Homem é preso por receptação de veículo roubado em São Gonçalo: Veja o vídeo

Policiais civis da 75ª DP (Rio do Ouro) prenderam, nesta terça-feira (21/06), um homem pelo crime de receptação de veículos e organização criminosa. Segundo as investigações, ele faria parte de uma quadrilha de clonagem de carros.

Ele foi capturado no bairro Engenho Pequeno, em Niterói, após trabalho de inteligência e monitoramento. O suspeito estava com um veículo com placa falsa, roubado em São Gonçalo no dia 30 de maio deste ano. Segundo as investigações, o homem é integrante de uma quadrilha de clonagem de automóveis.

Após análise das informações, os agentes realizaram diligências e foram até uma gráfica utilizada pelo grupo criminoso para confecção de placas e adesivos para adulteração de vidro, motor e chassi dos veículos. Em seguida, os policiais encontraram uma oficina usada para suprimir a numeração do motor de um veículo.

As investigações continuam para identificar outros envolvidos no crime.

Procurador que agrediu a chefe durante expediente é preso em São Paulo

O procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, foi preso na manhã desta quinta-feira (23), em São Paulo. A justiça havia determinado a detenção dele na quarta (22), por ter espancado a chefe Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39, durante expediente na prefeitura.

Após o procurador ter sido encontrado, o delegado-geral de São Paulo, Osvaldo Nico Gonçalves, informou em entrevista que Demétrius havia se internado em uma clínica. O procurador passará pelo Palácio da Polícia na capital paulista, onde será cumprido o mandado de prisão, depois pelo Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito, e então será conduzido a Registro, onde permanecerá preso.

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), também usou as redes sociais para informar a prisão. “Que a Justiça faça a sua parte agora e use contra ele todo o peso da lei. Agressor de mulher vai pra cadeia aqui em SP. Denuncie sempre”, escreveu no Twitter.

A polícia de Registro esteve na casa do agressor no mesmo dia em que foi decretada a prisão, mas ele não havia sido encontrado, segundo informações obtidas pela TV Tribuna, afiliada da Globo.

Na manhã desta quinta, inclusive, os policiais 1º DP do município estavam em campo atrás do procurador, que acabou sendo detido na capital paulista.

A prisão preventiva do procurador foi pedida do delegado Daniel Vaz Rocha, que está responsável pelo caso. A autoridade policial apontou que o acusado “vem tendo sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe a perigo a vida delas, e consequentemente, a ordem pública”.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a investigação instaurada para apurar o caso reuniu fotos e vídeos da agressão, além de depoimento da procuradora-geral para fundamentar o pedido de prisão preventiva. A procuradora agredida deu entrevista contando o que aconteceu: ‘Acho que ele é capaz de qualquer coisa’, disse ela em um dos trechos.

Em liberdade

Conforme reportado pelo g1, o delegado Fernando Carvalho Gregório, também do 1º Distrito Policial (DP) do município, onde o caso é investigado, alegou que o agressor foi liberado inicialmente por “falta de flagrante”. Macedo recebeu a liberação logo após a elaboração de um boletim de ocorrência (BO) no local.

Nota de repúdio

A Associação Nacional dos Procuradores Municipais (ANPM) divulgou uma nota para expressar sua solidariedade com a procuradora Gabriela Samadello Monteiro de Barros e se posicionar sobre a agressão.

“A ANPM repudia a conduta violenta perpetrada pelo servidor identificado como Demétrius Oliveira de Macedo que, conforme noticiado, tinha sua atuação funcional avaliada através de um procedimento disciplinar a cargo da vítima”, complementou a associação.

O que se sabe sobre a agressão

1.Quem é a vitima?

A mulher agredida é Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos. Ela é procuradora-geral de Registro, no interior de São Paulo, e a procuradora chefe do agressor. Gabriela estava no local de trabalho quando sofreu a agressão.

2.Quem é o agressor?

Demétrius Oliveira Macedo, de 34 anos, também é procurador de Registro. O autor das agressões já havia apresentado comportamento suspeito e sido grosseiro com outra funcionária do setor, conforme relatado por Gabriela à polícia civil.

3.O que motivou a agressão?

A procuradora havia cobrado providências sobre o episódio de grosseria contra uma funcionária, pois ela estava com medo de trabalhar no mesmo ambiente que Macedo e enviou um memorando à Secretaria Administrativa com uma proposta de procedimento administrativo.

Na segunda-feira (20), foi publicada no Diário Oficial do município a criação de uma comissão para apurar os fatos. Provavelmente, segundo Gabriela, foi isso que desencadeou as agressões.

4.Quais os detalhes da agressão?

O caso aconteceu na tarde de segunda-feira (20), por volta das 16h50, na sala da procuradoria geral do município, dentro da prefeitura. A ação filmada por outra funcionária mostra que Macedo desferiu socos e chutou a colega, que estava trabalhando quando foi surpreendida pelo ataque.

Segundo consta no Boletim de Ocorrência (BO), ele a agrediu primeiro com uma cotovelada na cabeça e continuou com socos no rosto. A procuradora informou ter tentado se defender e, inclusive, recebeu ajuda de uma funcionária, que foi empurrada contra a porta e bateu as costas na maçaneta.

Livre para continuar as agressões, Macedo continuou dando socos e chutes, mesmo com outras duas funcionárias tentando contê-lo. Em determinado momento, Gabriela conseguiu ser retirada da frente do agressor.

Também é possível ouvir no vídeo que ele ofende a procuradora várias vezes. Assim que ouviram os gritos, dois funcionários do setor jurídico foram até o local e conseguiram controlar o procurador.

5.Quais as declarações da vítima?

Gabriela afirmou que temia uma revolta de Macedo contra ela. “Eu tinha medo, sim. Tinha medo de que fosse acontecer isso, mas não imaginava que fosse ser uma violência física, achava que fosse um ‘bate boca’, uma discussão”.

A procuradora também afirmou que se sentiu desrespeitada diante das agressões. “Foi exposta a minha dignidade. Como mulher, fui desrespeitada, assim como servidora pública. Enfim, foi um desrespeito global da minha personalidade como mulher”, desabafou.

Agora, Gabriela quer que Macedo seja processado em decorrência das agressões e ofensas contra ela.

6.O que o agressor disse à polícia?

Demétrius Oliveira Macedo disse à polícia civil que sofria assédio moral no local de trabalho. “Ele admitiu que agrediu a vítima e alegou que assim o fez por sofrer assédio moral”, afirmou Fernando Carvalho Gregório, delegado do 1º Distrito Policial do município, em entrevista à TV Tribuna, afiliada à Rede Globo.

7.O agressor será exonerado?

Como medida imediata para punir a agressão, a prefeitura de Registro publicou no Diário Oficial Nº 1076, a portaria Nº 525/2022, determinando a suspensão preventiva de Macedo.

Conforme descrito nos atos oficiais, o procurador ficará suspenso por 30 dias, sem receber salário, a contar desde o dia 21 de junho, data da agressão.

De acordo com a explicação da prefeitura, essa medida faz parte do processo administrativo que deve cominar na exoneração de Macedo. “É necessário seguir essa etapa e os tramites legais para que a decisão seja tomada de maneira consistente”, esclareceu.

8.O que diz a prefeitura?

A administração municipal, por meio de nota, manifestou “mais absoluto e profundo repúdio aos brutais atos de violência”.

“Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres. Os servidores da Procuradoria Geral Municipal e da Secretaria de Negócios Jurídicos receberão todo apoio necessário, inclusive acompanhamento psicológico”, escreveu.

A administração municipal disse ainda aos demais servidores: “recebam nosso amparo e saibam que a prática de violência é veementemente repudiada e será severamente punida”.

9.O que diz a Associação Nacional dos Procuradores Municipais?

A Associação Nacional dos Procuradores Municipais (ANPM) afirmou em nota que se solidariza com a Procuradora Municipal e repudia a conduta violenta de Macedo.

“A vítima foi agredida por razões ligadas ao exercício do cargo enquanto o agressor, ao que tudo indica, agiu motivado por um intuito criminoso. A ANPM reafirma seu compromisso de conscientização, prevenção e enfrentamento ao assédio no âmbito da advocacia e a todas as formas de violência praticadas contra a mulher”.

 

Crédito: g1

Suspeito de matar blogueira Aline do Borel é preso pela PM

Um homem suspeito de envolvimento na morte da influenciadora Aline do Borel, de 27 anos, foi preso nesta quinta-feira (2) em Araruama, na Região dos Lagos. O corpo de Aline foi encontrado com marcas de tiros no dia 21 de abril, na Praia do Dentinho.

De acordo com a polícia, o suspeito foi preso durante uma operação para combater o tráfico de drogas.  equipe do batalhão de Cabo Frio (25º BPM) realizava patrulhamento pela região quando notaram um homem armado saindo de uma casa, localizada na Rua Bougainville. Ao ser abordado,  jogou a arma no chão dizendo “Perdi”.

Ainda segundo a PM, durante a abordagem os policiais encontraram com ele uma bolsa contendo um aparelho celular, 200 pedras de crack e R$ 50 em dinheiro.

O acusado foi levado para a delegacia de Araruama (118ª DP), onde foi constatado que ele teve participação na morte da influenciadora Aline do Borel. A distrital é a responsável por investigar a morte de Aline.

Quem é Aline do Borel?

Aline do Borel ficou popularmente conhecida depois de publicar nas redes sociais vídeos cantando músicas autorais e também músicas famosas.

Um dos sucessos de Aline é a música “É Cansativa a Vida do Crente”, um funk com letra gospel, publicado em 2018, que teve mais de 430 mil visualizações. Ela chegou a se apresentar em programas de TV.

No Instagram, o perfil de Aline era seguido por nomes como Linn da Quebrada, Maísa Silva e Grag Queen. No Twitter, ela era seguida por Pabllo Vittar, Gloria Groove e Titi Müller.

 

Crédito: ENFOCO

Pai gravado dizendo que queria estuprar a filha também é investigado por ameaça e por perseguir a vítima: ‘Stalker’

Um homem, de 48 anos, suspeito de abusar da filha por uma década em Belo Horizonte também é investigado por suspeita de ameaçar e perseguir a vítima, hoje com 25 anos. Ele foi preso 12 anos após a primeira denúncia.

“Essa prática de novos crimes foi ela quem deu substrato jurídico para decretação da prisão preventiva naquele outro processo que já tinha sido encaminhado para a Justiça, em que o pai havia sido indiciado pelos abusos sexuais com relação à sua filha”, disse a delegada Carolina Bechelany, chefe do Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família (Defam).

O homem foi detido na madrugada desta quarta-feira (18), data em que é lembrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

“Os abusos começaram quando eu tinha uns 3 anos, tinha um shortinho vermelho e listrado e lembro dele esfregando as partes íntimas em mim. Quando eu entrei na adolescência, precisava de um uniforme escolar e meu pai disse que só compraria se eu deixasse ele me chupar”, diz a jovem que ainda tem viva as lembranças desse período de pesadelo.

Foi justamente quando ocorreu o episódio envolvendo o uniforme que ela tomou coragem para contar para a mãe sobre os abusos que vinha sofrendo desde a infância.

“Minha mãe pediu para eu gravar, ele repetiu isso e fomos à delegacia”, contou.

De acordo com a Polícia Civil, após a jovem ter registrado a denúncia contra o pai – ainda adolescente – todos os procedimentos foram realizados. “Naquele momento não tinham requisitos para efetuar a prisão dele, mas as investigações foram realizadas, ele foi indiciado e virou procedimento criminal”, explicou a delegada Renata Ribeiro, chefe da Divisão Especializada em Atendimento à Mulher ao Idoso e a Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerâncias.

Durante todos esses anos, Mariana não conversou com o homem. Em janeiro deste ano, ela conseguiu uma medida protetiva após o pai se mudar para a mesma rua em que ela mora.

“Ele está sendo investigado pelo crime de ameaça e de stalker. O que significa isso? Ele persegue essa filha, ele a acompanha o tempo todo e ela está se sentindo ameaçada em razão desse comportamento. Então, em razão dessa nova investigação que houve a decretação da prisão no primeiro inquérito em que ele foi investigado”, diz Carolina Bechelany.

Ativista antiaborto escala prédio de 61 andares nos EUA; Veja o vídeo

Um ativista antiaborto, que não teve o nome revelado, escalou um edifício de 61 andares em São Francisco, nos Estados Unidos,sem usar cabos de aço ou qualquer equipamento de proteção.

De acordo com a polícia local, os pedestres acionaram as autoridades por volta das 9h21 e informaram que alguém estava escalando o Salesforce Tower.

Em uma publicação feita nas redes sociais, a equipe do corpo de bombeiros da cidade publicou uma imagem onde é possível ver uma pessoa no alto do prédio.

Enquanto escalava o prédio, a polícia tentou fazer contato com o alpinista para removê-lo com segurança da torre, mas não obteve sucesso. Após concluir a jornada até o último andar, a polícia de São Francisco prendeu o homem no topo do edifício. O momento foi transmitido pela emissora local ABC 7News e um vídeo foi publicado nas redes sociais.

Na segunda-feira (2/5), uma reportagem publicada pelo site Politico apontou que a Suprema Corte norte-americana formou maioria para derrubar a lei que autoriza o aborto no país.

A minuta de uma decisão nesse sentido e assinada pelo juiz Samuel Alito, com data de 10 de fevereiro, teria circulado pelo tribunal e, então, teria sido obtida pelo site jornalístico. Após o vazamento da informação, a Corte disse que essa “não é a posição final”.

 

Crédito: Metrópoles