Presos no Rio conseguem aprovação para universidades públicas pelo Sisu

às

Com o número de 986 inscritos na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), 17 internos do sistema penitenciário conseguiram acesso ao Ensino Superior, após a divulgação dos resultados do Sisu, de acordo com os critérios do programa.

Classificados em cursos como Engenharias de Produção e Naval, Matemática, Turismo e Farmácia, os internos que estiverem cumprindo pena no regime semiaberto poderão, com autorização do juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), sair para estudar durante o dia e retornar à noite.

Com o objetivo de garantir a ressocialização, a Secretaria de Administração Penitenciária, através da Subsecretaria de Tratamento Penitenciário, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC), usa uma metodologia que oferece recursos pedagógicos através de vídeos-aulas, animações, atividades interativas e apostilas, possibilitando-lhes o desenvolvimento da autonomia da aprendizagem e na construção do conhecimento. Além disso, as unidades prisionais contam com escolas, onde são ministradas aulas de ensinos fundamental e Médio.

Segundo o coordenador de Inserção Social da secretaria, Geovani Lima, o empenho do preso ao ensino demonstra o seu interesse na mudança.

– Acompanhar o acesso dos internos às vagas de uma instituição de Ensino Superior é gratificante. Alguns começaram a estudar dentro do sistema prisional desde o Ensino Fundamental e avançaram com muito esforço para buscar a melhoria de suas vidas por meio da Educação –  ressaltou.

Veja também

Com o avanço da epidemia dengue na cidade, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS) tem tomado uma série de medidas contra a proliferação
às
O registro da Onça-parda, raro do felino macho foi feito nos dias 6 e 7 de fevereiro, por meio de armadilhas fotográficas
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias