Alta nos rios volta a deixar o RS em alerta; Taquari e Caí têm novas cheias e Guaíba sobe 14 cm em 4h

A chuva perde força a partir desta terça-feira, o estado segue em alerta devido à alta nos rios e dos riscos geológicos.
às
pta
Foto: Ton Molina/Fotoarena/Estadão Conteúdo

A chuva perde força a partir desta terça-feira (14) no Rio Grande do Sul, mas em meio à tragédia das enchentes, o estado segue em alerta devido à alta nos rios e dos riscos geológicos.

Municípios como Canoas e Pelotas orientam a evacuação de áreas de risco, e nas regiões do Vale do Taquari e Caí, moradores já precisaram sair de casa. Em Porto Alegre, o lago Guaíba subiu 14 centímetros em quatro horas durante a manhã de segunda (13), indo de 4,77 metros às 7h para 4,91 às 11h15.

Já na Serra, o problema são os riscos geológicos. Um deslizamento matou uma pessoa em Caxias do Sul, e em Gramado, uma rua cedeu.

A Climatempo sinaliza que as regiões mais impactadas por isso são a Metropolitana de Porto Alegre, a Sul, dos Vales e Serra.

Região Metropolitana de Porto Alegre

Medição da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) registra que o nível do Guaíba, em Porto Alegre, atingiu 4,78 metros às 7h15 desta segunda-feira (13) – e não para de subir: foram 17 centímetros em pouco menos de 9 horas. Bairros das regiões Norte e Central estão alagados.

Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Porto Alegre enfrenta o mês de maio mais chuvoso desde 1961: foram mais de 306 milímetros desde o dia 1º, o triplo do esperado.

O Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) aponta para uma cheia duradoura do Guaíba, e repique com nova elevação que pode chegar até 5,5 metros. O lago apresentou leve alta no domingo com oscilações entre 4,62 m e 4,65 m, após descer lentamente durante a última semana.

Evacuação em Canoas

A prefeitura de Canoas pediu que a população dos bairros Niterói, Rio Branco, Fátima, Mato Grande, Harmonia, Mathias Velho e São Luis evacuem à região diante do risco de novas inundações.

A cidade foi uma das mais afetadas na Região Metropolitana de Porto Alegre na primeira semana de maio, quando o nível do lago Guaíba e do Rio Jacuí invadiram a cidade.

Região Sul

A Região Sul do estado também está em alerta. Mais de 2 mil pessoas estão fora de casa em Pelotas e Rio Grande devido ao aumento do nível da Lagoa dos Patos. A prefeitura de Pelotas orienta que moradores de áreas de risco deixem suas casas e procurem abrigo.

O Canal São Gonçalo, em Pelotas, que deságua na lagoa, bateu a marca de 2,88 metros, o mesmo nível da enchente de 1941, na noite de domingo. O governador Eduardo Leite alertou para a invasão das águas nas cidades de São Lourenço do Sul, Pelotas, São José do Norte e Rio Grande.

Região dos Vales

O Cemaden emitiu no domingo (12) novo alerta de riscos hidrológicos e geológicos muito altos no estado. O Rio Taquari, que desagua no Guaíba, ultrapassou os 26 metros no domingo à noite em Lajeado, tirando cerca de 1,1 mil de casa. Em Estrela, são 10 mil que precisaram de acolhimento em abrigos públicos ou casa de amigos e parentes.

O Rio Caí, que já está em cota de inundação, deve “apresentar elevação, gerando inundações severas”, conforme a Defesa Civil do estado. O tráfego na ponte sobre o Rio Caí, na BR-116, está interditado desde a tarde de domingo (12).

Região da Serra

Apesar de não sofrer com alagamentos, o problema das cidades da Serra do Rio Grande do Sul são os deslizamentos de terra, já que estão localizados em regiões mais altas, próximas de morros.

Em Caxias do Sul, moradores ficaram assustados após terem sentido tremores de terra. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil investigam as causas e avaliam a região para se certificar se há ou não risco à população.

Já em Gramado, uma rua desmoronou por causa das chuvas dos últimos dias. Quase 1 mil pessoas tiveram que sair de casa em diferentes bairros da cidade devido a infiltrações em imóveis e risco de deslizamentos de terra.

Tendência

De acordo com a Climatempo, a previsão é de temporais para as regiões da Serra, Litoral Norte, e Norte.

Entre terça (14) e quarta-feira (15), a previsão é de tempo firme, com queda de temperaturas a ponto de haver geada em algumas regiões.

Na quinta-feira (16), a previsão indica o retorno da chuva.

Tragédia no RS

Com duas mortes confirmadas nesta segunda-feira (13), o Rio Grande do Sul chegou a 147 vítimas dos temporais e cheias que atingem o estado desde o final de abril. O boletim da Defesa Civil ainda contabiliza 127 desaparecidos e 806 feridos.

O número de pessoas fora de casa subiu para mais de 619 mil. Quase 81 mil estão em abrigos e 538 mil estão desalojados (em casa de amigos e parentes).

Fonte: g1.globo.com

Veja também: Temporais no RS: rua desmorona após chuva em Gramado e nos acompanhe nas redes sociais.

Veja também

O Governo do Estado concluiu o primeiro trecho das obras de reurbanização da Avenida 22 de Maio, em Itaboraí
às
A população de Casimiro de Abreu demonstrou grande solidariedade às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul
às
Uma nova frente fria deve se estabelecer no Brasil neste final de semana. Essa mudança na temperatura irá provocar o aumento
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] Alta nos rios volta a deixar o RS em alerta; Estudantes participam do desfile cívico de Rio Bonito Chuvas no RS: número de mortos […]

Últimas Notícias