Maricá imuniza mais de 19 mil animais contra a raiva

A Prefeitura de Maricá registrou a marca de mais de 19 mil (precisamente 19.476) cães e gatos imunizados contra raiva, ao encerrar no sábado (22/01) a Campanha de Vacinação Antirrábica Animal de 2022, que ocorreu em dois dias — 15 e 22 de janeiro. 

A ação terminou em Inoã e Itaipuaçu (3º e 4º distritos), onde 17 polos estiveram em funcionamento no sábado e 7.527 animais receberam o imunizante aplicado pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde.  

Vacinação é essencial no combate à raiva 

A raiva é uma doença gravíssima que apresenta quase 100% de letalidade e pode ser transmitida no meio urbano por cães e gatos contaminados pela saliva ou mordida. Em Maricá, há décadas não há registro de casos da doença em animais ou humanos, graças à adesão anual da vacinação. 

A imunização é direcionada para caninos e felinos (entre machos e fêmeas), saudáveis e fora do estado gestacional, que tenham três meses de idade ou mais. 

Campanha no Centro e Ponta Negra 

A campanha teve grande adesão da população já no primeiro dia. Em 15/01, 33 postos de vacinação estiveram em funcionamento no Centro e em Ponta Negra (1º e 2º distritos de Maricá), vacinando 11.949 animais contra a raiva. 

Maricá antecipa calendário de vacinação contra a Covid-19 das crianças em geral

Com a chegada de mais uma remessa com 820 doses pediátricas contra a Covid-19, a Prefeitura de Maricá vai antecipar o calendário de imunização infantil e inicia nesta quinta-feira (20/01) e sexta-feira (21/01) a imunização das meninas de 11 anos.

A vacinação vai ocorrer exclusivamente na sede do Serviço de Atendimento de Reabilitação Especial de Maricá (Sarem), das 9h às 16h. As crianças com comorbidades ou deficiência permanente, de 5 a 11 anos, continuam sendo imunizadas no mesmo local até a sexta-feira (21/01).

Sequência do calendário

A partir da segunda-feira (24/01), o município avança no cronograma de vacinação das demais crianças, respeitando a ordem decrescente das idades. Serão abertos dez polos de vacinação exclusivos para a imunização infantil, que vão funcionar de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.

A expectativa do município é concluir a aplicação da primeira dose nas crianças no dia 10 de fevereiro, mas a continuidade do calendário depende da chegada das doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

Maricá foi a primeira cidade do Estado do Rio de Janeiro a iniciar a vacinação infantil, pelas aldeias indígenas na sexta-feira (14) e crianças com comorbidades ou deficiência permanente no sábado (15). Até o momento, o município já imunizou 198 crianças.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Solange Oliveira, a entrega de novas doses pelo Ministério da Saúde possibilitou a aceleração do cronograma de vacinação.

“Vacinar as crianças é urgente, por isso iniciamos a imunização tão logo as doses chegaram à nossa cidade. Agora, com essa nova remessa e a previsão de entrega de mais doses, conseguimos antecipar o calendário. Não vamos medir esforços para imunizar o quanto antes nossos pequenos”, afirmou a secretária.

Calendário previsto

 Crianças com comorbidades ou deficiência permanente (exclusivamente no Sarem)

20 e 21/01 – 5 a 11 anos

Demais crianças (exclusivamente no Sarem)

20 e 21/01- meninas de 11 anos

Demais crianças (10 polos de vacinação)

24 e 25/01- meninos de 11 anos

26 e 27/01- 10 anos

28 e 31/01- 9 anos

01 e 02/02- 8 anos

03 e 04/02- 7 anos

07 e 08/02- 6 anos

09 e 10/02- 5 anos

Locais

Quinta-feira (20/01) e sexta feira (21/01)

Serviço de Atendimento de Reabilitação Especial de Maricá (SAREM)- Rua Vereador Luiz Antônio da Cunha, nº 200, Centro – Maricá.

A partir de segunda-feira (24/01)

USF Ponta Grossa – Rua Irineu Ferreira Pinto, s/n.

USF ESF Central – Rua Clímaco Pereira, 241, Centro.

USF Bairro da Amizade – Rua Eliete Rocha Santos, Lote 28, Quadra 90 (antiga Rua 53)

USF Barra – Rua Ênani Manoel Soares, s/n, Barra de Maricá.

USF Inoã II – Rodovia Amaral Peixoto, km 14, s/n, (ao lado do DPO).

USF Barroco – Rua Getúlio Vargas (antiga Rua 2), lote 13, quadra 4, casa 2, Itaipuaçu.

USF São José I – Rua Caio de Figueiredo, s/n (Travessa CIEP).

USF Bambuí – Av. do Contorno, s/n.

USF Santa Rita – Rua Antônio Marques Mathias, s/n, Quadra 433 (antiga Rua 36).

USF Ubatiba – Avenida Niterói, s/n.

Documentos para a vacinação

O responsável legal deverá levar a caderneta de vacinação, além de um documento de identidade ou certidão de nascimento da criança. As crianças com comorbidades ou deficiência permanente também precisam do laudo médico. Serão vacinadas as crianças com comorbidades ou deficiências listadas no Programa Nacional de Imunização (PNI).

Justiça arquivou processo que pedia prisão do jornalista William Bonner por incentivar vacinação de crianças

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal arquivou no último domingo, 16, uma ação contra o jornalista William Bonner movida pelo advogado Wilson Issao Koressawa, na qual era pedida a prisão no apresentador do “Jornal Nacional”, assim como “o afastamento do representado do cargo ou a proibição de ele incentivar a vacinação obrigatória de crianças e adolescentes [contra a Covid-19] e a exigência de passaporte sanitário”.

Wilson, que nas redes sociais se define como um ex-oficial de Justiça e um promotor aposentado, já concorreu ao cargo de Deputado Distrital pelo PDT, em 1998, e pelo PSD, em 2002. Já em 2006, tentou novamente concorrer ao mesmo cargo pelo PSOL, mas a candidatura foi indeferida. Sem apresentar provas, ele acusou o apresentador de participar de uma suposta organização criminosa, de induzir as pessoas ao suicídio, de “causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos” e “envenenar água potável”.

Na decisão da juíza Gláucia Falsarella Pereira Foley, a que a Jovem Pan teve acesso, é descrito que a acusação “reproduz teorias conspiratórias, sem qualquer lastro científico e jurídico, esvaziando seu texto em mera panfletagem política”. A magistrada também declara que “o Poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas”. “Vivemos tempos obscuros traçados por uma confluência de fatores.

É preciso coragem, maturidade e consistência política e constitucional para a apuração das devidas responsabilidades pelas escolhas que foram feitas”, pontua Gláucia na decisão. Também foi destacado que “exercício da liberdade de imprensa assegura ao jornalista o direito de expender críticas a qualquer pessoa, especialmente contra autoridades e agentes do Estado”. A vacinação infantil contra a Covid-19 já é uma realidade no Brasil. Na última sexta-feira, 14, Davi Xavante, um menino indígena de 8 anos, foi a primeira criança a receber o imunizante, em São Paulo.

 

Crédito: jovempan.com.br

Saquarema inicia vacinação de crianças na próxima segunda-feira

Crianças de 11 anos começam a ser vacinadas em Saquarema, na Região dos Lagos, a partir da próxima segunda-feira (17). Na semana seguinte, é a vez das crianças de dez anos. O calendário segue com uma idade por semana.

Crianças com comorbidades ou deficiências tem prioridade e não precisam esperar o dia destinado à faixa etária para se vacinar.

A imunização em Saquarema é realizada nos postos de saúde de segunda a sexta, das 9 às 15 horas.

 

Crédito: Band News

 

Quebec quadriplica taxa de vacinação contra Covid após exigência de comprovante para comprar álcool e maconha

O número de pessoas que se inscreveu para receber a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 aumentou mais de 400% em apenas uma semana em Quebec, segundo o Ministro da Saúde da província canadense, Christian Dubé.

O crescimento aconteceu após o anúncio de restrições na venda de álcool e maconha – que é legalizada para fins recreativos no país desde 2018 – a não vacinados. Quebec é a segunda província mais populosa do Canadá.

Na sexta-feira (7), Dubé afirmou que o número de agendamentos diários subiu de 1,5 mil para mais de 6 mil e agradeceu aqueles que finalmente decidiram dar o primeiro passo para a imunização.

A mensagem foi publicada um dia após ele dizer que um passaporte sanitário, comprovando a vacinação, passaria a ser exigido de todos aqueles que desejarem entrar em lojas associadas à Société des alcools du Québec (SAQ) e à Société québécoise du cannabis (SQDC), órgãos que regulamentam estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas e maconha na província.

A exigência entra em vigor na terça-feira (18) e será ampliada para outros estabelecimentos não essenciais, que devem ser anunciados nos próximos dias.

Imposto para não vacinados

Na terça-feira (11), o primeiro-ministro do Quebec, François Legault, afirmou que vai cobrar imposto dos adultos que se recusam a tomar vacinas contra a Covid-19, que seria chamado de “contribuição de saúde”.

Legault disse que os detalhes da proposta ainda estão sendo finalizados, mas ela não se aplicará a quem não pode ser vacinado por razões médicas. O premiê afirmou que pessoas não vacinadas prejudicam as demais, por isso devem pagar a contribuição.

Crédito: g1.globo.com