaria, em razão da restrição dos grupos prioritários, determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“A gente vacina menos do que a gente teria capacidade em razão desta regra das prioridades”, afirmou.

Há uma semana, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) suspendeu a vacinação para os profissionais de educação, segurança pública, motoristas e cobradores de ônibus, transporte escolar e serviços de limpeza urbana.

A prefeitura então atendia a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a ordem de vacinação de grupos prioritários.

Paes acrescentou que continua defendendo que professores deveriam se vacinar antes.

“Lamentamos não estarem neste grupo também os profissionais de educação. Vamos fazer este esforço para programar e acelerar essa vacinação para eles. Nossas crianças têm que voltar de vez para as aulas”, ponderou.

 

Fonte: g1.globo.com

Prefeitura do Rio interrompe vacinação contra covid-19

prefeito do Rio, Eduardo Paes, anunciou que o calendário de vacinação contra a covid-19 será interrompido. Nesta segunda-feira serão vacinados quem tem 84 anos e amanhã (terça-feira) os de 83 anos, com a interrupção iniciando na quarta-feira. A paralisação, que já era anunciada que poderia ocorrer, acontece pela falta de imunizantes.

“Recebi a notícia de que não chegaram novas doses. Teremos que interromper amanhã nossa campanha. Hoje vacinamos pessoas de 84 anos e amanhã de 83. Estamos prontos e já vacinamos 244.852 pessoas. Só precisamos que a vacina chegue. Nova leva deve chegar do Butantan na próxima semana”, disse Paes, em rede social. Mesmo no feriadão de Carnaval, os postos ficam abertos nestas segunda e terça-feira.

Com a nova leva de doses de Coronavac do Instituto Butantan chegando, a expectativa é que a imunização de pessoas com 82 anos seja retomada na próxima segunda-feira, dia 22 de fevereiro. O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, garantiu que há doses para a vacinação para quem tem 84 e 83 anos, que ocorrem hoje e amanhã.

“A previsão do Instituto Butantan é que semana que vem já enviem doses. E aí retomarmos o calendário”, falou, em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo. Ele também afirmou que o calendário para quem vai receber a segunda dose está mantido. “Infelizmente, a gente vai ter que interromper o calendário, voltar para o calendário original, porque a gente antecipou uma semana o calendário no Rio”, afirmou o secretário.

O calendário de vacinação contra a covid-19 no município do Rio havia sido antecipado no dia 2 de fevereiro. A previsão era que todos os idosos acima de 75 anos fossem imunizados no mês de fevereiro e os maiores de 60, em março. Apesar da interrupção, o município continua com o plano de vacinar todos os idosos com mais de 60 anos até o fim de março, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. A prefeitura também já havia anunciado a intenção de vacinar as pessoas com comorbidades em abril.

Segunda dose confirmada

Quem tomou a primeira dose da vacina no Rio não precisa se preocupar, pois a segunda dose está reservada. É o que garantiu o secretário Daniel Soranz.

“A segunda dose está reservada, a gente já começa na segunda-feira a aplicar a segunda dose em alguns institutos de longa permanência de idosos. Profissionais de saúde que tomaram a primeira dose no dia 20 de janeiro, também terão a aplicação desta dose amanhã, 16 de fevereiro. Vamos aproveitar o feriado de carnaval para poder aplicar a dose”, informou o secretário.

 

Fonte: odia.ig.com.br

Um corpo é encontrado na sede da Prefeitura do Rio

Um corpo foi encontrado, nesta terça-feira (09), no prédio anexo do Centro Administrativo São Sebastião, a principal sede da Prefeitura do Rio.

Inicialmente, as autoridades imaginaram que se tratava de um caso de suicídio, pois a cena do crime contava com uma forca.

Mas, por causa da quantidade de sangue no local e de algumas lesões no cadáver, surgiu a desconfiança de que estivessem diante de um assassinato.

A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) foi acionada.

 

Fonte: extra.com

Secretario de Educação da prefeitura do Rio ira divulgar um plano para retorno seguro das aulas no mês de Janeiro

O secretário municipal de educação, Renan Ferreirinha, afirmou na manhã desta quinta-feira, que em meados de janeiro irá divulgar o protocolo sanitário para um “retorno seguro” de volta às aulas, após a aprovação do Comitê Científico de Enfrentamento ao Covid-19. O calendário da rede municipal já havia sido definido, com início no dia 8 de fevereiro, com aulas de forma presencial ou virtual, e término no dia 17 de dezembro. “O que foi publicado é uma resolução do calendário letivo, que permite tanto aulas na modalidade remota ou presencial. Estamos fazendo escutas com a comunidade escolar”.

“Existem aspectos muito importantes nesse momento, que são os aspectos educacionais, que ficaram muito prejudicados com a interrupção das aulas, o déficit de aprendizagem. O aspecto socioemocionais, tanto dos nossos estudantes quanto dos nossos profissionais de educação. Alimentação escolar, que foi interrompida, e mesmo com soluções paliativas, não substitui o caráter nutritivo de uma de uma escola. Mais de 1 milhão de refeições são preparadas e servidas em nossas escolas, isso impacta o desenvolvimento cognitivo das nossas crianças. Por último, o protocolo sanitário e de saúde, para que a gente possa ter um retorno seguro, e isso está sendo feito junto a nossa Secretaria de Saúde, e será validado pelo comitê de especialistas em enfrentamento ao covid-19 em meados de janeiro, para que a gente tenha uma volta segura para todas”, afirmou o secretário em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo.

Ferreirinha ainda afirmou que o plano de volta às aulas, feito em conjunto com a Secretaria de Saúde, analisa todas as unidades escolares que existem na cidade e leva em consideração todos os ambientes da escola: sala de aula, refeitório. “Nós estamos fazendo um levantamento das 1543 unidades, escolas, creches, EDIs, que nós temos na cidade, para entender o problema de cada uma e assim adereçar uma solução”.

“Esse protocolo diz, por exemplo, qual o distanciamento ideal entre carteiras quando o aluno está com máscara, quando o aluno está sem máscara. Quantas pessoas podem estar em uma sala de aula baseada na quantidade de janelas e ar-condicionado. Como o refeitório deve funcionar. O recreio, que é o momento mais difícil que nós temos nesse período de retorno, principalmente para os menores”, afirmou.

Comitê científico avalia volta às aulas presenciais

O prefeito Eduardo Paes afirmou, nesta quarta-feira, que a volta às aulas presenciais ainda está sendo avaliada pelo comitê científico da prefeitura. As atividades, de forma presencial ou virtual, começará em 8 de fevereiro e terminará em 17 de dezembro.

“Um conselho de especialistas vai definir de maneira adequada como será essa retomada das aulas. Mas defendo, de maneira muito forte, que não parece compreensível termos shoppings e praias abertas e termos escolas fechadas. As nossas crianças já sofreram demais. Obviamente vou respeitar aquilo que os especialistas disserem. Mas vamos trabalhar para as crianças voltarem a estudar (presencialmente) com todas as regras. Adoraria ter um posicionamento de como será o esquema. Mas ainda não temos”, afirmou o prefeito.

 

Fonte: odia.ig.com.br

 

Prefeitura do Rio está reavaliando o planejamento do Réveillon de 2021

Após o aumento dos casos da covid-19 na cidade a prefeitura do Rio reavalia o Réveillon 2021. A programação aprovada antes da segunda escalada da doença prevê a realização da festa em seis palcos instalados em locais privados e sem acesso ao público, apenas com transmissão pela televisão e internet. A princípio, os locais que poderão sediar o evento são: Cidade das Artes, Forte de Copacabana, Morro da Urca, Cristo Redentor, Forte do Leme e Sambódromo. Segundo a Riotur, os próximos dias e o comportamento da curva serão decisivos para as autoridades baterem o martelo sobre o modelo da celebração.

A prefeitura diz que não há previsão de ser montado um esquema especial de trânsito, transporte e contenção de aglomerações, porque não haverá presença de público nesses locais.

“Esses grandes planejamentos, essas mudanças e interferências na vida da cidade não aconteceria, porque não há a necessidade de bloquear esse ou aquele acesso na medida em que o público não faz parte desse projeto. Mesmo assim, nos últimos dias está entregue ao gabinete científico, porque esse modelo foi aprovado por eles lá atrás quando o cenário era outro, para ver se ainda sim esse projeto é viável hoje. Mesmo sem público, são seis palcos e várias pessoas envolvidas. Então, isso tudo está sendo reavaliado pelo pessoal da Saúde”, explicou a assessoria da Riotur.

Por se tratar da data de Réveillon, algumas ações poderão acontecer por parte de quem administra o funcionamento da cidade, independentemente do evento que a Riotur está promovendo junto com a SRCOM, empresa organizadora eleita pela Prefeitura do Rio para realizar a festa. De acordo com as concessionárias, o esquema do transporte neste ano dependerá do que será permitido ou proibido em relação a eventos públicos.

A Riotur faz questão que todos acompanhem o Réveillon Rio 2021 de suas casas, com segurança e sem aglomeração. A festa será transmitida pela televisão aberta e fechada, além do canal oficial da Riotur no Youtube.

Os artistas escolhidos para comandar a noite da virada ainda é um mistério, mas de acordo com eles, a maioria das apresentações serão previamente gravadas. “Apenas um local desses ancoraria shows ao vivo”, destacou a Riotur, entregando que o palco escolhido poderá ser o do Forte de Copacabana.

A proposta é fazer uma grande festa sem aglomeração e com homenagem às vítimas do novo coronavírus, aos familiares que perderam entes queridos para a doença e àqueles que estão na linha de frente da pandemia. Conforme o presidente da Riotur, Fabrício Carvalho, já havia adiantado ao DIA, a contagem regressiva será feita com luzes no céu e efeitos visuais inéditos no país, além de uma surpresa emocionante, que só será conhecida na noite da virada e todos poderão ver de suas casas.

Turismo

As reservas para o Réveillon no Rio estão dez pontos percentuais abaixo do registrado no mesmo período do ano passado (68%). Segundo o Sindicato dos Meios de Hospedagens do Município do Rio de Janeiro (Hotéis Rio), cerca de 58% dos quartos de hotéis já estão ocupados.

Para o presidente do Hotéis Rio e conselheiro da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), Alfredo Lopes, os hotéis estão preparados e seguem rígidos protocolos de prevenção da Covid-19, preparando festas privativas para oferecer um ambiente festivo e seguro aos turistas que buscam locais para confraternizar em pequenos grupos familiares ou de amigos.

Os bairros mais procurados são o centro da cidade (67%), Copacabana e Leme (63%). Em seguida, estão Flamengo (61%), Recreio dos Bandeirantes (59%), Barra da Tijuca (52%) e Ipanema/Leblon (51%).

 

Fonte: odia.ig.com.br