Flamenguista que pedalou 6 mil km para ir à final da Libertadores ganha convite da Conmebol

A mobilização da torcida do Flamengo fez a Conmebol convidar o torcedor Gabriel Teixeira Marques, de 31 anos, que foi de Roraima a Montevidéu de bicicleta, para acompanhar a final da Libertadores contra o Palmeiras.

Depois de percorrer 6 mil quilômetros, a maioria pedalando, Gabriel ficará no setor de hospitalidade do estádio Centenário e vai comer e beber de graça.

O ingresso para esta parte do palco custa 1600 dólares.

No asfalto esburacado a centímetros dos caminhões que passam em alta velocidade, Gabriel decidiu sair de Roraima rumo a Montevidéu apenas para ficar perto do Flamengo na decisão da Libertadores.

A saga do ciclista rubro-negro ganhou as redes sociais no último fim de semana e ele recebeu apoio para fazer uma parte do trajeto de ônibus. Todo o percurso é publicado em uma página no Instagram, a @embuapedaltrip. Recentemente, Gabriel passou por Tubarão (SC) e não teria tempo para chegar a Montevidéu, mas uma vaquinha o ajudou a andar 540km sem ter que pedalar. Depois, ele pediu que as doações fossem encerradas.

Em suas últimas publicações, Gabriel contou ter pedalado 130km em apenas um dia, e disse dormiria em um posto de gasolina de Santa Vitória do Palmar (RS), na fronteira com o Uruguai. A cidade fica a 350km de Montevidéu.

“Nem tinha muito essa expectativa de ter ingresso. Era pra ir até o estádio e acompanhar ao redor, assim como eu creio que muitos farão participar da comemoração, caso vençamos. E já tá ótimo”, disse o flamenguista ao site da FolhaBV.

Em Boa Vista, familiares do ciclista revelaram à mesma FolhaBV que Gabriel deixou Boa Vista de bike, no dia 14 de agosto sem avisar ninguém. Segundo o irmão, Marcel Teixeira Marques, familiares tinham o ciclista como “desaparecido”.

“Por um acaso, a minha irmã encontrou ele nas redes sociais, na página de torcedores no Instagram e ficamos felizes em ter notícias dele, mas ele não nos responde”, disse.

Flamengo X Palmeiras: Quem leva a melhor nessa disputa de gigantes?

Nos últimos cinco anos, o futebol brasileiro tem dois clubes hegemônicos: Palmeiras e Flamengo. Neste sábado, às 17h, em Montevidéu, as equipes jogam a maior final da história dos confrontos entre elas, para decidir quem ficará com a taça da Libertadores.

Como Palmeiras e Flamengo chegaram ao topo? Quanto os clubes gastaram em contratações? Quem foi contratado? Quem foi vendido? Quais foram os destaques palmeirenses e rubro-negros em cada campanha? O ge fez esses levantamentos que ajudam a explicar por que os dois times acumularam conquistas recentes e chegaram à final da atual Libertadores.

A primeira comparação diz respeito aos atletas utilizados. Quem jogou mais vezes pelo Palmeiras nas temporadas dos últimos títulos brasileiros? E no ano do bi da Libertadores? No lado rubro-negro, quais foram as presenças mais constantes no ano mágico de 2019? E na atual temporada? Veja abaixo quantas vezes cada jogador atuou pelos dois clubes.

O que explica um domínio tão grande do Brasil na Libertadores?

A Libertadores terá uma final brasileira pela segunda vez seguida. Depois de Palmeiras e Santos, agora serão Palmeiras e Flamengo que disputarão o título da edição 2021. Não é uma coincidência. Os clubes brasileiros se tornaram mais e mais fortes ao longo dos últimos 20 anos, a ponto de terem conquistado 4 dos últimos 5 títulos da Libertadores – já contando o deste ano. Os processos que levaram a isso combinam alguns fatores, como aumento substancial de receitas, aumento de vagas para o país e crises econômicas que afetaram mais os vizinhos do que o Brasil.

A Libertadores 2021 começou com oito clubes brasileiros, ou seja, 40% da Série A. Destes, sete disputaram a fase de grupos, com um eliminado nas fases preliminares. Seis se classificaram às oitavas de final e cinco avançaram até as quartas de final – ou seja, mais da metade das quartas de final foi com clubes brasileiros. Na semifinal, foram três clubes brasileiros e um equatoriano, que ficou pelo caminho. A final será totalmente brasileira pela quarta vez na história, depois de 2005, 2006 e 2020. O cenário atual do futebol sul-americano indica que o domínio dos brasileiros deve continuar por mais algum tempo.

 

Créditos: bandsports.band.uol.com.br e interativos.globoesporte.globo.com

Libertadores: trio de Flamengo e Palmeiras busca 3º título particular e entrada em grupo seleto histórico

Palmeiras e Flamengo disputarão no próximo sábado (27), em Montevidéu, o título da Conmebol Libertadores. Os dois clubes contam com muitos jogadores que participaram das conquistas de 2019 e 2020, mas só três dos envolvidos na final podem se dar ao luxo de entrar em um grupo histórico.

Flamengo:

O Flamengo já está no palco da final da Libertadores. Com mobilização de torcedores na porta do hotel, a delegação desembarcou em Montevidéu no fim da manhã de quarta-feira para a decisão de sábado. Na parte da tarde, Renato Gaúcho comandará treinamento no estádio Campeón del Siglo, que pertence ao Peñarol.

Após desembarcar no aeroporto, a delegação do Flamengo chegou, por volta de 13h15 (horário de Brasília), de ônibus ao hotel em que ficará hospedada. Cerca de 20 torcedores faziam a festa no local. Vindo de vários estados do Brasil, eles cantavam músicas de apoio aos jogadores e provocavam o Palmeiras.

Por privacidade, como aconteceu em Lima, o clube abriu mão de trabalhar no estádio Centenário e fará apenas um “passeio” para reconhecimento do gramado, sexta-feira, com os jogadores de tênis. Na véspera da partida estão previstas também entrevistas coletivas de Renato Gaúcho e do capitão Everton Ribeiro.

O estádio dos carboneros será a casa rubro-negra na capital uruguaia também para facilitar a logística, já que fica perto tanto do hotel quanto do aeroporto. A atividade está marcada para as 16h com a presença de todos os jogadores que não iniciaram o empate com o Grêmio. O Flamengo ainda treina no local quinta e sexta-feira, ambos às 15h30.

O Flamengo chega para final da Libertadores com todo o elenco à disposição. Com a presença de Arrascaeta e Pedro no 2 a 2 com o Grêmio, Bruno Henrique é o único dos principais jogadores que não entrou em campo na passagem por Porto Alegre, mas não preocupa. O camisa 27 foi poupado para aliviar as dores causadas por uma tendinite no joelho, mas estará em campo no dia 27.

Desta maneira, a tendência é que o Flamengo busque seu terceiro título de Libertadores com Diego Alves, Isla, Rodrigo Caio, David Luiz e Filipe Luís; Willian Arão, Andreas Pereira, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabriel. Será a 12ª final disputada no estádio Centenário, onde o Rubro-Negro foi campeão em 1981.

 

Palmeiras:

No início da tarde desta quarta-feira, o elenco alviverde embarcou para Montevidéu, onde buscará o tricampeonato continental neste sábado.

Com uma grande festa da torcida, a delegação do Verdão deixou a Academia de Futebol pouco antes das 13h e seguiu para o aeroporto internacional de Guarulhos.

Jogadores, comissão técnica e dirigentes, antes de entrar em dois ônibus do clube, foram homenageados por funcionários, que se reuniram para desejar boa sorte à delegação.

Ao deixar o CT, o elenco se deparou com milhares de torcedores. Os fãs começaram a se reunir na avenida Marquês de São Vicente desde o meio da manhã. Estouraram fogos, portaram bandeiras, cantaram o hino. E foram ao delírio às 12h57, quando os ônibus despontaram no portão.

Os veículos ficaram cerca de dez minutos cercados pela torcida – até conseguirem se deslocar, com batedores da polícia, para Guarulhos, onde chegaram às 13h35.

Lá, os jogadores desceram dos ônibus e entraram no aeroporto por um portão alternativo. Por orientação da polícia, não houve presença de torcida no local.

Às 14h20, os jogadores iniciaram a entrada no avião. O embarque estava previsto para por volta de 15h. A chegada a Montevidéu é aguardada para o fim da tarde.

Os treinamentos começam na quinta. Na sexta, ocorrem os eventos oficiais da final, como o reconhecimento do gramado do Centenário.

Flamengo faz planejamento especial para ter titulares inteiros em final da Libertadores

A 17 dias da final da Libertadores, a estratégia do Flamengo para ter força máxima contra o Palmeiras passa por deixar o Brasileiro em segundo plano. Embora a diretoria tenha subido o tom nas críticas sobre a arbitragem após mais um tropeço, internamente o clube foca em um trabalho de recuperação que, no limite, prioriza ter os 11 titulares em boas condições físicas para jogar 90 minutos em alta intensidade no dia 27.

Em função dessa preparação, que aposta em um conjunto mais entrosado, e no retorno de Arrascaeta, o técnico Renato Gaúcho é absolvido no departamento de futebol pela total falta de padrão de jogo nas últimas partidas. Há incômodo com os resultados, com o trabalho em si de toda a comissão e departamento médico, mas os problemas são ignorados por um bem maior: o tricampeonato da América.

Sob pressão, o planejamento prevê que jogadores lesionados sejam recuperadods e adquiram ritmo de jogo até a final. E que os mais desgastados, mas sem problemas musculares, se desdobrem até o limite, quando serão preservados. No primeiro exemplo, encaixa-se especialmente David Luiz. O zagueiro deve retornar contra o Bahia, e atuar de preferência nos confrontos no Rio, para que evite o desgaste da viagem e faça trabalhos regenerativos no Centro de Treinamento do clube.

O jogador voltou a atuar após 40 dias na última sexta, vindo de lesão, e depois de atuar por 90 minutos pela primeira vez foi preservado contra a Chapecoense. O mesmo aconteceu com o goleiro Diego Alves e em jogos anteriores com o zagueiro Rodrigo Caio. Ainda em recuperação de lesão, Pedro, Filipe Luis e Arrascaeta passarão pelo mesmo processo. Farão um trabalho minucioso, com cada etapa de recuperação prolongada, acompanhados de perto por fisioterapeutas, preparadores físicos e pelo técnico Renato Gaúcho.O controle de carga contou pontos a favor do departamento de saúde do Flamengo, muito criticado. O próprio David Luiz saiu em defesa do setor publicamente.

Depois da lesão de vários atletas, o Flamengo adotou mais cautela para liberá-los para os jogos, sobretudo próximo da final da Libertadores. David Luiz, por exemplo, disputou diversos coletivos e fez mais de uma dezena de treinos com bola junto ao elenco antes de voltar a jogar contra o Atlético-GO. Jogou sexta e treinou sábado, domingo, segunda e terça para ficar à disposição contra o Bahia, no Maracanã, amanhã. Até pela idade, o jogador requer uma recuperação mais detalhada após os jogos, e para isso lança mão dos equipamentos de última geração do Ninho do Urubu, como a câmera hiperbárica e botas de descompressão

Já Arrascaeta, que completou dois meses da lesão na coxa sofrida pelo Uruguai, deve iniciar a transição para a parte física nos próximos dias. A ideia é que o meia dispute alguns jogos pelo Brasileirão antes da final da Libertadores. Fora da convocação para as Eliminatórias, o jogador não atua há dez partidas no Flamengo e também não deu indícios de voltar contra o Bahia.

No microfone

Figuras responsáveis pelo dia a dia do futebol do Flamengo, o vice de futebol Marcos Braz e o diretor Bruno Spindel fizeram, juntos, o papel que no próprio clube se esperava do presidente Rodolfo Landim. Afinaram discurso contrário aos erros de arbitragem, reconheceram a queda de produção da equipe, e mantiveram a blindagem ao trabalho do técnico Renato Gaúcho. Depois do tropeço, o muro do Ninho do Urubu foi pichado com xingamentos ao técnico e à diretoria.

– Se não tivesse mantido já tinha anunciado lá. Se tivesse acontecido alguma coisa diferente geralmente se anuncia depois do jogo – disse o vice-presidente, desconfortável com o questionamento. O contrato de Renato Gaúcho acaba em dezembro e não há conversas para a renovação.

Conmebol e governo uruguaio querem final da Libertadores de Palmeiras X Flamengo com até 100% de público em Montevidéu

A final da Copa Libertadores entre Palmeiras e Flamengo, marcada para o dia 27 de novembro, pode ter até 100% de público. Segundo o secretário de esportes do Uruguai, Sebastián Bauzá, Conmebol e governo uruguaio estão trabalhando pela possibilidade de chegar próximos aos 60 mil torcedores no Estádio Centenário.

A informação foi revelada em entrevista do secretário à rádio uruguaia Sport890 e reproduzida pelo jornal “El País”. Um público de 50% já estaria assegurado para decisão, segundo o diário. A Conmebol ainda não anunciou oficialmente qualquer informação sobre a presença de torcedores na final.

A secretaria de esportes do país tem mantido reuniões semanais com a Conmebol para tratar sobre o tema e tem consultado o ministério da saúde do país para tentar chegar a um número ideal de torcedores para a decisão. A baixa nos casos de Covid-19 e a boa resposta à vacina podem facilitar uma autorização.

Segundo o “El País”, o governo deve anunciar ainda este mês uma autorização de 20% de público a mais nos estádios do país. Mas os 100% na decisão da Libertadores seguem como “mais um anseio do que uma certeza”.

Em agosto, o governo do Uruguai havia anunciado a abertura das fronteiras aos estrangeiros a partir de 1º de novembro. Entre as exigências aos brasileiros, estão o comprovante de vacinação (de preferência o gerado em espanhol pelo aplicativo Conecte SUS) e a apresentação de um teste RT-PCR negativo para Covid-19 feito até 72 horas antes da viagem.

Passando por reformas no gramado e nos vestiários, o Centenario tem capacidade total para cerca de 60 mil pessoas. Um público considerado para a cidade de pouco mais de um milhão de habitantes. Segundo dados do turismo, antes da pandemia, o país todo recebeu pouco mais de 450 mil brasileiros em 2018. Este número foi um pouco maios em 2019.

Ter a capacidade total permitida siginficaria que a capital receberia em um fim de semana praticamente 15% de todos os viajantes brasileiros que visitaram o Uruguai em 2018.

A capital uruguaia também vai receber as finais da Sul-Americana (dia 20) e da Libertadores feminina (dia 21).

 

Crédito: extra.globo.com