Mãe do cantor gospel Delino Marçal é morta após agressão na porta de igreja em Goiânia

A mãe do cantor gospel Delino Marçal foi morta após ser agredida na porta da igreja Assembleia de Deus, nesta sexta-feira (14), em Goiânia. A Polícia Civil apurou que o suspeito, de 22 anos, invadiu o templo e começou uma briga com um homem. Depois, ele agrediu a idosa com um objeto de metal. Ele foi preso em flagrante.

O nome do suspeito não foi divulgado pela polícia. Por isso, o g1 não localizou a defesa para se manifestar sobre o caso até a última atualização desta reportagem.

De acordo com a Polícia Civil, a idosa foi identificada como Odete Rosalina Machado da Costa, de 79 anos. Ela era pastora na igreja onde foi morta.

O boletim de ocorrência narra que a idosa foi encontrada na calçada.

“O autor teria se envolvido em uma briga com parentes e logo após saiu para rua. Ele entrou na igreja e iniciou uma briga com um homem. Logo em seguida, teria acertado a vítima com vários golpes usando um objeto de metal”, diz trecho do boletim de ocorrência.

O Corpo de Bombeiros compareceu ao local, porém a vítima não resistiu a agressão.

Segundo a polícia, o homem fugiu do local após agredir a idosa e começou a jogar pedras em ônibus do transporte coletivo.

 

Quem é Delino Marçal

Delino Marçal é cantor e compositor conhecido nacionalmente. Entre suas canções que fizeram muito sucesso estão “Deus é Deus”, “Sonho Grande” e “Que amor é esse”. O artista, antes de seguir carreira solo, fez músicas para cantores renomados como Henrique César, Elias Souza, dentre outros.

Em 2019, Delino Marçal venceu o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa.

 

Crédito: g1

Jovem de 21 anos imobiliza pai para evitar que agredisse a mãe, em Anápolis (GO)

Um jovem de 21 anos teve que imobilizar o pai, de 55, para evitar que ele agredisse a ex-esposa, mãe do rapaz, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Fotos feitas no local mostram o filho ajoelhado sobre o investigado, pressionando um dos braços dele contra o chão para que não pudesse se levantar.

A situação aconteceu na tarde de sábado (16), na casa da mulher, que tem 43 anos, no Setor Campos Elíseos. A Polícia Militar prendeu o homem, registrou a versão da vítima e levou os envolvidos à Central de Flagrantes da cidade.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que o homem continua preso, na manhã desta segunda-feira (18), na Unidade Prisional Regional de Anápolis.

g1 não conseguiu descobrir quem representa o investigado para pedir uma posição sobre o caso.

Crédito: g1.globo.com

Homem agride esposa e filha, e coloca fogo na própria casa, em Maricá

Um homem de 56 anos foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio e lesão corporal contra a esposa e a filha, em Maricá. Na tarde da última segunda-feira (6), ele agrediu a esposa, de 52 anos, e a filha, de 25, e colocou fogo na casa onde elas estavam. As informações são da TV Globo. Segundo as vítimas, o homem tinha histórico de violência doméstica, e a briga teria começado por problemas familiares. Testemunhas afirmaram que o agressor é pastor evangélico.

O caso aconteceu no bairro Jacaroá. Bombeiros conseguiram controlar o incêndio na casa, que teria começado em um dos quartos. A sogra do homem, uma idosa cadeirante de 83 anos, estava no imóvel e foi retirada da casa por vizinhos. As três vítimas não se feriram no incêndio. Já o homem se feriu ao cair de um muro tentando apagar o fogo e ficou internado sob custódia, mas já teve alta.

 

 

Crédito: Jornal Extra

Homem é preso após agredir a ex-mulher com termômetro quebrado

Um jovem de 25 anos foi preso na tarde de quarta-feira (16) por agredir e roubar a ex-companheira em Barra do Piraí (RJ). Os dois têm um filho de dois anos. As informações são da Polícia Civil.

Contra o rapaz, de 25 anos, havia uma medida protetiva que o proibia de se aproximar da mulher. Mesmo assim, entrou na casa da vítima sem que ela percebesse na noite de terça-feira (15) e a agrediu com socos e com um termômetro que ele quebrou pra utilizá-lo como arma.

Com o objeto pontiagudo e cortante, ele desferiu vários golpes nas costas da ex e foi embora levando uma certa quantia em dinheiro.

A mulher foi até a delegacia deu aos agentes detalhes do que tinha acontecido. A partir da denúncia, policiais civis e militares conseguiram localizá-lo no bairro São João, em Barra do Piraí. Ele ficou preso e vai responder por agressão e roubo.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o agressor tem antecedentes criminais por lesão corporal, ameaça, constrangimento ilegal, violação de domicílio, dano e porte de arma.

“A maioria dos casos de violência doméstica são subnotificados, sequer chegam ao conhecimento da polícia. É muito importante que as mulheres se encorajem e denunciem os agressores à Polícia Civil. Todos os casos serão analisados e terão resposta firme. É preciso combater com contundência todo tipo de violência contra a mulher, seja física, sexual, patrimonial, psicológica, inclusive assédio sofrido nas relações de trabalho. Contem com a Polícia Civil”, informou o delegado Rodolfo Atala.

Jovem acusa segurança por agressão ao tentar entrar com o pai em hospital do Rio

Uma jovem de 20 anos diz que caiu e quebrou o braço e dois dentes durante uma discussão com seguranças no Hospital Pedro II, na Zona Oeste do Rio, na madrugada de quinta-feira (20).

Stefany Ávila conta que chegou à unidade de saúde com falta de ar e, como não conseguia falar, tentou entrar com o pai, mas foi informada pelos seguranças que ele não poderia acompanhar o atendimento.

Segundo ela, os seguranças disseram que somente um médico poderia autorizar a entrada.

Mesmo assim o pai resolveu acompanhar a filha no hospital. Os seguranças tentaram impedir e teve início uma briga.

“Os seguranças foram atrás da gente, puxou o meu pai pelo braço, encurralou ele, e eu entrei em desespero achando que ia acontecer alguma coisa com ele e fui tentar defender ele. Não agredi, mas fui pra cima do segurança pra tentar apartar, tirar eles dois. Porque eram dois seguranças e meu pai sozinho. Eles continuaram. Eu pedindo pra ele parar, parar e deixar ele entrar comigo. Eu sei que eu caí no chão, foi uma porrada muito feia, portando eu quebrei o meu braço e quebrei dois dentes meus, da frente”, conta Stefany.

O pai da jovem disse que a filha só foi atendida depois que a polícia chegou.

“Ela só foi atendida depois que a viatura chegou, pra passar pelo médico. Fomos, fizemos o procedimento, certo, passou pelo médico, fomos fazer a ocorrência na delegacia, sendo que o agressor tava lá e o polícia não prendeu ele em flagrante”.

O caso foi registrado na 36ª DP (Santa Cruz).

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a direção do Hospital Pedro II informou que está acompanhando a investigação e quer esclarecer os fatos.

A secretaria informou ainda que o segurança envolvido na briga foi afastado de todo o contato com público.

 

Fonte: g1.globo.com