Esther Figueiredo, Pedro Raysson e Nanda Severo vencem 2ª edição do The Best Voice RB

Após um mês de apresentações, neste domingo (21), os finalistas Esther Figueiredo, Pedro Raysson e Nanda Severo se sagraram vencedores da segunda edição do The Best Voice RB, concurso musical promovido pela Associação de Músicos de Rio Bonito (Amarb). A competição, criada com intuito de valorizar a cultura e a música da cidade, foi encerrada com o prestígio de dezenas de pessoas na sede do Motorista Futebol Clube, no Centro de Rio Bonito, além da presença de artistas de renome como jurados da grande final.

Os finalistas das modalidades Kids, Teens Adulto e ex-participantes do concurso, convidados pelos organizadores para se apresentar, interpretaram grandes sucessos da música brasileira e do cenário internacional, como Luiz Gonzaga, Tim Maia, Sandra de Sá, Michael Jackson, Gloria Gaynor e Radiohead. O The Best Voice RB ainda contou com o apoio de empresários locais, que cederam um óculos de sol para a realização de uma rifa, e um violão, doado pela loja de instrumentos musicais Eletromusic para arrecadação de fundos no custeio do evento.

Bruno Soares e Nanda Severo foram os finalistas do Time Adulto (Foto: Bruna Rodrigues)

A avaliação de cada apresentação ficou sob responsabilidade de grandes nomes da música local e nacional, como Claudemir Rastafári, um dos maiores compositores do país; o cantor Zack Damasceno, natural de Araruama e participante da edição 2018 do reality The Voice Brasil da TV Globo; e o músico e o instrumentista Jhony Almeida.

Um dos momentos de destaque da abertura da final do The Best Voice RB foi a apresentação do campeão da edição 2018 do concurso, quando ainda era reconhecido como The Best Voice Kids RB, o adolescente Yisrael Fernando. Morador da Praça Cruzeiro, Yisrael agitou o público presente interpretando a música “We Are the Champions” da banda Queen, do cantor Freddie Mercury.

Últimas apresentações

Começando com a categoria Kids, a primeira a se apresentar foi a pequena Esther Figueiredo, moradora do Centro de Rio Bonito, que interpretou a conhecida “A Lenda” da dupla Sandy e Júnior. A apresentação, com muito carisma e desenvoltura, rendeu à Esther a vitória. O segundo lugar ficou com Laura Ferreira, que interpretou “Music and Me” do Rei do Pop, Michael Jackson. Já o terceiro lugar foi ocupado pela Maria Fernanda, que arrancou aplausos da platéia ao se emocionar durante a apresentação da música “Notificação Preferida”, da dupla Zé Neto e Cristiano, mas que persistiu no palco.

Já a modalidade Teens foi aberta com a apresentação da jovem Emanuelly Luz Xavier, de 15 anos, que cantou “Anunciação” de Alceu Valença. A adolescente, moradora do Centro de Rio Bonito, foi a quarta colocada na categoria. A medalha de bronze ficou com Sara, representando a Praça B. Lopes. A cantora de apenas 13 anos cantou o sucesso de Tim Maia e Gal Gosta “Preciso te Falar”.

Lia Azevedo, vice-campeã do Time Teens, parabeniza o vencedor Pedro Raysson (Foto: Bruna Rodrigues)

A vice-campeã do Time Teen foi a moradora da Caixa D’Água Lia Azevedo, de 16 anos, que cantou “A Thousand Years“, de Christina Perri, canção conhecida como parte da trilha sonora da Saga Crepúsculo. Lia, que também tocou violão, teve o tom de voz e a identidade musical muito elogiada pelos jurados. A vitória ficou com Pedro Raysson, que interpretou “Piquenique” do cantor Dilsinho. O adolescente já havia participado da edição anterior do concurso, mas, nas palavras de um dos jurados, “neste ano mereceu um dez”.

O Time Adulto contou com seis apresentações que encerraram a primeira fase da grande final. A primeira a se apresentar foi Gabrielle, moradora de Viçosa, que ficou em sexto lugar. A segunda a se apresentar foi a vencedora Nanda Severo, de 20 anos, representando a Caixa D’Água, que emocionou o público com a interpretação de “If I Ain’t Got You” da cantora americana Alicia Keys.

João Vitor interpretou um dos sucessos da banda Jota Quest (Foto: Bruna Rodrigues)

O vice-campeão da categoria, Bruno Soares, de 23 anos, também foi muito ovacionado pela platéia com a interpretação de “Quando o Inverno Chegar” de Tim Maia. Bruno, que é do Parque Andrea, também foi muito elogiado pelos jurados, que deram grande destaque para a afinação do cantor.

A apresentação que sucedeu a de Bruno Soares colocou o público presente para cantar e pular ao som de “Do Seu Lado”, do Jota Quest, interpretada por Paulo Vitor, de 17 anos. O adolescente, morador do Brasílio, teve a desenvoltura e a presença de palco elogiadas pelos jurados, mas apesar do reconhecimento, ficou com o terceiro lugar na categoria Adulta.

O finalista seguinte, João Paulo Azevedo Santos, de 21 anos, da Caixa D’Água, apresentou à platéia uma interpretação própria da música “I Will Survive” da cantora estadunidense Gloria Gaynor, sucesso do final dos anos 70. O jovem precisou se apresentar duas vezes devido a problemas técnicos com a banda de apoio. Mas, da segunda vez, retornou ao palco com mais segurança e confiança que agradaram aos jurados. João foi o quarto colocado do Time Adulto, que fechou as apresentações com chave de ouro com Guilherme Azevedo, de 38 anos, que cantou “Talvez” do grupo de pagode Revelação. Guilherme ficou com a quinta colocação da categoria.

Vencedores

Os três vencedores do The Best Voice RB compartilhavam de um sentimento em comum: emoção. Foi o que o vencedor do Time Teens, Pedro Raysson, dividiu ao descer do palco. “A vitória foi muito gratificante. Fiquei meio sem jeito porque as finalistas estavam torcendo pra mim e, abrindo meu coração, fiquei muito nervoso. Mas minha família inteira me apoiou, então, quero agradecer a todos eles que estão aqui e parabenizar todos que participaram”, declarou o adolescente, que aproveitou para compartilhar seus planos após o The Best Voice RB. “Eu quero fazer aula de canto agora e seguir minha carreira na música. Quero cantar de verdade”, compartilhou.

A vencedora do Time Adulto, Nanda Severo, também não escondeu a felicidade com o reconhecimento da sua voz no concurso. “Me apelidaram de Tina Turner”, brincou, ao ser entrevistada. “Agora estou me sentindo anestesiada. Não estou acreditando, mas sinto muita gratidão, porque só Deus sabe o quanto eu era pessimista quanto a cantar. Então é muita felicidade mesmo”, declarou a jovem.

“[O concurso] foi muito difícil porque eu fiquei doente durante a segunda etapa. A garganta inflamou, fechou, eu não consegui fazer uma boa apresentação, mas acabou que deu tudo certo e eu consegui passar”, relembrou Nanda, que ainda revelou ter escolhido um dos sucessos da cantora Alicia Keys em homenagem ao namorado. “A gente nunca sabe quando vai surgir uma oportunidade, mas tenho planos de começar um canal no Youtube e postar mais sobre música”, respondeu a campeã quando perguntada à respeito de seu futuro na música.

Após conquistar uma segunda colocação com sabor de vitória, Bruno Soares recebeu com surpresa sua classificação até a fase final do The Best Voice. “Eu não tô nem acreditando, porque semana passada eu fui mal e não esperava estar na final, mas hoje fui surpreendido com o segundo lugar e não tenho palavras. [A trajetória] foi difícil, tivemos muitos candidatos bons. Estou muito feliz pela conquista e espero que Deus seja glorificado através dessa vitória”, declarou.

Idealizador reflete sobre concurso

O principal idealizador do The Best Voice RB, o cantor e compositor riobonitense Andrezinho Shock, falou sobre o sentimento em organizar mais uma edição do concurso. “A gente espera sempre emoção em uma final, mas quando envolve a nossa terra, é diferente. Por viver da música, vejo muito disso, e eu tenho a felicidade de viver isso aqui em Rio Bonito. Temos relatos impressionantes de proximidade de pais e filhos, que não sabiam nem que os filhos cantavam. É algo que mexe mais com o emocional da gente”, afirma. “Éramos um grupo de 20 pessoas e, de repente, nos vimos com apenas cinco. Tivemos que tomar decisões necessárias pro momento e decidimos fazer tudo ‘na raça'”, relembrou o músico.

A pequena Esther foi uma das vencedoras da noite (Foto: Bruna Rodrigues)

“Mas o amor pela música, pela cultura e pela cidade faz a gente se esforçar e abdicar de tudo. E isso não tem preço. Tudo que fizemos, incentivando, a criança acredita que dá. O sentimento é de dever cumprido. Eu sinto orgulho, com toda a minha humildade. Não é nossa obrigação fazer, mas temos amor pelo fazer, então fazemos mais do que podemos, mas, o amor vence e supera tudo. Pra mim é um orgulho muito grande ser o idealizador mas contar com esses amigos que ajudaram”, declara Andrezinho Shock.

“Queremos motivar as crianças a estudar música com qualidade, incentivá-las a entender que a vida é uma competição e temos que buscar sempre melhorarmos. Também prezamos muito pela amizade. Acreditamos que fazer eles interagirem uns com os outros, as famílias se unirem, promovendo o amor ao próximo e o respeito, eu acredito que eles entenderam isso. Acho que viver isso foi positivo pra eles”, afirmou o músico, que finalizou deixando um recado para a população. “Ouvi por muitos anos as pessoas dizerem que essa cidade não rende nada. Eu sai daqui desacreditado. Então, digo para a população que acredite nos talentos da terra, valorizem e respeitem”, pontuou.