Karen Figueiredo e Rafael Fróes vencem eleição para presidente, e vice, da 35ª Subseção da OAB

Por 124 votos a 84, a chapa 1, encabeçada pelos advogados Karen Figueiredo, que é a atual presidente, e Rafael Fróes, ganhou as eleições para comandar a 35ª Subseção da OAB – Rio Bonito, Tanguá e Silva Jardim – nos próximos três anos. A eleição aconteceu hoje (16), na sede da subseção, localizada no Centro de Rio Bonito, onde 210 advogados estiveram presentes para escolher os dirigentes da instituição nos três municípios.

Assim como em todos os municípios do estado, os advogados também votaram para escolher a próxima diretoria da OAB do Rio de Janeiro. Na 35ª Subseção, a chapa 1, do atual presidente Luciano Bandeira, venceu a eleição em Rio Bonito. Até o fechamento desta edição, o resultado final da eleição da OAB-RJ ainda não havia sido divulgado.

A eleição

Os advogados votaram de 9h às 17h, e por volta das 17h30 o vencedor foi anunciado pela Comissão Eleitoral da subseção.

À reportagem da Folha, a presidente eleita falou que o processo eleitoral aconteceu de forma tranquila e dentro do esperado.

“Tudo transcorreu muito calmamente, não tivemos nenhum tipo de conflito, de atrito. Ficamos felizes porque a advocacia veio participar desse processo eleitoral”, disse a presidente reeleita.

O vice-presidente eleito falou sobre o apoio dos colegas advogados. “Foi muito bom recepcionar os colegas que não víamos há muito tempo por conta desse período pandêmico. Foi muito satisfatório receber esse apoio, esse carinho, e acima de tudo receber o voto deles”, disse Rafael.

Prometendo modernizar a subseção, os advogados disseram que “todas as propostas são prioritárias, mas com muita luta e engajamento, conseguiremos colocar tudo em prática”, disse o vice-presidente eleito.

Chapa 2

Prometendo alternância de poder, apesar de não terem conseguido vencer o pleito, os candidatos da chapa 2, Glauber Guadelupe, e o candidato a vice, Luiz Felipe Boareto reconheceram a derrota e cumprimentaram os eleitos, ainda durante a apuração, quando não haviam mais chances de vencerem.

“A gente vê que o processo democrático está sendo observado. Infelizmente perdemos por 40 votos. Mas a gente vai continuar na luta em prol da instituição”, disse Glauber Guadelupe.

 

 

Lívia Louzada

Prefeita eleita de Silva Jardim, Maira de Jaime, e o vice Marcos João, tomam posse nesta sexta-feira (1)

Na próxima sexta-feira (01), às 14h a prefeita eleita de Silva Jardim, Maira de Jaime (PROS), e seu vice Marcos João, serão diplomados e tomarão posse. Ela saiu na frente na disputa pela cadeira do Executivo após conquistar 5.273 votos dos silvajardinenses nas eleições suplementares do dia 12 de setembro. Maira assume a Prefeitura depois de muita troca no cargo – Silva Jardim teve quatro prefeitos em quatro anos, e tem até o dia 31 de dezembro de 2024 para governar.

Em segundo lugar ficou Fabrício de Napinho (PSD), com 4.390 votos, e em terceiro, Juninho Peruca (Podemos), que recebeu 4.216 votos. A eleição suplementar em Silva Jardim contou com a participação de 14.482 eleitores, sendo 4.791 abstenções. O pleito teve 177 votos brancos, e 426 nulos.

 

 

Lívia Louzada

Justiça Eleitoral indefere candidatura de Maira de Jaime a Prefeitura de Silva Jardim. Eleição será no dia 12 de setembro

Mais um capítulo na já conturbada cadeira do Executivo de Silva Jardim, no interior do estado do Rio. Ontem, segunda-feira (23), a Justiça Eleitoral da cidade indeferiu a candidatura para prefeito, de Maira de Jaime (Pros), para a eleição que será realizada no próximo dia 12 de setembro, no município. Na decisão, a juíza Daniella Correia da Silva argumenta que o Pros não pode disputar o pleito suplementar por conta dos impedimentos que o partido teve na Justiça e que resultaram em novas eleições na cidade. O partido diz que irá recorrer da decisão.

O documento possui sete páginas e detalha a decisão da juíza. “Não parece razoável que a agremiação que tenha dado azo à renovação da eleição, com prejuízo dos gastos envolvidos nas campanhas eleitorais, o tempo e o trabalho dispendidos pela Justiça Eleitoral, pelo Ministério Público Eleitoral e demais colaboradores, além do deslocamento dos eleitores às urnas, com a peculiar circunstância de estarmos vivenciando uma pandemia, instaurada pelo coronavírus, possa legitimamente participar do novo pleito”, diz um trecho da decisão, que ainda cabe recurso junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

O documento faz ainda uma referência à resolução publicada pelo TRE, sobre as eleições suplementares e diz que os candidatos que deram causa à nulidade da eleição no dia 15 de novembro do ano passado, deveriam ser impedidos de disputar o pleito suplementar. “Apesar da resolução fazer referência a ‘candidatos’ […], o sentido da restrição é impedir que todo aquele que causar a renovação da eleição dela participe”, destacou a juíza Daniella Correia da Silva, em outro trecho da sentença.

 

Entenda o caso

A cadeira do Executivo esteve bem movimentada nos últimos tempos, quando o município teve quatro prefeitos em aproximadamente quatro anos, depois de serem afastados dos cargos acusados de irregularidades. Se tudo der certo, esse será o quinto comando na Prefeitura. Com a decisão desta segunda-feira (23), agora serão dois candidatos, Fabrício de Napinho (PSD) e Juninho Peruca (Podemos).

O atual prefeito da cidade, que está no cargo interinamente, Fabrício de Napinho, que é um dos candidatos desse pleito, foi eleito como vereador nas eleições do ano passado, e ocuparia a vaga de presidente da Câmara, mas foi alçado ao cargo de prefeito pela Justiça. Isso aconteceu depois que o candidato Jaime Figueiredo foi eleito por maioria de votos, mas a chapa foi indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral por estar com o CNPJ inválido. Maira de Jaime, que teve sua candidatura indeferida ontem, é esposa de Jaime Figueiredo.

Napinho, que está no cargo desde janeiro, já é alvo do Ministério Público Eleitoral. Em julho, o órgão cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados a ele por suspeita de abuso de poder político.

 

 

 Lívia Louzada com fontes do Informe RJ

Eleitor deve conferir endereço de sua seção eleitoral antes de votar

Antes de sair para votar, em 15 de novembro, o eleitor deve ficar atento, para saber se houve mudança do seu local de votação em relação às últimas eleições. Faltando dois dias para o primeiro turno, a Justiça Eleitoral recomenda que o eleitor não deixe para última hora e confira desde já o endereço de sua seção eleitoral.

No site do TRE-RJ é possível confirmar o local onde está cadastrado para votar nas eleições deste ano. Na aba “Serviço ao Eleitor”, acesse “Local de Votação”. Basta preencher o nome próprio, data de nascimento e nome da mãe. Em todo o estado funcionam 4.892 locais de votação, que abrigam 32.126 seções eleitorais.

e-Título

Se você tem o e-Título em seu celular, também pode conferir o local de votação por meio do aplicativo. Basta acessar clicar em “Onde votar”. Caso tenha ocorrido alguma alteração, haverá uma mensagem: “Atenção! Seu local de votação mudou. Ei, nesse pleito você votará em um local diferente.” Nesse caso, o eleitor deve apertar em “Ver Novo local”.

O app pode ser baixado para smartphone ou tablet, nas plataformas iOS ou Android. Após baixá-lo, basta inserir os dados pessoais.

 

Fonte: ofluminense.com.br

22 mil agentes são mobilizados pela PM para eleição

Para garantir que as eleições municipais neste domingo (15) transcorram em clima de paz em todo o território estadual, a Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro elaborou um planejamento de segurança, com significativo reforço de efetivo e uma novidade: pela primeira vez serão empregadas aeronaves remotamente pilotadas para auxiliar o patrulhamento nas vias públicas e locais de votação.

Elaborado pela Subsecretaria de Gestão Operacional, o planejamento prevê o emprego de 22.036 policiais militares e a mobilização de todas as unidades da Corporação. As folgas e as férias foram suspensas para prestar da melhor forma possível o serviço de segurança pública aos cidadãos do estado.

“As aeronaves remotamente pilotadas, popularmente chamadas de “drones”, serão empregadas pela primeira vez num grande evento. Essa primeira experiência será aplicada na Região Metropolitana, onde há uma complexidade maior”, explica a porta-voz da Polícia Militar, Tentente-Coronel Gabryela Dantas.

Pilotados remotamente por especialistas do Grupamento Aeromóvel (GAM) da Corporação, os “drones” estarão sobrevoando bairros da Região Metropolitana, transmitindo imagens em tempo real para os centros de operações instalados no Quartel General, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no GAM e até para aparelhos celulares de comandantes de unidades estratégicas.

“Essas imagens vão dinamizar nossa capacidade operacional, tanto para atuar preventivamente quanto para intervenção de pronto emprego em situações de emergência”, explica a TC Gabryela.

Nas vias urbanas, os policiais militares estarão presentes nos 4892 locais de votação e em vias urbanas e rodovias. A Polícia Militar atuará ainda na escolta das urnas eletrônicas e na segurança dos pólos eleitorais, onde são guardadas as urnas para a contabilização dos votos.

Além dos batalhões de área e do efetivo de setores administrativos, o planejamento contemplou também as unidades de policiamento especializado – Batalhão de Polícia Rodoviária, Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE), Rondas Especiais de Controle de Multidões (RECOM), Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer), Regimento de Polícia Montada (RPMont), Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) e Batalhão Especializado em Policiamento de Estádios (BEPE).

Com reforço de efetivo, as unidades de operações especiais estarão de prontidão para atuar em situações de emergência: Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), Batalhão de Ações com Cães (BAC) e GAM.

Integração reforçada

Planejado em interlocução permanente com gestores de outros órgãos da área de segurança e do Poder Judiciário, entre os quais o Tribunal Regional Eleitoral (TRE),o modelo de policiamento foi concebido a partir das particularidades de cada área, levantadas pelos setores de inteligência dos órgãos envolvidos.

No sábado, véspera da eleição, e no domingo, funcionará no CICC o Centro Integrado de Operações Coordenadas, formado por equipes de 11 órgãos estaduais, municipais e federais: Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria de Administração Penitenciária, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Marinha, Exército, Guarda Municipal, TRE e Ministério Público.

 

Fonte: ofluminense.com.br