Com ajuda de agência de investigação internacional, Polícia Civil prende homem por armazenar pornografia infantil

às
FOTO PARA SITE MODELO (3)

Na semana em que é celebrado o Dia das Crianças, policiais civis da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) prenderam um homem em flagrante, nesta quarta-feira (11/10), por armazenar farto material de pornografia infantil. A ação faz parte da “Operação Bad Vibes”, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, realizada em diversos estados do país para combater a exploração sexual infantojuvenil.

Os agentes identificaram o autor preso após investigação e troca de informações com a agência Homeland Security Investigations (HSI), da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília, e encaminhadas pelo Laboratório de Operações Cibernéticas (Ciberlab) do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A equipe da DCAV constatou a participação de grupos de compartilhamento de pornografia infantil em aplicativos de mensagens e em redes sociais e seis consumidores do material.

A partir de um trabalho de inteligência e monitoramento, os agentes seguiram ao local indicado, no bairro Brás de Pina, na Zona Norte da capital, e prenderam um dos suspeitos. Durante a operação, os agentes também cumpriram seis mandados de busca e apreensão em outros endereços e apreenderam laptops, telefones celulares e documentos, que serão utilizados para o desdobramento das investigações.

– Esta ação, realizada às vésperas da data em que se comemora o Dia das Crianças, demonstra a preocupação que a Polícia Civil tem com a proteção das crianças e adolescentes e o ininterrupto combate travado contra qualquer abuso e exploração sexual – declara a titular da DCAV, delegada Raissa Celles.

Ascom Polícia Civil

 

Veja também

Ministério Público do estado, Secretaria de Polícia Civil e Delegacia de Homicídios também foram oficiados
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias