Edital do programa Favela Inova é lançado para auxiliar jovens empreendedores de comunidades e bairros periféricos do Rio

A Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUV-Rio) em parceria com o Pólen, o Polo de Inovação da Unisuam, lançam nesta terça-feira (16/03), o edital do programa Favela Inova. O objetivo é potencializar o perfil empreendedor já existente nas favelas e periferias do Rio e dar sustentabilidade de médio e longo prazos às ideias inovadoras desenvolvidas nesses territórios. As inscrições vão até dia 16 de abril e devem ser feitas neste site.

O secretário da JUV-Rio, Salvino Oliveira, comemorou a parceria e destacou a importância do edital.

– O empreendedorismo está cada vez mais forte na juventude e surge como uma oportunidade de renda, abrindo possibilidades para os jovens nem-nem, aqueles que não trabalham e nem estudam. É importante orientar e fortalecer as ideias que já circulam nas favelas, mas que acabam ficando na informalidade por falta de estrutura e conhecimento – explicou Salvino.

O público-alvo são jovens de 18 a 29 anos, moradores de comunidades, favelas e bairros periféricos da cidade do Rio de Janeiro. Serão duas modalidades de inscrição: germinação e incubação. A primeira é para desenvolver e validar ideias em estágio inicial, com ajuda e apoio para os passos iniciais da iniciativa empreendedora. Já a segunda modalidade é para aqueles projetos que estão em um estágio mais avançado de desenvolvimento.

Diego Braga,  gerente de Inovação da Unisuam e coordenador do Pólen, destaca:

– Levamos como bandeira a transformação social através da educação, empreendedorismo e inovação. Já realizamos este mesmo programa nacionalmente, no último ano, e agora chegamos para atender a juventude carioca e trabalhar para a potencialização das ações empreendedoras nas comunidades da cidade do Rio de Janeiro.

Podem se candidatar grupos de duas pessoas ou mais com uma ideia ou projeto que cause impacto na sociedade carioca, dando maior acesso a direitos sociais nas áreas de educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, transporte, lazer, segurança, previdência social, proteção à maternidade e infância ou assistência aos desamparados.

Apoio JUV-Rio

O Favela Inova surge para fortalecer a geração de emprego e renda entre os jovens da cidade, que representam, atualmente, 31,4% de desocupados na faixa de 18 a 24 anos. A JUV-Rio vai auxiliar os candidatos ao edital produzindo e divulgando um FAQ (Perguntas frequentes) com as principais dúvidas, uma cartilha de suporte à inscrição com orientações gerais e um formulário para que coletivos e equipes solicitem consultorias com o time da secretaria para inscrever o projeto.

Ao final do programa, a JUV-Rio vai disponibilizar ainda um diagnóstico da juventude empreendedora do Rio com base nos dados e informações dos inscritos e selecionados. A contrapartida dos participantes é que eles se tornem responsáveis por apoiar outros projetos, startups, ideias e eventos com suas experiências empreendedoras fortalecendo a cultura colaborativa.

Parceria com o Pólen

A parceria com o Pólen, Polo de Inovação da Unisuam, traz o suporte de especialistas de mercado, consultores, empreendedores e acadêmicos com experiência comprovada em aceleração de negócios inovadores para ajudar no amadurecimento das ideias e projetos inscritos. Serão oferecidas mentorias, oficinas, rede de contato, auxílio na estruturação dos negócios, apoio internacional e créditos em serviço para os projetos selecionados.

Serão escolhidos, de forma online, até 30 propostas e ideias inovadoras para o Programa de Germinação e Incubação do Pólen, selecionando pessoas físicas ou jurídicas, com ou sem CNPJ, para acelerar seus processos empreendedores. Todos os membros das seis equipes finalistas – três por cada modalidade – vão receber uma bolsa de estudos integral de graduação na Unisuam. Os três melhores projetos serão definidos por uma banca de avaliadores para cada modalidade do programa que apresentarão seus projetos para investidores no Demo Day.

Flamengo mantém apenas sete dos 16 sobreviventes no Incêndio no Ninho

A maior parte dos 16 jovens que se feriram no incêndio no Ninho do Urubu (há exatos dois anos matou dez garotos da base) completaram 16 anos em 2020 — idade em que é permitida a assinatura do primeiro contrato profissional. O clube, no entanto, só mantém em suas categorias inferiores sete sobreviventes. Dentre eles, cinco firmaram novo vínculo: o goleiro Francisco Dyogo, de 17 anos; o zagueiro Jhonata Ventura, de 16; e o atacante Cauan Emanuel — os três que se feriram com maior gravidade no acidente —, além do atacante Samuel Barbosa e o zagueiro Kayke Soares.

O volante Rayan Lucas, de 15 anos, aguarda o aniversário para renovar. Já o atacante Filipe Chrysman, de 18, não renovou e tem futuro incerto.

A lista de sobreviventes que não permanece no clube aumentou. No começo de 2020, o Flamengo dispensou seis atletas. Agora, mais um teve o contrato encerrado e não renovou: Jean Sales. Ele deixou o clube em dezembro e assinou com o Alverca, de Portugal, na semana passada.

“Quero agradecer a todos os envolvidos, pais e empresários por todo suporte até aqui. Que Deus me abençoe nesta temporada. Feliz e motivado na nova missão. Grato a tudo que Deus está me proporcionando”, postou o jogador em suas redes sociais.

 

Fonte: extra.globo.com

 

Bombeiros retomam buscas por vítimas de cabeça d’água que atingiu Capitólio (MG)

O Corpo de Bombeiros retomou neste domingo (3) as buscas por vítimas da cabeça d’água que atingiu um complexo de cachoeiras, entre São José da Barra e Capitólio (MG), na tarde deste sábado (2). Pelo menos duas pessoas morreram após serem arrastadas e cinco ficaram ilhadas.

O helicóptero Arcanjo fez uma busca aérea pela manhã na tentativa de localizar alguma vítima, mas não obteve sucesso e já retornou para Varginha (MG). Neste momento, a equipe de mergulhadores está no local para as buscas. Bombeiros procuram uma ou duas vítimas fatais, que provavelmente estão submersas no complexo de cachoeiras.

Bombeiros retomam buscas por vítimas de cabeça d’água que atingiu complexo de cachoeiras em MG — Foto: Corpo de Bombeiros

Na noite deste sábado (2), os bombeiros haviam confirmado a terceira morte causada pela cabeça d’água. Na manhã deste domingo (3), os militares informaram que apenas dois corpos foram localizados e identificados.

Eles foram encaminhados para o IML de Passos (MG). Elayla chagas Resende Corrêa de 24 anos e Helen Cristina Santos de Oliveira de 27 anos eram moradoras de Oliveira (MG).

A Marinha do Brasil divulgou uma nota na noite deste sábado (2), lamentando o ocorrido. Segundo a marinha, a inspeção naval da Delegacia Fluvial de Furnas se deslocou para o local do acidente. Eles orientaram as embarcações a se afastarem para uma área segura e recolheram os corpos de duas vítimas.

Fonte: g1.com