Em meio a onda de calor, cidade Argentina é invadida por besouros

Uma cidade da Argentina foi invadida por milhares de besouros em meio a uma onda de calor sem precedentes que atinge a região nesta semana.

Como medida para tentar reduzir os efeitos do ataque e tentar enganar os insetos, a prefeitura de Santa Isabel, na província de La Pampa, ordenou apagar a iluminação pública.

Segundo a imprensa local, há registro de danos em propriedades públicas e privadas, e dezenas de fotos nas redes sociais mostram os besouros acumulados em tetos e calhas da cidade.

“É impressionante a quantidade”, disse o chefe de polícia Omar Sabaidini ao site regional Info Huella. “Em alguns casos provocaram danos às construções, na delegacia estragaram a cobertura.”

A medida de apagar as luzes durante a noite é uma aposta de Cristian Echegaray, responsável pela administração local, após reunião com o corpo de bombeiros e polícia.

“Resolvemos apagar a iluminação pública porque esse inseto busca lugares iluminados”, justificou Echegaray ao Info Huella.

Cindy Fernández, funcionária do Serviço Meteorológico Nacional, comentou em sua rede social que os animais – chamados em espanhol de cascarudos – “são inofensivos”, mas que voam descontroladamente e saem trombando com força contra tudo o que estiver pelo caminho.

Os insetos, que pertencem à família Melolonthidae (Coleoptera), vivem parte de seu ciclo como larvas enterradas no solo, e no verão com temperaturas crescentes, os adultos vêm à superfície para iniciar sua reprodução – e depois morrem. Com as altas temperaturas deste ano, essa dinâmica foi alterada.

A esperança da população de Santa Isabel, a 860 km de Buenos Aires, é de que os insetos comecem a evitar a área nos próximos dias, por conta da falta de iluminação.

O engenheiro agrônomo Gabriel Lara afirmou que os besouros – assim como outros insetos – são atraídos pela luz, no fenômeno conhecido como fototaxia.

Enquanto isso, moradores e autoridades locais passam o dia retirando os cascudos e enchendo caixas e carrocerias com milhares de besouros para retirá-los da área urbana.

 

Após recusa do governo federal, Argentina oferece ajuda direta à BA e governador diz que aceitará sem passar pela diplomacia brasileira

Após a recusa do governo Federal em receber ajuda humanitária da Argentina, o governador da Bahia, Rui Costa, anunciou, através das redes sociais, que o estado aceitará ajuda de forma direta, sem que o apoio precise passar pela diplomacia brasileira.

“A Argentina ofereceu ajuda humanitária às cidades afetadas pelas chuvas na Bahia, apesar da negativa do Governo Federal. Me dirijo a todos os países do mundo: a #Bahia aceitará diretamente, sem precisar passar pela diplomacia brasileira, qualquer tipo de ajuda neste momento”, disse o governador pelas redes sociais.

“Os baianos e brasileiros que moram aqui no estado precisam de todo tipo de ajuda. Estamos trabalhando muito, incansavelmente, para reconstruir as cidades e as casas destruídas, mas a soma de esforços acelera este processo, portanto é muito bem-vinda qualquer ajuda neste momento”, completou.

De acordo com o governo estadual, a Argentina ofereceu envio imediato de dez profissionais especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas de desastres. Antes da recusa do Itamaraty, o governador do estado chegou a fazer um pedido de autorização para a missão estrangeira. No entanto, o Ministério das Relações Exteriores recusou o apoio.

O g1 teve acesso com exclusividade ao documento do Ministério das Relações Exteriores que foi enviado à embaixada da Argentina que dispensa a ajuda oferecida. Em um trecho do documento, o governo federal afirma que os recursos pessoal e financeiro são suficientes, com reserva de R$ 200 milhões para enfrentar a emergência.

Nesta quinta-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro comentou a negativa. “Em contato com o Itamaraty, a Chancelaria Argentina ofereceu assistência de 10 homens (“capacetes brancos”) para trabalho de almoxarife e seleção de doações, montagem de barracas e assistência psicossocial à população afetada pelas enchentes na Bahia”, escreveu Bolsonaro nas redes sociais.

“O fraterno oferecimento argentino, porém muito caro para o Brasil, ocorre quando as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando aquele tipo de assistência à população afetada, inclusive com o apoio de 3 helicópteros da Marinha e Exército”

Segundo Bolsonaro, o auxílio da Argentina não é necessário no momento em que mais de 629 mil pessoas são afetadas pelas chuvas na Bahia, e 91.258 estão desabrigadas ou desalojadas. Ao todo, 136 cidades baianas estão em situação de emergência.

“A avaliação foi de que a ajuda argentina não seria necessária naquele momento, mas poderá ser acionada oportunamente, em caso de agravamento das condições. A resposta do Ministério das Relações Exteriores à Embaixada Argentina é clara a esse respeito”.

O presidente informou ainda que o governo federal está aberto a ajuda e doações internacionais.

“Ontem [quarta, 29], o Itamaraty aceitou doações da Agência de Cooperação do Japão (JICA): são barracas de acampamento, colchonetes, cobertores, lonas plásticas, galões plásticos e purificadores de água, que chegarão à Bahia por via aérea e/ou serão adquiridos no mercado brasileiro”.

 

Crédito: g1

 

Brasil vence a Argentina no vôlei masculino

O Brasil venceu a Argentina no vôlei masculino, na tarde de hoje (26) no Brasil – já madrugada no Japão. Em uma partida muito emocionante e equilibrada, sobretudo na reta final, a seleção brasileira conseguiu virar um placar desfavorável, de dois sets a zero, e vencer no tie-break. No final, 3 sets a 2 para o Brasil, ainda invicto na Olimpíada. Já a Argentina amarga a segunda derrota no grupo.

O Brasil começou mal e cometendo muitos erros. Do outro lado, os argentinos faziam um bom jogo, com destaque para Palacios e Bruno Lima, maior pontuador do jogo, com 26 pontos. O primeiro set terminou 25 a 19 e o segundo 25 a 21, ambos para a Argentina. O Brasil reagiu e corrigiu os erros. Fechou o terceiro set por 25 a 16, mas demorou a engrenar. No quarto set, a seleção brasileira iniciou mal, mas se superou e venceu por 25 a 21. O empate, então improvável, veio.

tie-break foi muito equilibrado. O Brasil, já ajustado e recuperado dos erros do início, ficava atrás sempre por um ponto, até o 12º. No ponto seguinte, na reta final e quando realmente era necessário, o time comandado por Renan Dal Zotto virou com bloqueio de Maurício Souza. Os argentinos sentiram a pressão de uma derrota iminente após estarem vencendo por 2 a 0. Um erro no saque de Palacios foi o símbolo dessa desconcentração, deixando o Brasil a um ponto da vitória. Um novo erro do adversário, em um ataque de Conte para fora, selou a vitória de virada da seleção brasileira.

“Hoje a linha de passe deles funcionou tremendamente, principalmente nos dois primeiros sets, mesmo nosso saque sendo forçado. Mas eu fiquei muito feliz com a vitória e com a demonstração de equipe. Quem tá saindo joga junto, torcendo para quem tá lá dentro. Isso é fundamental”, disse o técnico brasileiro logo após a partida.

Na próxima rodada, o Brasil enfrenta os atletas do Comitê Olímpico Russo; a Argentina joga contra a França.

 

Fonte: Agência Brasil

Idosa escapou de ser cremada viva na Argentina

Uma idosa de 84 anos de idade escapou de ser cremada viva na Argentina. Durante o velório, a filha dela percebeu que a mulher ainda respirava. A descoberta aconteceu momentos antes de o caixão ir para o forno crematório.

A idosa foi levada para um hospital e foi constatado que ela tinha sinais vitais. Ela segue internada no local e sua filha espera que a clínica que atestou o óbito seja processada pelo possível erro. O caso está sendo investigado.

 

Fonte:  osaogoncalo.com.br

Senado da Argentina aprova aborto legal nesta quarta-feira

O Senado da Argentina aprovou a legalização do aborto nesta quarta-feira. A votação acirrada foi realizada às 4h, depois de uma maratona de debates que durou ao longo da noite.

Por 38 votos a 29 e uma abstenção, o Senado apoiou a proposta do governo para permitir a interrupção da gravidez até a 14ª semana de gestação. A câmara baixa do Parlamento argentino já havia aprovado a medida no mês passado.

O presidente argentino, Alberto Fernández, disse após a votação, que a lei ampliava os direitos das mulheres. “O aborto seguro, legal e livre é lei. Hoje somos uma sociedade melhor que amplia os direitos das mulheres e garante a saúde pública”.

América Latina

Antes da Argentina, a interrupção da gravidez era permitida em caso de vontade da mulher em Cuba, no Uruguai e em algumas partes do México.

 

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br