Nova resolução para frear covid-19 traz regras segunda a classificação se risco de cada região do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), publicou no Diário Oficial desta quarta-feira, as novas regras a serem seguidas, segundo a classificação de risco da covid-19 nas regiões da cidade. A resolução das secretarias de Saúde, estadual e municipal, traz restrições e flexibilizações para o comércio e demais atividades. O documento previa a liberação de torcedores em estádios cariocas, no entanto, Paes revogou a medida pouco tempo depois da publicação no DO.

A resolução traz regras para os momentos de risco muito alto, alto e moderado. Algumas medidas são variáveis ao aos estágios estabelecidos pelo Centro de Operações e Emergências – COE Covid-19, a partir do boletim epidemiológico semanal, e deverão ser seguidas pelas 33 regiões administrativas, conforme o nível de alerta da área.

Nas regras variáveis, destacam-se medidas como: limitação da capacidade de lotação de estabelecimentos, alteração nos horários de funcionamento e ampliação das regras de distanciamento em locais fechados.

Supermercado e padaria, por exemplo, podem funcionar cumprindo medidas protetivas permanentes, se houver risco moderado. Se o risco for alto, há limitação de clientes a 2/3 da capacidade, priorizando serviço de entrega ou retirada na loja e ampliando o horário de funcionamento.

Já em caso de risco muito alto, o estabelecimento deve limitar a clientela à metade da capacidade, além de vedar o consumo de alimentos e bebidas no local e, obrigatoriamente, ampliar o horário de funcionamento, segundo o texto publicado no Diário Oficial.

A prefeitura do Rio determinou como medidas permanentes as preventivas como: higienização das mãos, respeito ao distanciamento e uso de máscara. Tanto as medidas permanentes e variáveis são obrigatórias e devem ser seguidas por todos. Quem for flagrado desobedecendo poderá ser individualmente responsabilizado. O documento, porém, não especifica qual sanção o infrator receberia.

No primeiro boletim divulgado pela prefeitura na última sexta-feira, o Rio tinha 18 bairros com risco alto para o coronavírus, levando em conta óbitos e internações. Outros 15 bairros apresentavam risco moderado para a doença. Nenhuma área da cidade estava com risco muito alto ou baixo para a covid-19.

Confira as mudanças:

Os cinemas e teatro devem ampliar o horário de funcionamento, a despeito da classificação. Locais com risco moderado devem funcionar com metade da capacidade; risco alto 1/3 da capacidade; risco muito alto: 1/4 da capacidade, com distanciamento de 2 metros.

Para os supermercados e farmácias, em regiões de risco moderado não há restrições; risco alto: 2/3 da capacidade; risco muito alto: metade da capacidade e ampliação obrigatória do horário.

Os shoppings devem funcionar com 3/4 da capacidade em regiões com risco moderado;
risco alto: 2/3 da capacidade; risco muito alto deve ser fechado, exceto para entrega em domicílio.

 

Fonte: odia.ig.com.br

Prefeito do Rio na manhã desta quarta-feira anuncia que vai revogar público em estádios

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (Rio), voltou atrás e anunciou, na manhã desta quarta-feira, que vai revogar a presença do público nos estádios cariocas. A resolução das secretarias estadual e municipal de Saúde, que previa a liberação de torcedores nas partidas, havia sido publicada na edição de hoje do Diário Oficial do Município.

“A decisão de liberar os estádios com uma ocupação mínima de 1/10 está correta tecnicamente de acordo com nossa secretaria de saúde. No entanto, obviamente trata-se de medida quase impossível de ser fiscalizada. A medida será revogada. Mínima* não! Máxima!”, escreveu o prefeito do Rio em uma rede social.

Resolução previa volta com restrição da capacidade nas arquibancadas

A volta dos torcedores, no entanto, seria com restrição da capacidade nas arquibancadas. De acordo com o texto do Diário Oficial, a redução da capacidade do público dependeria da classificação de risco para a covid-19 da região, divulgada toda sexta-feira pelo município.

A resolução estabelecia que estádios com capacidade superior a 8 mil pessoas com risco moderado de contágio, eles podem: funcionar cumprindo as medidas protetivas permanentes; limitação de público em 20% da capacidade interna do estabelecimento; distanciamento mínimo de 2m entre as pessoas. Todos os assentos das instalações deverão estar disponíveis para uso. O consumo de bebidas alcoólicas somente poderá ocorrer quando sentados nos seus lugares e os acessos controlados para entrada e saída do público garantido para que não ocorram aglomerações.

Em estádios com risco alto, a presença seria reservada somente para 10% do público da capacidade interna do estabelecimento. As outras medidas de seguranças são semelhantes ao risco moderado. Já em locais com risco muito alto continuaria proibido torcedores nas arquibancadas.

No último boletim, divulgado pelo município, trazia 18 bairros com risco alto — entre eles o Maracanã. Com as medidas, o estádio, que normalmente cabem 78 mil pessoas, poderia receber cerca de 8 mil torcedores.

 

Fonte: odia.ig.com.br

Estádio San Paolo do Napoli é rebatizado em homenagem a Maradona

O Estádio San Paolo do Napoli foi rebatizado oficialmente como Estádio Diego Armando Maradona em homenagem ao falecido atacante argentino, que levou o time italiano à conquista de seus dois únicos títulos do Campeonato Italiano e da Copa da Uefa, informou o conselho da cidade nesta sexta-feira (4).

Maradona morreu após sofrer um infarto em sua casa no subúrbio de Buenos Aires na semana passada, menos de um mês após seu aniversário de 60 anos.

O conselho municipal aprovou a resolução proposta pelo prefeito de Nápoles, Luigi de Magistris, para mudar o nome do estádio para homenagear o lendário campeão mundial, que marcou 115 gols em seus sete anos no time.

“Passei os últimos 17 anos conversando com as autoridade locais, sempre pedi para comprar o estádio e rebatizá-lo de Diego Armando Maradona”, disse o presidente do Napoli, Aurelio de Laurentiis, à rede Sky da Itália.

“Se, por tradição, precisarmos chamá-lo tanto de San Paolo quanto de Maradona, que seja. Não vai mudar muita coisa, mas nada mais justo do que Maradona tenha este reconhecimento. Mesmo que fôssemos construir um estádio inteiro novo, eu o batizaria assim”, declarou.

“Seus anos aqui continuam indeléveis nas lembranças do povo de Nápoles, algo que simboliza uma redenção cobiçada e uma ressurreição ansiada”, afirmou o dirigente.

 

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Rio terá campanha permanente contra assédio em estádios de futebol

Uma campanha permanente contra o assédio e a violência sexual nos estádios de futebol será criada no Estado do Rio. É o que define o projeto de lei 984/19, da deputada Dani Monteiro (PSol), que foi aprovado, em segunda discussão, pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que foi aprovado na última quinta-feira (6). A medida será encaminhada ao governador Wilson Witzel, que terá até 15 dias úteis para sancioná-la ou vetá-la.

De acordo com o texto, a campanha permitirá que as mulheres que forem assediadas nos estádios poderão ter acesso às câmeras de segurança para identificar o momento da agressão, efetivando a denúncia junto aos órgãos públicos. Também deverão ser divulgados, durante os eventos esportivos, informações sobre o assédio e a violência sexual, como políticas públicas praticadas pelo Estado, e os telefones de órgãos de acolhimento às vítimas. Essa divulgação deverá ser feita através de cartazes ou durante os intervalos das partidas nos alto-falantes, telões ou qualquer outro meio de informação e comunicação.

“Podemos verificar que a maior parte do público feminino nos estádios é de mulheres jovens. Dessa forma, o projeto possibilita que esses equipamentos sejam mais do que espaços de diversão e lazer, mas também de conscientização e suporte ao assédio e à violência contra a mulher”, justificou a autora.

Maricá poderá ter estádio municipal em Cordeirinho

O bairro de Cordeirinho, na região litorânea de Maricá, poderá receber em breve o Estádio Municipal, antes prometido para o bairro do Caxito. A obra ainda não começou, mas funcionários da Autarquia Serviços de Obras de Maricá (SOMAR) já instalaram uma placa com a foto do projeto no local.

O estádio seria construído no Campo de Cordeirinho, localizado na rua 107, em frente à creche municipal e ao lado da Escola Lúcio Tomé Feteira. A prefeitura ainda não divulgou detalhes, como tempo de previsão e custo da obra. Segundo informações obtidas pelo ‘Maricá Info’, a obra ainda não foi licitada, mas fará parte do montante de 150 obras que serão lançadas pela SOMAR, sob presidência de Renato Machado, ainda em 2019.

O estádio que seria construído no bairro Caxito teria espaço para 20 mil pessoas, o de Cordeirinho pode alocar menos pessoas devido à imagem do projeto estampada em frente ao local.

O ‘anúncio’, mesmo que de forma não oficializada, gerou críticas na internet. Moradores cobram a instalação de um pronto socorro 24 horas na região, que sofre também com a falta de transportes, um dos sérios problemas dos bairros de Ponta Negra, Cordeirinho, Guaratiba e Bambuí.

Fonte: Maricá Info