Polícia estoura fábrica clandestina de bebidas na Baixada Fluminense

Policiais civis da 59ª DP (Duque de Caxias) estouraram uma fábrica clandestina de bebidas em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, nesta quarta-feira (24/02). Segundo os agentes, os acusados adquiriam cervejas mais baratas, retiravam os rótulos das garrafas e trocavam por marcas de maior valor no mercado para lucrar indevidamente. Quatro pessoas foram presas em flagrante.

A fábrica funcionava no Parque Boa Vista, onde os agentes foram checar uma informação. Ao avistar o depósito, a equipe da 59ª DP percebeu uma movimentação, entrou no lugar e encontrou diversas caixas de cerveja, garrafas sem rótulos, instrumentos para fixar as tampas e material para colar as marcas. Os policiais também encontraram um tonel com água, que era utilizado para auxiliar a remover os rótulos.

 

Os acusados presos são de diferentes estados. Segundo a 59ª DP, as investigações vão continuar para apurar a participação de outras pessoas no crime.
Fonte: rj.gov.br

Doses acabam e idosos não conseguem se vacinar

No segundo dia de vacinação drive-thru contra a Covid-19 para idosos com mais de 80 anos, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, muitos deles não conseguiram se imunizar. A imunização na Praça do Pacificador foi anunciada para começar às 7h, mas, segundo moradores, as doses acabaram por volta das 10h30. Sem informação, muitas pessoas continuaram na fila, o que deu um nó no trânsito.

O professor universitário Alan Dias, de 40 anos, disse que levou uma hora na fila, mas que já não havia mais as doses. Ele voltou para a casa com seu sogro, de 84 anos:

— Às 11h10, eu estava na Praça do Pacificador, mas do outro lado, onde está a tenda do drive-thru. Demorei uma hora para fazer um trajeto de 800 metros. Quando cheguei na tenda, simplesmente não tinha mais vacina. Uma fila quilométrica e não tem ninguém para informar que as vacinas acabaram. Deveria ter alguém informando. Está um caos.

Alan não conseguiu vacinar o sogro, de 84 anos

A desorganização também causou confusão. Informações desencontradas fizeram com que Durval dos Santos, de 87 anos, ficasse na fila por duas vezes, mas em vão.

— Fiquei na fila e, quando cheguei perto, disseram que tinha acabado. Depois, o rapaz me chamou e disse para eu voltar para a fila porque não tinha acabado. Voltei. Agora disse que tinha acabado mesmo, que era para voltar semana que vem. Tem que administrar — lamentou Seu Durval.

Para garantir sua imunização, Juraci Ferreira Nascimento, de 84 anos, chegou pouco antes das 10h à Praça do Pacificador. Mas ele contou que, menos de uma hora depois, não havia mais doses:

— Informaram que seria até meio-dia, mas acabou às 10h30. Cheguei aqui bem antes e não consegui. Descontrolou tudo.

A Prefeitura de Duque de Caxias ainda não respondeu.

 

Fonte: extra.com

Ex-vereador do município de Duque de Caxias foi preso hoje (19) por desvio de combustível

Um ex-vereador do município de Duque de Caxias, Baixada Fluminense, e ex-policial militar Alexsandro Mendonça Rosa, o Alex Rosa (PSL), foi preso hoje (19) na segunda fase da Operação Pit-Stop, deflagrada por policiais civis da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados do Rio de Janeiro. O homem é apontado como chefe da organização criminosa que atua em um esquema de desvio de combustíveis. Também foram presas outras quatro pessoas, que segundo a Secretaria de Polícia Civil do Rio, são envolvidas com ele. De acordo com a secretaria, todos são investigados no esquema de desvio de combustíveis.

Além de Duque de Caxias, os mandados se estendem à cidade do Rio de Janeiro. As investigações apontam que o lucro líquido da organização criminosa alcança cerca de R $1,5 milhão por mês.

A secretaria informou que a investigação começou em junho de 2020. Na época, houve uma ação em um depósito em Campos Elíseos, em Duque de Caxias, que fazia a receptação de combustível. De acordo com a pasta, no local havia quatro tanques com capacidade para 15 mil litros cada, lacres de transporte, dois caminhões-tanque e veículos do restaurante que pertencia ao então vereador.

Na primeira fase da Operação Pit-Stop, realizada em agosto de 2020, foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, inclusive na residência e no gabinete do ex-vereador na Câmara de Duque de Caxias. Os policiais apreenderam telefones celulares, computadores e documentos que indicaram a participação dos envolvidos no esquema de desvio de combustível conhecido como Bica ou Baldinho. Nele, motoristas desviavam parte do material transportado para depósitos clandestinos de abastecimento.

A Polícia Civil afirmou que os depósitos clandestinos eram “estrategicamente localizados próximos às distribuidoras em Duque de Caxias, para não configurar desvio de rota”. Na avaliação da polícia, os depósitos funcionavam  “como uma espécie de Pit-Stop para os motoristas, que furtam partes fracionadas do material transportado, adulterando o lacre e ludibriando o destinatário final da entrega. O combustível desviado é redistribuído em postos de gasolina do investigado, onde é revendido a preço de mercado”.

 

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

151 espaços culturais foram contemplados com a Lei Aldir Blanc em Duque de caixas

Além de finalizar o pagamento aos espaços e coletivos culturais, totalizando mais de R$ 2,8 milhões, a Prefeitura de Duque de Caxias deu início, na última semana, ao pagamento de novo lote do edital, que contempla produtores e ações culturais no município, referentes a Lei Aldir Blanc (Lei 14.071/2020 – Inciso II). O valor contempla o repasse de recursos aos Espaços Artísticos e Culturais, Microempresas, e Pequenas Empresas Culturais, Cooperativas, Instituições e Organizações Culturais Comunitárias, que tiveram as atividades interrompidas por força das medidas de isolamento social no município.

A Lei Federal 14.017/2020 (Lei Aldir Blanc) dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020. Duque de Caxias foi contemplado com cerca de R$ 5,5 milhões para apoiar a área cultural no município.

No site da secretaria (https://www.culturaduquedecaxias.com.br/index.php), os interessados vão encontrar informações, publicações e legislação aplicável, como o decreto regulamentador municipal 7754/2020 e o manual de uso, prestação de contas e contrapartida. Os contemplados devem estar atentos quanto a isso, pois os gastos devem ser referentes a manutenção da atividade cultural do espaço. A prestação de contas deverá ser entregue em até 120 dias após o recebimento dos recursos, conforme decreto federal 10.464/2020.

Ajuda da sociedade civil

Os recursos visam minimizar os efeitos da pandemia de Covid-19, que determinou o fechamento dos espaços e suspensão de eventos. Em Duque de Caxias foram contemplados centenas de espaços, coletivos e produtores de ações culturais no município. Do cadastramento até a efetivação do pagamento aos premiados, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo percorreu um longo caminho. A participação da sociedade civil foi o alicerce de todo o processo. Foram formados grupos de trabalho dentro do Conselho Municipal de Política Cultural para a fiscalização dos cadastros, homologações, cumprimento de pendências, até a transferência dos recursos, executada pela SMCT, junto ao BB.

Saiba mais sobre os editais da Lei Aldir Blanc, acessando o site da SMCT: https://www.culturaduquedecaxias.com.br/index.php

 

Fonte: odia.ig.com.br

Duque de Caxias recebe visita do Governado em Exercício Cláudio Castro

O governador em exercício Cláudio Castro esteve, nesta quinta-feira (24/12), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, uma das regiões mais atingidas pelas fortes chuvas dos últimos dias. Castro anunciou que as famílias vítimas da enxurrada terão direito ao Cartão Recomeçar para a compra de novos eletrodomésticos. O Governo do Estado já providenciou, de forma emergencial, kits de higiene e limpeza, além de mantimentos e colchões. Ao lado do prefeito de Caxias, Washington Reis, e dos secretários de Desenvolvimento Social e Direito Humanos, Bruno Dauaire, e de Defesa Civil, coronel Leandro Monteiro, o governador visitou as localidades Santo Antônio da Serra, Carreteiro, Barreiro, Vila Canaan e Jardim Olímpio.

– Vamos providenciar 150 cartões Recomeçar. Os valores variam de R$ 2 a R$ 5 mil para que essas famílias possam comprar os itens que foram destruídos em virtude das fortes chuvas. A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social vai trabalhar junto com a Prefeitura de Caxias para cadastrar as famílias o mais rápido possível. Fizemos questão de vir hoje, um dia sensível e véspera de Natal e, mais cedo, o Estado já enviou kits de limpeza e alimentação para as vítimas – disse Cláudio Castro.

A Secretaria de Estado de Defesa Civil atua na região, desde terça-feira (22/12), com agentes que orientam e apoiam as ações do município. A Defesa Civil estadual segue monitorando as condições meteorológicas e os níveis pluviométricos, enviando alertas para a região.

Ainda hoje a Prefeitura de Caxias vai decretar estado de calamidade pública. Ao todo, segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social de Caxias, 152 famílias foram atingidas, entre desabrigadas e desalojadas. Três pontos de apoio foram instalados para acolher a população em vulnerabilidade: um no bairro Santo Antônio, um em Xerém e outro em Carreteiro. Maquinários também estão nas ruas realizando a limpeza de rios e retirando a lama acumulada.

– Ontem, já foram retirados caminhões com entulhos, porque os moradores não conseguiam transitar pelas ruas. Hoje, a limpeza será total nas regiões afetadas. Temos quatro famílias que perderam suas casas ou tiveram as residências condenadas pela Defesa Civil e, por isso, ficaram desabrigadas. A Prefeitura de Caxias vai adquirir apartamentos do Minha Casa Minha Vida. E, com a parceria do Governo do Estado, estas famílias vão também ser beneficiadas pelo Cartão Recomeçar – ressaltou o prefeito Washington Reis.

Integração

O governador em exercício destacou, ainda, a integração entre o Estado e os municípios, um dos pontos centrais do recém-lançado Plano de Contigência de Chuvas.

– Criamos, esse ano, o Plano Estadual de Contigência de Chuvas. Por isso, estou aqui com os secretários de Defesa Civil e de Desenvolvimento Social, e as equipes já estão trabalhando para tentar minimizar o impacto para a população – explicou Castro.

 

Fonte: rj.gov.br