Alerj acaba com carros oficiais

às

A frota oficial de veículos da Assembleia Legislativa do Rio foi extinta, segundo a Resolução 329/2016. O texto diz que a frota estaria integralmente extinta em dezembro de 2018 e “os veículos doados, principalmente, ao Rioprevidência e à Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro a partir de janeiro de 2019”.

Um comunicado do diretor de transportes da Alerj, Paulo Roberto Poydo, publicado no Diário Oficial do último dia 28, causou confusão entre os parlamentares. Com o objetivo de agilizar a devolução dos veículos, ele estabeleceu o dia 30 de dezembro passado como prazo final para que todos os carros fossem encaminhados ao “Órgão Gestor de Frota para inspeção, revisão e garageamento”.

A resolução de 2016, assinada pelo presidente Jorge Picciani, estabeleceu que o fim do privilégio valeria apenas a partir de 1º de fevereiro de 2019. A Mesa Diretora confirmou o dia 30 de janeiro para a devolução dos veículos.

“Até o momento cerca de 75% da frota já foi devolvida e está na garagem da Casa. O prazo para devolução do restante dos veículos será estendido para o dia 30 de janeiro, pois a Resolução 329/2016, que determinou o fim da frota, estabelece o dia 1º de fevereiro como prazo final para extinção da mesma”, informou a assessoria de imprensa da Alerj.

A nota informou ainda que, após o prazo definitivo, a Alerj continuará com uma frota de 10 carros que serão mantidos para apoio aos serviços. A Mesa Diretora, que tomará posse no início de fevereiro, será responsável por definir um novo modelo de transportes para atender as necessidades dos parlamentares.

O fim dos carros oficiais fará com que o contrato com o edifício garagem Menezes Cortes seja cancelado. Com a medida, a Alerj deixará de gastar R$ 138 mil por mês com o estacionamento.

Veja também

Cantor L7nnon é a atração principal deste domingo (19/05) da festa que acontece na Avenida Benvindo Taques Horta, na orla de Itaipuaçu
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias