Filhos de Flordelis são condenados pela morte do pastor Anderson do Carmo

Dois dos filhos da ex-deputada federal Flordelis foram condenados nesta quarta-feira (24) por envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

Flávio dos Santos Rodrigues, acusado de atirar no padrasto, foi condenado a 33 anos e dois meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, porte ilegal de arma, uso de documento ilegal e associação criminosa armada.

Já Lucas Cézar dos Santos Souza, apontado por comprar a arma do crime, foi condenado a sete anos e meio por homicídio triplamente qualificado. Sua pena foi reduzida por ter colaborado com as investigações.

O julgamento desta terça foi presidido pela juíza Nearis dos Santos Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, no Fórum da cidade. A defesa de Flávio afirmou que vai recorrer. Já os advogados de Lucas disseram concordar com a pena imposta ao cliente.

O julgamento da ex-deputada Flordelis e de outros oito acusados do crime ainda não tem data marcada. Ela foi denunciada como mandante do crime e responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

A sessão começou na tarde desta terça-feira (23), e a sentença foi proferida por volta das 5h15 desta quarta.

Em 15 horas de julgamento, oito pessoas prestaram depoimento, e os réus foram interrogados.

Jorge de Souza, pai adotivo do pastor, foi um dos primeiros a chegar ao Fórum e acompanhou o julgamento até as 22h de terça. Segundo a defesa da família, ele não se sentiu bem e foi colocado em um carro para ir embora.

‘Sofrimento da mãe’

Em seu interrogatório, ainda na noite de terça, Lucas afirmou que Flávio queria acabar com o sofrimento da mãe.

Segundo Lucas, Flávio teria contado sobre seu desejo numa conversa cerca de um mês antes do assassinato. Na ocasião, Flávio também teria dito que Flordelis estaria sofrendo por causa de “trâmites” de Anderson em Brasília.

Lucas afirmou que não sabia que a pistola Bersa 9 milímetros que comprou seria usada para matar o pastor.

Anderson, ex-marido de Flordelis, foi assassinado a tiros em 2019. A ex-parlamentar é acusada de ser a mandante do crime.

Flordelis está presa desde o dia 13 de agosto, um dia após a perda do mandato parlamentar na Câmara dos Deputados e ter sido expulsa do PSD. Ela está no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio.

O julgamento

O pai adotivo do pastor Anderson do Carmo, de 81 anos, foi um dos primeiros a chegar no fórum de Niterói, no início da tarde desta terça-feira.

A delegada Barbara Lomba foi a primeira a ser ouvida durante o julgamento desta terça. Lomba afirmou que a ex-deputada federal foi a responsável por elaborar uma carta que responsabilizaria outros filhos pelo assassinato do pastor.

De acordo com o depoimento da delegada, a carta foi copiada por Lucas – filho afetivo da ex-deputada – a mando do filho biológico Flávio, quando os dois estavam presos na penitenciária Bandeira Stampa, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu.

Flávio teria recebido a carta da esposa de outro detento, um ex-PM condenado a mais de 200 anos de prisão por ter participado da chacina da Baixada Fluminense.

O conteúdo da carta, disse a delegada, não esclarecia nada do crime, apenas tentava culpar outras pessoas da família de encomendar a morte do pastor.

Filha de Flordelis sobre ‘irmão’: ‘É uma pessoa ruim, mesmo’

Roberta dos Santos, filha registrada de Flordelis, foi a quinta pessoa a depor no julgamento de Flávio e Lucas. Segundo ela, Flávio, um dos dois filhos julgados nesta terça, é uma “pessoa ruim”.

Roberta contou que o “irmão” mais velho castigava os mais novos de forma rígida, às vezes os obrigando a ajoelhar em grãos de milho, virados para a parede.

A filha registrada de Flordelis, mas que fora criada por outros irmãos mais velhos, também contou ter presenciado uma surra dada por Flávio em um irmão surdo-mudo.

“Ele socava o estômago do Lucas”, relatou Roberta.

O Lucas mencionado por ela não é o mesmo que também é julgado nesta terça. A sessão de espancamento, segundo Roberta, foi interrompida por outro irmão, André, que em seguida teria tido uma tesoura cravada nas costas por Flávio.

Além de Roberta, também foram ouvidos Misael, filho de Flordelis que acredita que a mãe é responsável pela morte de Anderson, Luana Rangel, casada com Ismael e mais dois delegados responsáveis pelo caso.

Regiane Ramos, testemunha de defesa e ex-patroa de Lucas César dos Santos, também foi ouvida essa nesta terça-feira.

O que acontecerá com a herança de Marília Mendonça? Entenda o caso

A cantora Marília Mendonça que faleceu no último dia 5, vítima de um acidente aéreo, deixou um filho, Léo, de 1 ano e 11 meses. Aos poucos, ainda lidando com a dor da perda, a família resolve questões burocráticas sobre o futuro do pequeno. A guarda dele, conforme já anunciado, será compartilhada entre o pai, Murilo Huff, compositor e cantor sertanejo, e a avó materna, Ruth Dias. Em até 60 dias, deverá ser aberto um processo para o inventário da herança.

A advogada Marilene Novelli Siragni, do escritório PNST Advogados, explicou que é possível, mas não provável que Marília tenha deixado um testamento:

— Na idade dela, não é comum que se faça testamento, pois a pessoa não espera falecer. Mas, se houver testamento, ela pode ter disposto de 50% do que tinha para quem quisesse. Obrigatoriamente, 50% de tudo o que uma pessoa tem é do filho. Não havendo testamento, o filho herda 100%.

Como Léo é menor de idade, mesmo sendo o titular de toda a herança, a administração do dinheiro não será feita por ele pelos próximos 16 anos, aproximadamente. Especialistas em Direito Familiar apresentam possibilidades diferentes para quem será seu representante jurídico e o administrador dos bens.

Marilene aponta que deve ser o genitor, Murilo. Já Alexandre Ricco, do escritório Menezes & Ricco Advogados, acredita que assim como a guarda, essas responsabilidades podem ser divididas entre o pai e a avó Ruth.

Alexandre pontua que a administração dos bens não significa necessariamente o acesso irrestrito à herança.

— Pode haver no processo alguma cláusula imposta pelo magistrado ou pelo Ministério Público, que acompanha casos envolvendo menores de idade para salvaguardar os interesses deles. Considerando que as necessidades de uma criança tão pequena têm uma limitação, pode ser exigida uma prestação de contas sazonal para os representantes do herdeiro ou até a apresentação de pedidos de autorização judicial para a venda de patrimônio — afirma.

Na legislação brasileira, é previsto o prazo de um ano para a conclusão de um processo de inventário.

 

Crédito: https://extra.globo.com/

Polícia Civil conclui investigação e deve pedir arquivamento do caso que resultou na morte de MC Kevin

A Polícia Civil do Rio pretende pedir o arquivamento do caso da morte do MC Kevin, ocorrida no dia 16 de maio, após ele cair de um quarto de hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

De acordo com o delegado Leandro Gontijo, da 16ª DP, que concluiu as investigações, não houve indícios de brigas, ações violentas ou qualquer tipo de crime no episódio.

Para a polícia, o que aconteceu na noite do dia 16 de maio foi que MC Kevin tentou sair do quarto pulando a janela para acessar o andar inferior e caiu.

“Foi um fato trágico, porém atípico e sem previsão legal para os investigados”, declarou o delegado Gontijo.

Modelo prestou novo depoimento

Na quarta-feira (10), a modelo Bianca Dominguez, que estava no quarto com Kevin quando o fato aconteceu, foi ouvida novamente, mas não acrescentou nenhum fato novo à investigação, nem caiu em contradição.

Ao sair da delegacia, ela falou com a imprensa e declarou: “Não houve mudança de versão, tive minha vida afetada, minha vida exposta, tive que parar minha faculdade, minha família foi exposta. É normal a pessoa ficar com a mente um pouco danificada, mas nunca menti. Eu nunca mudei de versão, falei as mesmas coisas de agosto”, disse ela sobre o uso de substâncias ilícitas no dia da queda de Kevin.

O Caso

No dia 16 de maio, MC Kevin, de 23 anos, caiu do 5º andar de um quarto de hotel na Barra da Tijuca. O funkeiro, que era natural de São Paulo, estava no Rio de Janeiro para uma série de shows. Ele estava acompanhado da mulher, Deolane Bezerra, e alguns amigos.

Após um desentendimento com a mulher, Kevin foi para praia da Barra da Tijuca, onde consumiu bebida, algumas substâncias ilícitas e conheceu Bianca Dominguez, a quem convidou para ir até o seu quarto.

Segundo depoimentos dos envolvidos na ação à polícia, ao achar que a mulher estava indo até o seu quarto e que poderia flagrá-lo com Bianca, Kevin pulou a janela para tentar acessar o andar de baixo, mas acabou caindo.

Crédito: g1.globo.com

Homem morre atropelado por caminhão em Casimiro de Abreu

Um homem morreu depois de ser atropelado por um caminhão, na noite deste sábado (23), no km 205 da BR-101, em Casimiro de Abreu, no interior do Rio. A vítima ainda não teve o nome divulgado. Segundo testemunhas, o acidente aconteceu próximo ao Parque de Exposições da cidade, pouco antes do início do show da dupla sertaneja Jorge & Matheus.

A concessionária que administra a rodovia informou que foi acionada às 21h50, mas quando os socorristas chegaram ao local, o homem já estava sem vida. O motorista do caminhão envolvido no acidente saiu ileso. O atropelamento aconteceu na pista sentido Rio de Janeiro, e durante o atendimento da ocorrência, a faixa da esquerda ficou interditada.

O tráfego foi liberado por volta das 23h30, após a realização da perícia técnica preliminar. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Macaé, no Norte Fluminense. Procurado pelo Informe, o IML informou que o corpo permanece na unidade neste domingo (24), e que os familiares da vítima ainda não compareceram ao local para fazerem o reconhecimento.

 

Crédito: www.informerj.com.br

Acidentes fatais durante gravação de filmes são mais comuns do que se pensa; Conheça alguns casos

Acidentes acontecem em sets de filmagens e algumas vezes podem ser fatais. Na quinta-feira (21), o ator Alec Baldwin disparou uma arma cenográfica que matou uma mulher e deixou um homem ferido no set do filme “Rust” no estado americano do Novo México, nos Estados Unidos.

A diretora de fotografia Halyna Hutchins, de 42 anos, morreu, e o diretor do filme, Joel Souza, de 48 anos, foi atingido, mas teve alta médica. Essa não é a primeira vez que um profissional do cinema morre em uma gravação. Já houve casos de atores que foram atingidos de forma semelhante.

Veja artistas que sofreram acidentes fatais no set:

Brandon Lee, de ‘O Corvo’

Brandon Lee, o filho do ator Bruce Lee, morreu em 1993 durante as gravações do filme “The Crow “ (O Corvo). Ele tomou um tiro na barriga ao filmar uma cena. A arma cenográfica devia estar carregada com bala de festim, mas havia duas balas na pistola. O ator Michael Massee deu o tiro em Lee, que foi levado para o hospital e morreu depois de 12 horas. As balas de festim não têm pólvora e nem detonador. No set de “O Corvo”, as balas de festim eram feitas pela própria produção do filme. A arma ainda tinha um cartucho dentro dela e, quando foi feito o disparo com o tiro de festim, essa outra bala saiu do cano da pistola. Ninguém havia checado a arma antes da cena.

Justin Carter

O cantor de country Justin Carter morreu após disparar acidentalmente contra si mesmo em 2019. Ele estava gravando um novo clipe em Houston, no Texas, quando tirou uma arma de seu bolso e atirou em seu próprio olho. A arma estava sendo usada no vídeo. Carter, que era considerado uma estrela em ascensão no country, morreu aos 35 anos.

Vic Morrow, de ‘No Limite da Realidade’

Durante as gravações de “No Limite da Realidade” em 1982, o ator morreu decapitado quando o helicóptero em cena perdeu o controle. Além dele, dois atores de 6 e 7 anos também ficaram feridos e morreram na hora. No filme, ele interpretava um homem racista que era colocado de voltar no tempo em situações de uma vítima perseguida. Eles estavam gravando uma sequência do Vietnã, em que os personagens tentavam escapar de uma aldeia vietnamita deserta em um helicóptero do Exército dos Estados Unidos.

Roy Kinnear, de ‘A Volta dos Mosqueteiros’

O ator inglês morreu após cair de um cavalo durante as filmagens de “A Volta dos Mosqueteiros”, de 1989. Ele foi internado e sofreu um infarto. A queda foi em Toledo, e a morte em Madri, na Espanha. O ator tinha 54 anos e era mais conhecido pelos papéis em comédias.

John Bernecker, de ‘The Walking Dead’

O dublê sofreu um acidente no set de The Walking Dead em 2017. Fontes informaram que Bernecker caiu de uma altura de 9 em um chão de concreto. Ele foi encaminhado ao hospital, chegou a melhorar, mas não resistiu.

Bernecker trabalhou em “Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (2015), “Quarteto Fantástico” (2015), “As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras” (2016) e “Logan” (2017). Ele também participou de “Pantera Negra”, mas não chegou a ver o filme estrear.

Joi ‘SJ’ Harris, de ‘Deadpool 2’

A dublê Joi “SJ” Harris morreu em cena em seu primeiro filme. Durante as gravações de “Deadpool 2”, Harris, que foi a primeira negra a se tornar piloto profissional de motociclismo nos Estados Unidos, perdeu o controle da moto. Ela acelerou no momento em que devia frear, por isso acabou colidindo em uma janela de vidro. O acidente aconteceu em agosto de 2017, em Vancouver.

David Ritchie, de ‘Jumper’

David Ritchie estava trabalhando nos cenários de “Jumper”, aventura de 2008, quando um enorme bloco de areia, terra e gelo escorreu em direção à equipe técnica do filme. Ele morreu na hora e outras duas pessoas ficaram feridas durante o acidente.

Kun Lieu, de ‘Os Mercenários 2’

Kun Lieu, dublê do filme de ação “Os mercenários 2” (2012), morreu durante as gravações do longa estrelado por Sylvester Stallone. O acidente na Bulgária aconteceu durante uma cena de explosão e deixou outro dublê ferido.

Conway Wickliffe, de “Batman – O Cavaleiro das Trevas”

Conway Wickliffe, de 41 anos, fazia parte da equipe de efeitos especiais de “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de 2008. Ele estava no banco de trás de um carro que bateu em uma árvore, durante as filmagens na Inglaterra.

Crédito: g1.globo.com