EPT amplia frota de ônibus Tarifa Zero entre Itaipuaçu e Ponta Negra

A Prefeitura de Maricá, por meio da Empresa Pública de Transportes (EPT), ampliará, até dezembro, a frota dos ônibus “Tarifa Zero” com mais dez veículos, que serão distribuídos entre as linhas E30A (Recanto-Centro via Avenida/Vivendas) e E02 (Centro-Ponta Negra via Cordeirinho). A ampliação dos coletivos deve ocorrer antes das festas de fim de ano.

Presidente da Empresa Pública de Transportes, Celso Haddad informou que os itinerários não serão modificados e que outras linhas também podem receber o mesmo reforço. “Estamos na fase final dos estudos sobre essas mudanças, definindo quais linhas também poderão ter mais ônibus circulando e sobre um possível aumento da oferta nos horários de saída dos pontos”, disse Haddad.

Outra mudança anunciada pela EPT foi na linha E09 (Centro-Ponte Preta). A partir de 1º de dezembro, o trajeto será ampliado e vai passar a atender também ao bairro de Guaratiba, na região litorânea. A empresa ressalta que o objetivo é criar mais uma opção de atendimento no transporte público em direção ao Centro da cidade. Com a mudança, o letreiro eletrônico dos coletivos passa a ser: Centro-Guaratiba (via Caju – Gamboa – Ponte Preta – Jardim Interlagos).

 

Segunda baleia é encontrada morta na orla de Maricá em pouco mais de 24h

Com pouco mais de 24h de diferença, duas baleias foram encontradas mortas na orla de Maricá. A primeira foi achada na noite de terça-feira (22), na Praia de Itaipuaçu, por moradores que passavam pelo local. Já a segunda, foi encontrada na manhã de ontem, quinta-feira (24) na Praia de Ponta Negra, e faz parte da espécie jubarte.

Segundo os especialistas, a baleia encontrada nesta quinta-feira (24), era um filhote de aproximadamente 8m de comprimento, e foi retirada da areia da praia com o auxílio de uma retroescavadeira da autarquia de Serviços e Obras de Maricá.

Antes da remoção, uma equipe do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Maqua/UERJ) realizou uma necrópsia no corpo do animal para determinar a causa da morte. A possibilidade mais provável é que tenha havido inanição, após o filhote se afastar da mãe. O animal foi levado ao Centro de Tratamento de Resíduos do Anaia, em São Gonçalo.

 

 

 

Fonte: Jornal A Tribuna

 

Homem foi baleado na manhã desta sexta-feira (6) por criminosos no ‘Minha Casa, Minha Vida’ de Itaipuaçu

Um homem foi baleado na manhã desta sexta-feira, 6, no condomínio Minha Casa Minha Vida’, em Itaipuaçu. Baleado foi socorrido e levado para a UPA de Inoã.

De acordo com informações de moradores, um grupo de homens estavam reunidos no interior do conjunto habitacional quando foram surpreendidos por ocupantes encapuzados que chegaram em um veículo Renault Sandero, que dispararam tiros, e em seguida fugiram do local.

Os homens tentaram se proteger, porém um deles acabou sendo atingido.

Com ferimentos na perna e na nádega, Kenny Ariel Zanetti, de 35 anos, foi colocado em um carro particular e levado para a UPA de Inoã. De lá, ele será transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo. O quadro de saúde do homem é considerado estável.

Segundo relatos, o grupo estaria comercializando drogas e o baleado não fazia parte do tráfico.

 

Fonte: leisecamarica.com.br

Drones flagram pesca predatória na Praia do Recanto, em Maricá

Um drone da Prefeitura de Maricá, utilizado pela autarquia de Serviços e Obras de Maricá (Somar) para acompanhamento e fiscalização de projetos, flagrou na última quinta-feira (30), na Praia do Recanto, em Itaipuaçu, pelo menos dez traineiras equipadas com redes de arrasto, em prática clara de crime ambiental.

Alguns dos barcos que pescavam próximos a Pedra do Elefante puderam ser identificados pelas imagens como as embarcações “Carlos Telles” e “S. Trindade”, ambas do Rio de Janeiro, e “Luiz Paulo II”, de origem não identificada. Ao serem flagrados, os barcos fugiram do local. A pesca com redes de arrasto só é permitida em áreas que não sejam de preservação e com profundidade superior a 5 mil metros.

Segundo pescadores artesanais da região, a presença de traineiras pescando com redes de arrasto tão perto é comum em praticamente todas as praias do município e alguns relatam já terem visto até 30 traineiras em um único dia. Na última quarta-feira (29), moradores do Recanto disseram que, ao amanhecer, o número de barcos passava de 20 no local.

De acordo com o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Júlio Carolino, a Prefeitura vem sistematicamente cobrando uma maior fiscalização junto à Capitania dos Portos e denunciando a pesca predatória que afeta um importante setor da economia local.

“Estamos fazendo tudo que está ao alcance da Prefeitura. As redes de arrasto causam prejuízos incalculáveis ao meio ambiente. Nos preocupa muito a presença dessas traineiras”, afirma Júlio Carolino. “Essas embarcações não respeitam o limite mínimo para a utilização de suas redes e isso prejudica muito a nossa vida marinha, não apenas os peixes, mas tartarugas, a fauna e tudo mais que as redes encontram pela frente”, alertou.

“Já mandamos ofícios para a Marinha, para a Capitania, para o Ibama, enfim, todos os órgãos competentes já foram comunicados a respeito dessa pesca predatória”, garantiu o secretário. A Capitania dos Portos havia feito uma blitz na véspera, em Ponta Negra, mas não atuou contra esses barcos.

“As traineiras arrebatam todos os cardumes que chegam à nossa costa. Hoje o pescador artesanal de Maricá não captura quase nada”, lamenta Paulo Cardoso, de 70 anos, pescador desde 2004 e atual presidente da Associação Livre de Aquicultura e Pesca de Itaipuaçu.

Pesca predatória prejudica ecossistema e economia local (Foto: Divulgação)

“A pesca industrial tem grandes embarcações com aparelhagem moderna e redes imensas que cercam os cardumes antes mesmos deles chegarem aqui. Os que chegam, as traineiras absorvem, pois embora sejam barcos menores possuem redes imensas. Nós temos apenas uma redinha pequena para tirar nosso sustento”, acrescenta. “A Marinha deveria fiscalizar a turma do arrasto que pega a criação, o peixe ainda pequeno, tudo incluindo os filhotes que ficam no fundo”, completa.

Muitas vezes quem pesca de forma predatória observa a atuação dos pescadores artesanais ou amadores para planejar a ação em larga escala. “Se a gente pesca num dia um bocado de xerelete ali, por exemplo, no dia seguinte o lugar está coalhado de traineiras. Depois a não conseguimos pescar mais nada”, diz Joel Miler, de 61 anos, que mora em Teresópolis e pesca por hobby em Maricá há mais de 30 anos.

É importante destacar que pescadores que realizam pesca predatória estão sujeitos a penalidades previstas na Lei de Crimes Ambientais. Em caso de flagrante, a embarcação e o pescado são apreendidos, o responsável é multado e responde por crime ambiental podendo ser punido com pena de um a três anos de reclusão.

Maricá entra em Estágio de Atenção devido às chuvas

A Prefeitura de Maricá, através da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, decretou Estágio de Atenção devido às chuvas das últimas horas. Até o início da manhã desta terça-feira (09), não foram registrados grandes transtornos ou chamados de emergência. Segundo a Defesa Civil, os bairros de Barra de Maricá e Guaratiba foram os locais com maior volume de chuva, com 60 mm nas últimas 24 horas.

As equipes da prefeitura estão nas ruas fazendo intervenções e escoando água em pontos isolados, como bolsões no Centro, São José do Imbassaí e Itaipuaçu (especialmente na Estrada dos Cajueiros). Em São José do Imbassaí, a água chegou a invadir casas nas Ruas Quinze de Agosto e Sete de Setembro, assim como na Comunidade do Mutirão.

Motoristas que passavam pela RJ-106 tiveram que aumentar a atenção à estrada devido aos bolsões d’água que se formaram por conta das chuvas. Também foram registrados alagamentos na localidade da Serrinha, entre Itaipuaçu e o bairro de Itaipu, de Niterói.

Com informações de Marica Info.