Vereador de Duque de Caxias é assassinado

Foi assassinado na manhã de hoje (13), a tiros de fuzil, o vereador Alexsandro Silva Faria, conhecido como Sandro do Sindicato, de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Segundo a Polícia Militar, agentes do 15º Batalhão (Duque de Caxias) foram acionados para uma ocorrência no bairro Pilar, onde havia um homem ferido por disparos de arma de fogo.

“A vítima não resistiu aos ferimentos e foi encontrada dentro de um veículo. O local foi isolado e a perícia da Polícia Civil acionada. A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF)”, diz a nota da Polícia Militar.

A Polícia Civil confirmou que a DHBF foi acionada e os agentes se dirigiram ao local. A ocorrência ainda está em andamento.

Sandro é o terceiro vereador de Duque de Caxias assassinado este ano. No mês passado, Joaquim José Quinze Santos Alexandre, conhecido como Quinzé, foi morto na Avenida Estácio de Sá, no Parque Novo Rio, em São João de Meriti, também na Baixada.

E em março, Danilo Francisco da Silva, o Danilo do Mercado, foi assassinado ao lado do filho, Gabriel da Silva, de 25 anos.

 

Fonte: Agência Brasil

Justiça suspende decreto do prefeito de Duque de Caxias e uso de máscara volta a ser obrigatório na cidade

A Justiça determinou a suspensão do decreto da Prefeitura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que permitia o fim do uso de máscaras no município. A decisão é de quinta-feira (7), da juíza Elizabeth Maria Saad, da comarca do município.

O pedido de suspensão do decreto foi feito pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo a magistrada, a cidade precisa apresentar dados técnicos que mostrem que a retirada das máscaras não comprometerá a estratégia de combate à Covid-19 no município.

“Até que o município apresente relatório técnico devidamente embasado em evidências científicas e em análises sobre as informações da cobertura vacinal no município, no qual deve ser apontado um razoável percentual de vacinas aplicadas (tanto da dose 1 como da dose 2), em especial nos grupos prioritários, apto a justificar tecnicamente a dispensa do uso de máscaras em locais públicos; bem como apresente estratégias em saúde, vigilância sanitária, mobilidade urbana, segurança pública e assistência social, demonstrando que a situação epidemiológica atual aponta para o controle da pandemia”, afirma a decisão.

A juíza afirma ainda que, caso os dados sejam positivos em relação à retirada das máscaras, a Prefeitura de Duque de Caxias deve consolidar um plano de retomada das atividades, com transparência nos critérios técnicos utilizados para a tomada de cada decisão.

Decreto

A Prefeitura de Duque de Caxias publicou, na última terça (5), um decreto desobrigando o uso de máscara facial em todo o município.

No decreto, o prefeito Washington Reis (MDB) determinou o fim da obrigação na cidade considerando o “alto número de pessoas vacinadas contra o novo coronavírus (Covid-19) no município”.

No texto, ele menciona ainda o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a autonomia dos municípios na tomada de decisões para combate à Covid.

O texto dizia ainda que a regra não se aplica a pessoas infectadas ou com suspeita de estarem contaminadas com o coronavírus durante o período de transmissão.

A prefeitura informou que aplicou mais de 900 mil doses da vacina contra Covid na cidade. O número de aplicações da primeira dose ultrapassou a marca de 70% da população alvo, e a segunda dose alcançou, até o momento, 46,8% do público alvo.

Crédito: https://g1.globo.com/

Uso de máscara deixa de ser obrigatório no município de Duque de Caxias

O uso de máscaras não vai ser mais obrigatório em Duque de Caxias. O prefeito da cidade da Baixada Fluminense, Washington Reis, publicou na última terça-feira (5) um decreto desobrigando o uso do equipamento de proteção facial no município.

Segundo o político, a medida foi tomada devido ao alto número de pessoas vacinadas contra a Covid-19 e a queda do número de casos e de internações em Caxias.

A ação já entrou em vigor desde a terça (5) e vale para locais abertos ou fechados da cidade. Em nota, a Prefeitura informou que a ação não se aplica no caso de pessoas que estejam infectadas ou com suspeita de estarem contamindas.

O comunicado também informou que Duque de Caxias já aplicou mais de 900 mil doses.

 

Crédito: https://bandnewsfmrio.com.br/

Polícia Civil investiga assassinato de vereador Quinzé, de Duque de Caxias

O vereador Joaquim José Quinze Santos Alexandre, o Quinzé, de Duque de Caxias, foi assassinado a tiros na noite deste domingo (12). De acordo com informações preliminares da Polícia Militar, o crime foi no limite entre Caxias e São João de Meriti, na Baixada Fluminense, na estrada São João-Caxias. Ainda não há informações sobre o motivo e a autoria do crime.

Segundo testemunhas disseram a policiais que foram acionados para o local do crime, o parlamentar foi ao local para visitar uma conhecida e, ao desembarcar, foi baleado por um homem que estava dentro de um carro branco.

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense investiga o crime.

Quinzé era ex-policial militar e tinha 66 anos. Em 2020, foi eleito vereador pelo PL com 2.364 votos.

Quem assumirá sua vaga na Câmara será Elson da Batata (PL).

 

Outro vereador assassinado

Em março, outro vereador, Danilo Francisco da Silva (MDB), o Danilo do Mercado, e o filho dele, Gabriel da Silva, de 25 anos, foram assassinados em Caxias.

Crédito: g1.globo.com

Polícia prende três suspeitos de envolvimento na morte de investidor Wesley Pessano

A Polícia Civil prendeu, na manhã de hoje, quinta-feira (02), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, três homens suspeitos de estarem ligados diretamente com o assassinato do investidor e influenciador digital Wesley Pessano, de 19 anos, que foi morto a tiros em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio, em agosto. Agentes da força-tarefa criada para investigar a execução do youtuber ainda procuram mais suspeitos. A Polícia Civil quer entender o que motivou a morte do rapaz, e uma possível queima de arquivo não é descartada. A operação foi batizada de Pullback (expressão que remete a um movimento de correção repentino que contraria a tendência do mercado).

Os detidos são Thiago Julio Galdino, Bruno Luzardo Vidal Sabajes, Valder Janilson Chaves dos Santos. Fabio Natan Nascimento, mais conhecido como FB, já é considerado foragido. Morador de Rio das Ostras, também na Região dos Lagos, FB é apontado pela polícia como o principal articulador do bando. De acordo com a investigação, Fábio participou de toda a empreitada criminosa. Ele estaria no Nissan Versa preto que seguiu o veículo da vítima, que dirigia um Porsche vermelho, e teria ligação com Edson Marinho, morador de Rio das Ostras, preso na primeira fase da operação.

Roberto Silva Campanha, apontado como o executor, foi levado de Nova Iguaçu para a Região dos Lagos, em 3 de agosto, quando ocorreu o assassinato, em um carro, um HB20, dirigido por Bruno, que retornou à Baixada Fluminense no mesmo dia. Roberto foi preso dias depois. O HB20 foi encontrado na casa de Bruno pelos agentes que participam da operação.

Após ser levado para a Cidade da Polícia, Thiago, um dos suspeitos, negou participação na execução de Wesley. “Eu não participei desse crime. Eu tenho casa lá (em Cabo Frio) há um ano. Eu não porto arma e não tive problemas com a Justiça. Eu não tenho nem noção por que eu estou sendo levado”.

 

Fonte: Jornal Extra