Feira de adoção de cães e gatos consegue lar para 21 animais

A Prefeitura de Maricá, por meio da Coordenadoria de Proteção Animal, realizou no domingo (21/11) mais uma edição da Feira de Adoção de cães e gatos, conseguindo um novo lar para 21 animais (13 cães e 8 gatos) dos 59 disponíveis para a adoção. O evento ocorre sempre no terceiro domingo de cada mês na área externa do shopping Boulevard, no Centro.

Coordenador da Proteção Animal de Maricá, Fabiano Novais antecipou algumas novidades que serão implementadas em 2022. Uma delas é o projeto de socialização de cães com os novos donos, que visar ensinar técnicas básicas de adestramento para quem participa das campanhas.

“Temos planos também de expandir a feira no próximo ano, realizando duas edições mensais em vez de apenas uma como fazemos hoje. Estamos avaliando também levar o evento para outros bairros de acordo com a demanda. Aqui no Centro já virou tradição, com um público consolidado, por isso precisamos manter”, ponderou.

Uma das pessoas que levou um cãozinho para casa foi Diana Cunha, de 43 anos. Ainda sem decidir o nome para o novo pet, ela disse que a feira é importante para os próprios bichinhos. “É melhor levá-los para casa do que deixá-los na rua”, afirmou.

Morador de Ubatiba, o pedreiro Ismael Francisco, de 48 anos, contou que apenas passava pelo local quando viu os animais expostos para adoção e acabou levando para a casa a vira-lata Pretinha. “Agora vou ter de juntá-la com os dois pinshers que já tenho. É bom para não deixar os bichinhos largados por aí”, avaliou.

Campanha de adoção de animais em Maricá acontece neste domingo (21/11)

A Prefeitura de Maricá realiza neste domingo (21/11) a sétima edição da Campanha de adoção de cães e gatos, idealizada pela Coordenadoria Especial de Proteção Animal, que acontece das 13h às 17h, no estacionamento do Shopping Boulevard Maricá, no Centro. Ao todo, 50 animais, entre filhotes e adultos, estarão disponíveis para a adoção.

O responsável pela coordenadoria, Fabiano Novaes, afirmou que a campanha é uma grande oportunidade para aquelas pessoas que buscam um animalzinho de estimação. “Participam da campanha protetores e moradores que realizaram o resgate ou são donos de cadelas que tiveram filhotes não programados, evitando, assim, o abandono, além de dar oportunidade a estes animais terem um lar para toda a vida.”, disse.

Todos os animais doados saem do local castrados ou com a garantia de castração gratuita, oferecida pela Coordenadoria Especial de Proteção Animal.

Os interessados em adotar precisam ter mais de 18 anos, apresentar uma cópia da identidade, CPF e comprovante de residência. A ação respeita todos os protocolos sanitários de enfrentamento à pandemia da Covid-19, como distanciamento entre as pessoas, oferta de álcool em gel, entre outros.

Serviço: Feira de Adoção de Animais

Local: Shopping Boulevard Maricá – Avenida Roberto Silveira, 93 – Centro
Dia: 21/11 – Domingo
Horário: 13h às 17h

Documentação: Maiores de 18 anos, apresentar uma cópia da identidade, CPF e comprovante de residência.

 

 

Feira Livre Solidária de Maricá volta às atividades em Itaipuaçu

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Economia Solidária, retornou as atividades da Feira Livre Solidária de Itaipuaçu no último sábado (09/10), na Praça do Ferreirinha. No local, 8 expositores oferecem produtos artesanais a preços justos, entre bijuterias, ornamentações, artigos recicláveis e roupas.

O espaço funcionará todos os sábados, das 15h às 22h, e a expectativa é que mais 5 feirantes atuem na feira já na próxima semana, adicionando produtos gastronômicos ao circuito.

Segundo a responsável pelas feiras de Itaipuaçu e Inoã, Mônica Fernandes, o retorno da iniciativa a um dos maiores distritos da cidade é muito relevante, fazendo com que os artesãos ganhem visibilidade e retorno financeiro.

“A volta da Feira de Itaipuaçu é essencial e muito importante em meio à pandemia de Covid-19. Esse espaço ajuda os feirantes a terem uma melhoria financeira, já que muitos ficaram desempregados e desestimulados”, pontuou a organizadora, reforçando que a Secretaria de Economia Solidária cumpre o seu papel com ações desse tipo.

“O objetivo da Secretaria de Economia Solidária é instruir e dar uma espécie de passo-a-passo com essa feira. Dessa forma, os artesãos serão mais reconhecidos e futuramente poderão trilhar o seu próprio caminho”, completou.

Moradores vão às compras na feira

A população de Itaipuaçu que passava pela praça aprovou o retorno da feira. A aposentada Vera Lúcia de Freitas, de 73 anos, moradora da localidade há 35 anos, gostou dos produtos disponíveis e pretende retornar mais vezes.

“Achei maravilhosa essa Feira Solidária. Os preços são ótimos e estarei sempre aqui para aproveitar, trazendo também a minha família. Gostei bastante da barraca de panelas recicláveis e a das pulseiras”, afirmou a aposentada.

A fisioterapeuta Júlia Nunes, de 28 anos, estava indo à padaria e aproveitou para conhecer o espaço, que a conquistou.

“Eu só conheci a iniciativa hoje, porque vim morar em Itaipuaçu durante a pandemia. Estou admirada em encontrar aqui tantos produtos de qualidade e artesanais. Irei vir aqui todos os sábados para acompanhar e na próxima semana trarei a minha avó para comprar algumas bijuterias, ela ama”, ressaltou.

Suporte financeiro aos feirantes

Os expositores da feira estavam animados com o retorno presencial da Feira Solidária de Itaipuaçu. Um deles foi Júlio César Oliveira, que expôs cristais e compõe o comitê gestor do Circuito Maricá de Comércio Justo e Solidário.

“Hoje voltamos à feira com muita alegria. Em meio à pandemia, tínhamos a necessidade de trazer os produtos para a feira e também da socialização que esse ambiente oferece. Não é uma feira só de comércio, mas sim de relacionamentos com a comunidade, tendo um encontro que propicia trocas coletivas”, disse.

O artesão José Luis Amaral, de 66 anos, especializado em produtos recicláveis, destacou a utilização de materiais não usuais em suas peças e o papel da moeda Mumbuca para movimentar a feira.

“Tudo que eu faço é com materiais recicláveis. Trabalho com latinha, vidro, madeira e plástico na confecção de panelas, aviões e barcos em miniatura, mostrando que podemos reutilizar boa parte do lixo e ajudar a salvar o planeta. Estamos reiniciando hoje e aceitamos a moeda Mumbuca. Com isso, muita gente que tem esse benefício pode gastar aqui, com nossos produtos, nos ajudando também”, concluiu.

Feira Livre Solidária também no Centro

Neste domingo (10/10), foi a vez da Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro, receber a Feira Livre Solidária, com diversos produtos artesanais disponíveis à população.

Além de Itaipuaçu e do Centro, existem feiras em Inoã (próximo à passarela do bairro), com 45 feirantes atuando no local; e em Cordeirinho (esquina da Rua 107 com a rua 90), com 50 expositores de artesanatos, doces e salgados.

Em breve, está prevista a inclusão dos bairros de São José do Imbassaí e Ponta Negra no circuito de Feiras Livres Solidárias.

 

Foto: Michel Monteiro

Voluntários organizam bazar para ajudar gatinhos abandonados em Cabo Frio

Voluntários de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, estão organizando um bazar beneficente para ajudar gatinhos que estão abandonados no Canto do Forte, na Praia do Forte.

O bazar Bigodinhos do Forte será realizado nesta sexta-feira (12) e sábado (13), das 11h às 19h, em uma loja na rua Maria Nogueira Machado, número 81, no Centro da cidade.

Durante o evento, serão vendidos acessórios, roupas, lingeries, calçados e bolsas. O objetivo da campanha é arrecadar dinheiro para fazer resgates, vacinação, castração e cuidados médicos dos animais.

Ainda de acordo com os organizadores, o projeto está convocando novos voluntários, madrinhas e padrinhos que possam colaborar com as atividades de proteção aos animais.