Seis vítimas da chacina são identificados no IML de Tribobó

às

Foram, identificados como Renan Trigueiro de Almeida, 21 anos, seu irmão, Gabriel Trigueiro de Oliveira, 19 anos, Rodrigo Avelino, Hércules de Souza Costa, 21 anos, Débora Rodrigues, 46 anos, e Michel Douglas, seis das sete vítimas mortas numa chacina, ocorrida entre a noite domingo e madrugada dessa segunda-feira, na localidade de BNH Marambaia, no limite entre os municípios de São Gonçalo e Itaboraí.

Uma guerra entre facções rivais de traficantes pode estar por trás das mortes, e passou a ser investigada pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG). De acordo com relatos, quatro das vítimas foram mortas no mesmo perímetro, onde na semana passada um policial militar, lotado no 35º BPM (Itaboraí) também foi executado a tiros. Uma das vítimas, de 46 anos, trabalhava num trailer de lanches na localidade conhecida como BNH Marambaia. Outras cinco vítimas fatais foram identificadas hoje, no IML.

A PM confirmou que a principal linha de desconfiança seria mesmo a de uma violenta disputa entre criminosos rivais, mas não souberam informar, por exemplo, qual o tipo de envolvimento entre as pessoas que morreram no ataque. Transeuntes disseram que bandidos armados e encapuzados, em um veículo, de cor prata, chegaram a avisar que iriam matar todos que fossem ligados ao tráfico de drogas. Além das execuções, outros quatro feridos deram entrada no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. Até o fim da manhã de ontem não haviam sido divulgadas informações sobre as vítimas baleadas e seu quadro de saúde.

Fonte: Portal Banca de Notícias

Veja também

O governo federal apresentou nesta quarta-feira (24) o programa Voa Brasil, que deverá proporcionar passagens aéreas de até R$ 200
às
Segundo o Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), seis municípios no estado do Rio
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias