Secretaria Estadual de Saúde vai distribuir repelentes contra Aedes Aegypti

às

A Secretaria de Saúde determinou as prioridades na distribuição de repelentes agora no verão, época em que há aumento de casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypt (dengue, chicungunya, zika e febre amarela) na Região Sudeste. Os produtos foram repassados pelo Governo Federal para que o Estado encaminhe aos municípios. As gestantes acompanhadas pelo Sistema Público de Saúde estão entre os principais grupos prioritários para o recebimento do produto, visto que o vírus da Zika pode provocar danos sérios ao feto. A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro de segunda-feira (7).

Outros fluminenses que estejam em vulnerabilidade social, epidemiológica ou ambiental também terão a preferência para receber os repelentes: pessoas que morem em área de risco de transmissão de febre amarela e que tenham contraindicação à vacina; moradores e agentes comunitários de saúde em locais de alta incidência do mosquito; e regiões do estado já mapeadas com muitos casos de doenças causadas por arbovírus.

Veja as regiões prioritárias para receberem os repelentes:

– Baixada Litorânea – Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Iguaba Grande, Rio das Ostras, São Pedro D’ Aldeia e Saquarema.

– Região Metropolitana – Belfort Roxo, Duque de Caxias, Itaguaí, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Queimados, São João de Meriti, Seropédica, Rio Bonito e Silva Jardim.

– Região Norte – Conceição de Macabu, Quissamã e São Francisco de Itabapoana.

– Região Noroeste – Bom Jesus de Itabapoana, Cardoso Moreira, Cambuci, Italva, Miracema, São José de Ubá e Varre-Sai.

– Região Serrana – Santa Maria Madalena.

Veja também

Crime ocorreu enquanto a vítima viajava junto com o marido dela pelo continente asiático, segundo a embaixada do Brasil em Nova Déli.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias