Maricá promove Dia D de Multivacinação para crianças e adolescentes neste sábado

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza neste sábado (16/10) o Dia “D” de Mobilização Nacional da Campanha Nacional de Multivacinação, para atualizar o cartão de crianças e adolescentes menores de 15 anos que estiverem com alguma vacina em atraso. A imunização acontecerá em todas as Unidades de Saúde da Família (USF) do município, das 8h às 17h.

A secretária municipal de Saúde, Solange Oliveira, convocou a população para comparecer aos postos.

“O Dia D é uma oportunidade àqueles que não podem comparecer a um posto durante a semana. Se é o seu caso, procure um dos postos de vacinação neste sábado e ajude o município a atingir a meta de vacinação da população”, convocou a secretária.

A Campanha Nacional de Multivacinação vai até o dia 29 de outubro com todas as vacinas disponíveis pelo SUS para essa faixa etária nas 24 USF, de segunda a sexta-feira, de 8 às 17h.

Dentre as vacinas que estarão disponíveis nos postos na campanha estão: BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), Febre amarela, Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba), Tetraviral (Sarampo, rubéola, caxumba, varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Prefeitura de Rio Bonito seguirá vacinando adolescentes sem comorbidades

Em comunicado oficial divulgado na tarde deste sábado (18), a Prefeitura de Rio Bonito anunciou que manterá a vacinação para adolescentes de 12 a 17 anos “com ou sem comorbidades”. A nota ainda afirma que os benefícios da aplicação das doses “superam substancialmente os riscos”. O comunicado é assinado pelo Dr. Marcelo Costa Velho Mendes de Azeved, integrante do Comitê Municipal da Covid-19

Os benefícios da vacinação de adolescentes superam substancialmente os riscos. A incidência de eventos adversos graves, como miocardite e/ou pericardite, é de 16/1.000.000 de pessoas que recebem duas doses da vacina. A própria Covid-19 pode causar danos cardíacos relevantes, tanto em adultos como em adolescentes, com uma frequência mais elevada”, afirmou a prefeitura em um trecho da nota.

A nota também salienta que a “vacina da Pfizer/BioNTech foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para ser aplicada em adolescentes de 12 a 17 anos por ter apresentado eficácia e segurança nesta faixa etária em estudos clínicos que seguem as normas internacionais de ‘boas práticas clínicas’”.

Leia na íntegra o comunicado abaixo:

NOTA OFICIAL
Assessoria técnica da Secretária Municipal de Saúde
A vacina da Pfizer/BioNTech foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para ser aplicada em adolescentes de 12 a 17 anos por ter apresentado eficácia e segurança nesta faixa etária em estudos clínicos que seguem as normas internacionais de “boas práticas clínicas”, conforme informação disponibilizada em seu site eletrônico (http://www.gov.br/…/anvisaautoriza-vacina-da-pfizer…).
Os benefícios da vacinação de adolescentes superam substancialmente os riscos. A incidência de eventos adversos graves, como miocardite e/ou pericardite, é de 16/1.000.000 de pessoas que recebem duas doses da vacina. A própria Covid-19 pode causar danos cardíacos relevantes, tanto em adultos como em adolescentes, com uma frequência mais elevada.
Vários países já iniciaram a vacinação de adolescentes. A investigação dos eventos adversos nesta população é motivo de atenção e acompanhamento. Porém, em nenhum local, houve a suspensão desta recomendação por essa razão.
A significativa redução de novos casos e de mortes por Covid-19 no Brasil nos últimos meses, deve-se principalmente ao avanço da vacinação da população. Suspender a vacinação de adolescentes nesse momento pode prejudicar o bom andamento do controle da pandemia no território nacional, estadual e municipal, bem como gerar insegurança quanto ao uso dos imunizantes.
Todas as vacinas oferecidas no Brasil são seguras, eficazes e têm autorização da Anvisa. A vacina utilizada em adolescentes no Brasil é altamente segura e utilizada em larga escala em diversos países do mundo.
Baseados em informações técnico-científicas relatadas, o município manterá a vacinação ao grupo de adolescentes, com e sem comorbidades.
Reiteramos que a Secretaria de Saúde revisará, sempre que necessário, suas recomendações, com base em dados de segurança e na evolução das evidências científicas.
Membro do Comitê Covid-19: Dr Marcelo Costa Velho Mendes de Azevedo | CRM 52 780669

 

Crédito: www.atribunarj.com.br

FOTO: Milene Ponce de Leon

Covid-19: mais de 1 milhão de adolescentes já foram vacinados

Balanço divulgado no útimo dia 28, pelo Ministério da Saúde aponta que, até este sábado, mais de um milhão de doses de vacina contra a covid-19 foram aplicadas nos adolescentes entre 12 e 17 anos. Com o avanço da vacinação em adultos no Brasil, estados e municípios já começaram a imunizar o público dessa faixa etária.

A orientação da pasta é que a imunização dos adolescentes só seja iniciada depois que as cidades aplicarem a primeira dose em toda a população adulta.

Outra recomendação é que os municípios apliquem a vacina da Pfizer, pois esse é o único imunizante com aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para vacinar esse público.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, até o dia 15 de setembro, o Brasil terá recebido outras 150 milhões de doses para imunizar toda a população adulta e, assim, avançar a vacinação para o público adolescente.

“São mais de 20 milhões de adolescentes entre 12 e 17 anos. Com a chegada de mais doses da Pfizer até o fim de setembro, teremos doses suficientes para distribuir imunizantes e vacinar, não só os adolescentes, mas também aplicar a dose de reforço nas pessoas com mais de 70 anos e imunossuprimidos. Mas é importante que os municípios concluam a vacinação dos adultos com a primeira dose”, disse, em nota, o secretário-executivo.

De acordo com Rodrigo Cruz, entre as razões para a escolha da Pfizer, estão ainda a conclusão das entregas das doses das vacinas Coronavac e AstraZeneca. A previsão é que o Instituto Butantan conclua a entrega das 100 milhões de doses contratadas da Coronavac até o fim do mês de agosto. Além disso, as doses da AstraZeneca a serem entregues pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) serão destinadas para a aplicação da segunda dose.

“Há ainda doses da Janssen a serem entregues ao Ministério da Saúde. Só que essas doses estão previstas para chegar em outubro. Dessa forma, as doses que teremos disponíveis para aplicar dose de reforço, bem como imunizar adolescentes, serão as doses do imunizante da Pfizer”, afirmou o secretário.

Até o momento, o Ministério da Saúde distribuiu mais de 230 milhões de doses de vacina contra a covid-19. Dessas, mais de 187 milhões foram aplicadas, sendo 128,4 milhões em primeira dose, o que corresponde a 79,8 % da população adulta com ao menos uma dose de vacina. A pasta informou ainda que mais de 59 milhões de brasileiros já completaram o esquema vacinal, ou seja, 36,9 % da população-alvo.

 

Fonte: agenciabrasil