Vítima da covid-19, morre médico que atuava na UPA de Silva Jardim

Médico que atuava na UPA de Silva Jardim, morreu nesta quinta-feira 4 de Março, vítima da Covid-19. Colegas de trabalho relataram que Adolfo Wiechmann, de 70 anos, estava internado em um hospital de Niterói, e devido a um agravamento da doença, acabou não resistindo.

A Prefeitura de Silva Jardim divulgou uma nota de pesar, lamentando a morte do profissional da saúde. “Um médico exemplar, que não media esforços para ajudar a todos. Neste momento de dor, nos solidarizamos com seus familiares ratificando o nosso voto de pesar e agradecimento à dedicação e trabalho prestado ao município”, diz a nota, publicada no perfil oficial do município, nas redes sociais.

Informações sobre o horário do sepultamento do corpo do médico não foram divulgadas. Adolfo morava em Maricá, na Região Metropolitana do Rio, e, além de atuar na UPA de Silva Jardim, o médico também fazia parte da equipe de resgate da concessionária Artéris, responsável pela BR-101.

Wiechmann é o segundo médico que trabalhava na UPA de Silva Jardim, e que morreu vítima da Covid-19. No dia 5 de janeiro deste ano, a ginecologista obstetra Heloise Barros de Assumpção, de 59 anos, moradora da cidade, também morreu em decorrência do novo coronavírus.

 

 

 

Fonte: informerj.com.br

MPRJ expede Recomendação para que Rio Bonito promova correções na Central de Armazenamento das Vacinas contra a Covid-19

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Região Metropolitana II, expediu, na última sexta-feira (12/02), Recomendação ao município de Rio Bonito, em nome do prefeito e do secretário municipal de Saúde, para que adotem medidas para a correção de problemas identificados na Central de Armazenamento das Vacinas contra a Covid-19, identificados durante vistoria realizada pessoalmente pelo parquet fluminense no dia 10/02. Lembra o MPRJ que é atribuição dos municípios o planejamento integrado e o armazenamento de imunobiológicos recebidos, incluindo o monitoramento deste planejamento local, em especial no que tange à temperatura e ao transporte da vacina a fim de prevenir o seu congelamento e a sua qualidade, de forma a garantir uma vacinação eficiente e segura à população.

Para a correção das inadequações encontradas na Rede de Frio de Rio Bonito, o MPRJ recomenda ao município a adoção de uma série de medidas, tais como que observe o Plano Nacional de Operacionalização contra Covid-19, bem como o Manual de Rede de Frio do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, que recomenda o uso de geradores de energia elétrica, nobreak ou, ainda, câmaras refrigeradas, uma vez que o municipio não possui camaras frias em funcionamento, mas apenas geladeiras domesticas com registro de temperaturas inadequadas para conservação das vacinas; que seja providenciada a manutenção dos refrigeradores existentes para adequar a temperatura das vacinas, evitando a perda ou a ineficácia das doses vacinais; que seja elaborado um plano de contingencia que garanta a segurança do funcionamento dos equipamentos para o caso de eventos fortuitos como ausencia de energia eletrica, curto circuito, alagamento etc; que seja realizada a aquisição de caixas térmicas e termômetros para garantir a cobertura vacinal do município, haja vista a constatação de isopor, no lugar de caixas termicas, e a ausencia de termometro na sala de vacinação, inviabilizando o controle da temperatura para garantia da qualidade das vacinas.

E ainda: que seja promovida a descentralização da vacinação do município para as unidades básicas de saúde/Saúde da Família a fim de ampliar o acesso e a cobertura vacinal; que os agentes responsáveis pela vigilância e segurança das Centrais sejam capacitados para a identificação adequada de problemas que possam comprometer os imunobiológicos, comunicando imediatamente ao técnico responsável; e que, diante da escassez de vacinas, a campanha de vacinação seja organizada de modo a contemplar os grupos prioritários elencados no Plano Nacional, observando-se critérios de maior vulnerabilidade e grau de exposição; entre outros pontos, como dar cumprimento integral à Recomendação nº 04/2021, que trata da necessidade de se conferir maior transparência ao processo de vacinação no município.

Foi estabelecido prazo de 48 horas para manifestação das autoridades municipais sobre a presente Recomendação. A omissão no cumprimento da mesma poderá ensejar a responsabilização por ato de improbidade administrativa com a eventual aplicação de medidas que vão da cominação de multa à perda do cargo.

Búzios não tem casos de covid confirmados nas últimas 24 horas e zera número de pacientes internados

A Prefeitura de Armação dos Búzios, na Região dos Lagos do Rio, divulgou, por meio da secretaria de Saúde, que não registrou novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas e disse que não há mais pacientes internados com a doença na cidade.

As informações foram divulgadas com base no último boletim epidemiológico desta quarta-feira (17).

A secretaria de Saúde afirmou que reforçou a atuação diária para evitar a evolução do vírus no município e disse que todas as medidas de enfrentamento estão sendo tomadas desde o início do ano.

Em dezembro de 2020, a Justiça chegou a determinar que os turistas deixassem a cidade e que o município adotasse medidas mais restritivas para evitar a propagação do novo coronavírus. Dois dias depois, uma liminar suspendeu a decisão de fechamento da cidade.

Segundo o Secretário de Saúde, Dr. Marcelo Amaral, Búzios conta, atualmente, com mais de 40 agentes comunitários para garantir a segurança da população.

“Foram colocados mais de 40 novos agentes da saúde para fazer o levantamento precoce de casos de estado gripal. Automaticamente, esses pacientes são conduzidos às tendas de triagem para tratamento imediato”, disse o secretário.

Segundo a Prefeitura, por dia, Búzios atende, em média, cerca de 40 pacientes com sintomas semelhantes ao da Covid-19. Para atender essa demanda, foi necessário aumentar o efetivo de médicos na cidade.

Os atendimentos são realizados em duas tendas especializadas nos casos de Covid-19, localizadas nos bairros da Rasa e Ferradura, além de dois plantonistas na tenda do Hospital Municipal Rodolpho Perissé, que opera 24h por dia, e um plantonista na ala de Covid da unidade.

Desde o início da pandemia até esta quarta, a cidade já registrou 3.136 casos confirmados e 32 mortes pela doença. Duas dessas mortes foram registradas neste ano.

Fonte: g1.globo.com

Profissional da Saúde denuncia falta de pagamento em Cabo Frio

Uma profissional da Saúde de Cabo Frio-RJ, que não quer ser identificada, mandou uma denúncia para os canais de comunicação do nosso portal de notícias.

Ela afirmou que os novos contratados da Saúde de Cabo Frio ainda não receberam salário e que não há uma previsão para o pagamento ser efetuado.

A denunciante afirma, que muitos profissionais que trabalham nos Postos de saúde do município não foram vacinados com a primeira dose do imunizante contra a covid-19.

De acordo com o relato dela, aqueles que foram vacinados com a Pneumo 23 no dia 26/01/2021, foi pedido a eles que aguardassem 14 dias para tomarem a vacina contra o coronavírus, e que à Secretaria de Saúde iria reservar as doses para que todos os trabalhadores dessas unidades fossem imunizados em 09/02/2021.

No entanto, essa data já passou e nada foi cumprido. Segundo a profissional, uma funcionária que se apresentou como chefe da Secretaria mandou um áudio grosseiro sem dar datas para a solução do problema, dizendo que eles eram de casa e que poderiam esperar até que tudo fosse resolvido.

A profissional da saúde municipal também relatou, que todos os seus colegas de trabalho estão revoltados, porque estão vendo professores de educação física e biólogos serem imunizados, e eles que são da linha de frente sendo deixados pra trás da fila de imunização.

Procurado pelo Rlagos, a Prefeitura de Cabo Frio informa que está finalizando os trâmites burocráticos relacionados às contratações mencionadas. A previsão é de o pagamento para este grupo seja concluído nos próximos dias.

A Prefeitura informa ainda que aguarda o envio de nova remessa da vacina contra a Covid-19 pelo Ministério da Saúde, para continuar a vacinação do primeiro grupo estabelecido pelo calendário do Governo Federal.

Este grupo é composto por profissionais de saúde, idosos residentes em abrigos, pessoas com deficiência institucionalizadas, indígenas e quilombolas. De acordo com o Ministério da Saúde este público-alvo é de 7.196 pessoas.

Apesar de o intervalo entre as as vacinas já ter de cumprido, o município ainda não recebeu nova remessa para continuar a vacinação do grupo citado. O Ministério da Saúde e a Secretária de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES/RJ) ainda não deram previsão para o envio do imunizante.

 

 

 

Fonte: rlagosnoticias.com.br

Aplicação falsa de vacina é investigada em Niterói

A Secretaria Municipal de Saúde está investigando um caso de falsa aplicação da vacina contra a covid-19 em um idoso no drive thru do campus da Universidade Federal Fluminense (UFF), no Gragoatá. Em um vídeo que foi postado nas redes sociais é possível ver o momento que a enfermeira apenas injeta a seringa no braço do idoso e retira sem aplicar a dose. O caso aconteceu na sexta-feira (12).

A profissional de saúde que participa da ação já foi identificada e afastada das atividades, segundo a Prefeitura de Niterói, que também informou que o fato será devidamente apurado e a punição cabível será colocada em prática.

Em nota a prefeitura informou que a família do idoso foi procurada por uma equipe e imediatamente foi agendada a vacinação, no qual o médico e a enfermeira responsável realizaram a aplicação da vacina na casa do idoso.

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, além da auditoria que já é feita diariamente no local de vacinação, uma nova inspeção foi feita no local, e ficou constatado que apenas uma seringa foi descartada com líquido no dia do ocorrido.

 

 

 

Fonte: atribunarj.com.br