Vacinação infantil em Maricá é suspensa por falta de entrega de doses pelo Ministério da Saúde

Devido à falta de entrega de imunizantes por parte do Ministério de Saúde, a Prefeitura de Maricá precisará suspender, a partir de quinta-feira (17/02), a vacinação infantil contra a Covid-19 das crianças de 5 a 11 anos. A imunização infantil será retomada assim que o Ministério enviar nova remessa de vacinas para a cidade.

Maricá já vacinou 8.497 crianças contra a covid-19 até último balanço divulgado, número que corresponde a 56% do público estimado na faixa etária vacinável. A aplicação da segunda dose da CoronaVac, com intervalo de 28 dias, e da Pifzer, 8 semanas, está mantida.

A subsecretária da Rede de Atenção Ambulatorial e Saúde Coletiva, Claudia Rogeria de Lima comentou sobre a situação.

“Fomos a primeira cidade do Rio a iniciar a vacinação das crianças, no dia 14 de janeiro. Nosso calendário já chegou a todas as idades e vínhamos fazendo a repescagem há quatro dias. Utilizamos todas as vacinas disponibilizadas pelo Ministério da Saúde e infelizmente teremos que interromper provisoriamente a aplicação da primeira dose pediatrica”, informou.

Claudia Rogéria destacou que a vacinação será retomada assim que as vacinas forem entregues.

“Continuaremos com a repescagem, busca ativa e vacinação itinerante nos distritos com a meta de vacinarmos 100% desse público”, informou a subsecretária.

Vacinação dos adolescentes e adultos prossegue

A imunização da população acima de 12 anos continua normalmente em dez polos de vacinação, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, e ganha reforço da Unidade Móvel da Saúde – que estava vacinando as crianças – até a sexta-feira (18/02), das 9h às 19h (com acolhimento até as 18h30). O veículo está estacionado na Praça Orlando Barros Pimentel, no Centro.

Já são 131.346 mil pessoas acima de 12 anos, número que representa 92,4% deste público.A dose de reforço foi aplicada em 60.544 adultos, ou seja, 71% da população apta.

Além da dose de reforço em geral, destinada a pessoas acima de 18 anos que tenham completado o ciclo vacinal há quatro meses, e dose extra para o grupo de pessoas imunossuprimidas (pessoas com baixa imunidade), o município segue aplicando a segunda dose, com intervalo reduzido para 21 dias na vacina da Pfizer e oito semanas para a AstraZeneca, e repescagem da primeira dose para todos acima de 12 anos.

Polos de vacinação de adolescentes e adultos

Até sexta-feira (18/02), das 9h às 19h (acolhimento até as 18h30)

Unidade Móvel da Saúde – Praça Orlando de Barros Pimentel, Centro

Segunda a sexta-feira – das 9h às 16h

USF ESF Central – Rua Clímaco Pereira, 241, Centro.
USF Retiro- Estrada do Retiro, s/n.
USF Santa Paula- Estrada de Cassorotiba, s/n.
USF São José 2- Estrada da Cachoeira, s/n
USF Jardim Atlântico- Rua 36, lote 01, quadra 206. Loteamento Jardim Atlântico, Itaipuaçu.
USF Chácara de Inoã- Rodovia Amaral Peixoto, km 16. (ao lado do Polo Mania), Inoã.
USF Ponta Grossa – Rua Irineu Ferreira Pinto, s/n.
USF Ubatiba – Avenida Niterói, s/n.
USF Marinelândia- Rua Nove, Quadra 15, Cordeirinho.
USF Espraiado- Rua Gualberto Batista de Macedo, s/n.

Menino de 11 anos é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 em Rio Bonito

Um menino de 11 anos foi a primeira criança a ser vacinada contra a Covid-19, em Rio Bonito. Acompanhado de sua mãe, Carolina Carvalho, o pequeno David Souza Moura recebeu a primeira dose do imunizante contra a doença na manhã do último sábado (22).

David apresenta a condição de Cardiopatia, doença que acomete o coração e afeta o sistema vascular. Com isso, ele está no grupo de risco da doença. Após receber a dosagem da vacina, o menino recebeu um “Certificado de Coragem” entregue pela equipe de Saúde.

Morador do bairro Parque Andrea, o adolescente pratica atividades esportivas nas horas vagas, como andar de bicicleta e patins. Dedicado aos estudos e a leitura, David está no 6º ano e estuda no Colégio Rio Bonito.

A mãe do pequeno relatou que David está bem e não teve nenhum efeito colateral desde a aplicação e ainda fez um apelo para que os pais levem seus filhos para receber a dose da vacina contra o vírus.

O Ministério da Saúde enviou 300 doses para o município começar a imunização das crianças de 5 a 11 anos com comorbidades e doenças permanentes. A vacina pediátrica da Pfizer foi aprovada pela ANVISA e atenderá especificamente o público infantil.

O primeiro dia da campanha de vacinação infantil aconteceu no último sábado (22), no Centro Pediátrico Municipal Dr. Almir Branco. A Secretaria de Saúde reservou uma sala específica, destinada apenas para a vacinação contra o Covid-19 das crianças, seguindo a orientação da Nota Técnica do Ministério da Saúde, a fim de não haver erros durante a aplicação.

Após receber o imunizante, as crianças permaneceram no local por 20 minutos para observação de um pediatra que estava de prontidão no local para possíveis eventuais.

Fotos: Nilton Carlos
Texto: Silas Madeira

Super-heróis se unem para ajudar na luta contra a Covid-19 em Tanguá

Para diminuir a adrenalina e a ansiedade das crianças na hora da vacina contra a Covid-19, a prefeitura de Tanguá teve uma ideia inovadora: escolheu o palco do projeto cultural Lona na Lua, instalado no Centro da cidade, para imunizar os pequenos no último sábado (22/01).

Além do lugar, que muito se assemelha com a lona de um circo, a prefeitura levou para o local de vacinação super-heróis conhecidos, como Batman, Homem-Aranha, Homem de Ferro e Flash. O sucesso da iniciativa foi tão grande que a prefeitura estuda repetir a ação nos próximos dias.

“A gente sabe que o momento da vacina é sempre muito traumático para as crianças, seja pelo nervosismo ou mesmo pelo medo. O que a gente pretendeu foi criar um ambiente mais convidativo e com isso estimular a vacinação infantil nesse momento no qual os indicadores mostram um novo avanço da Covid-19”, disse Rodrigo Medeiros, prefeito de Tanguá.

A ação teve como público alvo crianças de 5 a 11 anos com comorbidades ou deficiência, além daquelas com 10 e 11 anos.

A tanguaense Gabriela Américo, mãe da Mirella Almeida, de 8 anos, que tem comorbidade, compareceu à mobilização e se surpreendeu com os personagens.

“Fiquei encantada com o cuidado e com a iniciativa. As crianças gostam muito dos super-heróis e com mais diversão acabam perdendo o medo”, disse.

 

Crédito: Assessoria de imprensa da Prefeitura de Tanguá

CoronaVac é incluída no plano de vacinação para crianças

O Ministério da Saúde anunciou hoje (21) a inclusão da vacina contra a covid-19 CoronaVac para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19. A pasta abriu negociações com o Instituto Butantan, responsável pela produção do imunizante, para a aquisição de doses.

A inclusão ocorre um dia após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso da CoronaVac em pessoas de 6 a 17 anos. Foi o segundo imunizante pediátrico autorizado pela agência. O primeiro foi o da Pfizer.

Nesta sexta-feira, em Brasília, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, informou que a pasta oficiou o Instituto Butantan para saber qual o quantitativo disponível para uma possível compra. A instituição de pesquisa respondeu com a disponibilidade de sete milhões de doses.

No entanto, um contrato de compra ainda depende de um levantamento dos estados. Cruz declarou que o Ministério da Saúde vai sondar os estados, pois ainda há em estoques da pasta seis milhões de doses, além de outros três milhões em estoques de diferentes estados.

“A gente vai provocar os estados para que eles nos informem se querem receber CoronaVac ou Pfizer e quanto tem na rede estadual e municipal para que façamos distribuição mais equânime”, disse o secretário executivo. Segundo Cruz, o processo deve ser concluído na próxima semana, a depender do levantamento dos estados.

Em nota, o Instituto Butantan informou que pode ampliar a produção para além dos sete milhões, caso haja interesse por parte do Programa Nacional de Imunizações.

 

Crédito: Agência Brasil

Rio Bonito inicia vacinação contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos no próximo sábado (22)

A Prefeitura Municipal de Rio Bonito iniciará, neste sábado (22), a vacinação contra o Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos com comorbidades e deficiência permanente, de 8 às 16 horas, no Centro Pediátrico Municipal Dr. Almir Branco, com atendimento realizado por ordem de chegada.

É importante destacar que as crianças devem estar saudáveis para receber a vacina e que não podem ter recebido outras vacinas do calendário infantil nos últimos 15 dias, além de não poderem receber nenhuma vacina do Programa Nacional de Imunizações (PNI) durante 15 dias após a vacinação.

A Secretaria de Saúde reservou uma sala específica, que será destinada apenas para a vacinação contra o Covid-19 das crianças, seguindo a orientação da Nota Técnica do Ministério da Saúde, a fim de não haver erros na aplicação da vacina.

Ao todo, o estado enviou ao município de Rio Bonito 300 doses da vacina pediátrica da Pfizer, aprovada pela ANVISA e distribuída pelo Ministério da Saúde, que atenderá especificamente ao público infantil nesta primeira etapa.

Para receber a dose do imunizante, elas precisam estar acompanhadas de um dos pais ou responsável de maioridade, apresentando documento de identificação. Já para as crianças, os documentos obrigatórios são: caderneta de vacinação; certidão de nascimento ou documento de identificação original com foto; cartão nacional do SUS ou CPF e a apresentação do laudo médico comprovando a condição de comorbidade.

Após receber a vacina, a criança deverá permanecer no local por 20 minutos para observação. Por ser um público delicado, um pediatra estará de prontidão no local para eventuais ocorrências, além de acompanhar o procedimento.

Lista de prioridades com comorbidades, de acordo com o Ministério da Saúde: diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente (HAR), hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade, doenças cardiovasculares (insuficiência cardíaca-IC, cor-pulmonale e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatias congênita, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doença cerebrovascular), doença renal crônica, imunossupressão, anemia falciforme, obesidade mórbida, síndrome de Down e cirrose hepática.

 

 

Texto: Silas Madeira – Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Rio Bonito