Macaé identifica frascos da CoronaVac com quantidades menores de doses

A Prefeitura de Macaé informou que identificou o recebimento de frascos da vacina CoronaVac com quantidade de doses menor do que as descritas na embalagem.

De acordo com a prefeitura, o caso de frascos que apresentam rendimento insuficiente para a aplicação de 10 doses foi encaminhado pela secretaria Adjunta de Atenção Básica à secretaria estadual de Saúde.

O município informou que os dados serão repassados também à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), conforme orientação do Ministério da Saúde.

“A nossa equipe segue os critérios adequados de aspiração e aplicação nas campanhas de vacinação, sem que haja prejuízos. A troca dessas informações ajuda a garantir maior transparência sobre o volume de vacinas recebidas pela cidade, e o total de doses efetivamente aplicadas”, explicou o secretário adjunto de Atenção Básica, Luiz Carlos Braga.

A prefeitura não divulgou quantos frascos apresentaram doses reduzidas.

Na terça-feira (13), o Instituto Butantan informou que vai revisar a bula da CoronaVac após queixas de pelo menos 12 estados sobre frascos com menos doses.

O Instituto admitiu ainda a possibilidade de incluir um QR Code na bula da vacina CoronaVac para orientar a extração de 10 doses em cada frasco do produto.

O Ministério da Saúde afirmou que a orientação é para que estados e municípios registrem no formulário técnico quando não for possível aspirar o total de doses declaradas nos rótulos das vacinas, e que a análise dessas ocorrências seja conduzida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A agência declarou que todas as hipóteses estão sendo avaliadas para que se verifique a origem do problema e não haja prejuízos à vacinação em curso no país.

 

 

Fonte: rlagos

Macaé: Ministério Público Estadual recomenda exoneração do irmão do prefeito

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Macaé, recomendou ao prefeito do município, Welberth Rezende (Cidadania), a exoneração de seu irmão, Márcio Porto Rezende, que atualmente é secretário municipal de Infraestrutura.

Segundo o MP, o atual secretário da pasta não possui a qualificação técnica necessária para exercer o cargo e a nomeação afronta a Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal (STF), que proíbe a nomeação de familiares para cargos políticos no caso dessa hipótese.

O documento destaca que a Súmula do STF é clara ao não permitir aos administradores públicos a nomeação de familiares para cargos políticos em caso de falta de qualificação técnica e evidente inaptidão do nomeado para o exercício da função.

Ao analisar os documentos apresentados pela prefeitura no inquérito civil instaurado para apurar a legalidade da nomeação, não se comprovou experiência profissional que qualificasse Márcio a assumir as responsabilidades da Secretaria Municipal de Infraestrutura, uma vez que o irmão do prefeito possui certificado de conclusão de curso de Eletrotécnica em nível médio, e histórico profissional de pintor e inspetor de pintura. Além disso, ainda de acordo com o Ministério Público, a ficha funcional encaminhada pelo município confirma que o irmão do prefeito nunca exerceu função pública no Poder Executivo Municipal, vindo a ser nomeado quando Welberth Rezende assumiu o cargo de prefeito, o que poderia indicar que a nomeação de Márcio teria ocorrido única e exclusivamente em razão do parentesco existente entre os dois.

“A escolha do Poder Executivo não pode e não deve ser absoluta, sob pena de desvirtuar a contratação pública para fins pessoais, de forma que a nomeação do agente não pode ser baseada apenas no grau de parentesco, mas que seja levada em conta, a capacidade técnica do nomeado para o desempenho da função de forma eficiente”, diz um dos trechos da recomendação do MP. O documento fornece o prazo máximo de dez dias, a contar do dia 05 de abril, para que o prefeito informe ao órgão judiciário, sobre as providencias adotadas, para o cumprimento da medida recomendada e pede também que o prefeito Welberth Rezende, abstenha-se de nomear, no Poder Executivo Municipal, o irmão e outras pessoas em descompasso com os regramentos jurídicos vigentes.

Em resposta, a Prefeitura de Macaé informou que, apesar do entendimento do governo municipal reconhecer a qualificação técnica do Secretário Municipal de Infraestrutura, Márcio Rezende, comprovada por registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA-RJ) e atuação por quase 20 anos na indústria de óleo e gás, o governo municipal irá cumprir a recomendação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

 

Fonte: rjnews

Homem é executado em Macaé

Na noite de terça-feira 06 de Abril, um homem que ainda não foi identificado foi executado.

De acordo com a Polícia Militar, dois caras que estavam em uma moto acertaram cerca de 10 tiros atingindo o homem que havia sido cercado no bairro Lagomar na rua W4. O corpo da vítima será levado para o IML da cidade.

O caso será registrado na 123ª DP, ninguém foi preso.

 

Jovem morre após ter bebê arrancado da barriga em Macaé

Uma jovem que estava grávida de oito meses foi encontrada morta no bairro Nova Holanda, em Macaé (RJ), na tarde desta quarta-feira (17), após ter o bebê arrancado da barriga e levado, segundo a polícia. O caso foi confirmado pela Polícia Militar, que disse ainda que uma mulher foi detida ao dar entrada no Hospital Público Municipal de Macaé.

A mulher deu entrada com um bebê morto na UPA da Barra e foi encaminhada para o hospital municipal para passar por exames.

De acordo com profissionais da unidade de saúde, ela chegou a dizer que tinha parido a criança e que havia caído da escada com o bebê, mas exames constataram que ela não esteve grávida.

A vítima, Pâmella Ferreira Andrade Martins, de 21 anos, era casada, já tinha um filho de 2 anos e estava grávida de outro menino.

Uma testemunha, que preferiu não se identificar, revelou que a vítima estava trancada no banheiro. Somente após arrombarem a porta, viram o que tinha ocorrido com a jovem. A reportagem ainda não conseguiu confirmar oficialmente os detalhes passados pela testemunha e aguarda retorno da Polícia Civil.

Ainda segundo a testemunha, a situação gerou comoção e revolta dos moradores.

Fonte: g1.globo.com

Macaé: Prefeitura coloca pedras em estrada para impedir que motoristas fujam das barreiras sanitárias

A Prefeitura de Macaé, colocou pedras em uma estrada da cidade para impedir que motoristas tendem driblar as barreiras sanitárias, que foram retomadas no último sábado 13 de Março, para tentar conter o avanço da Covid-19 no município.

De acordo com a Prefeitura, a estrada do Imburo estava sendo utilizada como rota alternativa por motoristas para fugir do bloqueio sanitário.

As barreiras sanitárias retomadas no sábado permitem a entrada apenas de pessoas que comprovarem vínculo com o município, seja de trabalho ou moradia. A comprovação deve ser feita por documento correspondente que poderá ser apresentado em meio físico ou digital.

Os bloqueios sanitários foram montados no trevo de acesso ao Parque de Tubos, na RJ-168 (antes do acesso à BR-101), Rodovia Amaral Peixoto, próximo ao polo de Cabiúnas e no Portal do Sana.

As ações foram definidas pelo Comitê de Combate à Covid-19, grupo técnico-científico formado por especialistas na área de Covid-19, com profissionais de diferentes áreas de atuação da rede pública e privada.

Ainda de acordo com a Prefeitura, o número de casos vindo de outros municípios tem aumentado consideravelmente.

Fonte: g1.globo.com