“Uma operação com 25 mortos não pode ser considerada eficaz” diz defensora pública

 Jacarezinho

“Um grande absurdo” e “terror generalizado” foram algumas das definições de defensores públicos e representantes de instituições ligadas à defesa dos direitos humanos sobre a operação policial na Favela do Jacarezinho, ocorrida entre a manhã e tarde desta quinta-feira (6).

A operação da Secretaria estadual de Polícia Civil na comunidade da Zona Norte do Rio de Janeiro foi a mais letal da história do Rio de Janeiro, com 25 mortos – um deles o policial civil André Farias, que trabalhava numa unidade especializada da corporação.

A defensora pública do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos, Maria Julia Miranda, que foi à favela pouco antes do fim da operação, disse ter visto “muitas poças de sangue” e afirmou que “uma operação com 25 mortos não pode ser considerada eficaz”.

A defensora descreveu um cenário de muros e portas na favela “cravejados de balas”.

Na outra casa, a defensora afirmou que um rapaz foi executado no quarto de uma menina de 8 anos.

“Inclusive, a coberta que ela [a menina] usa estava na poça de sangue. Essa menina está completamente traumatizada. (…) Provavelmente nesses casos houve execução. O que, pra gente, configura desfazimento de cena de crime”, acrescentou a defensora.

Miranda disse, ainda, que havia mães perdidas na favela, em busca dos filhos. A defensora relatou, também, que os serviços públicos foram afetados, dando como exemplo a paralisação do metrô e das aulas, assim como atendimento médico em clínicas da família.

Pedidos de socorro

O ouvidor-geral da Defensoria Pública, Guilherme Pimentel, disse que desde cedo o setor começou a receber “pedidos de socorro” de moradores do Jacarezinho.

“Prestamos as informações básicas sobre acessos de denúncia e assistência jurídica da Defensoria, além de como acessar os serviços de socorro, médicos. Mas quando identificamos o agravamento extremo da situação, vimos necessidade de ir até o território”, afirmou.

Segundo ele, a Ouvidoria e outros órgãos chegaram ao local às 13h30 e encontrou comércios, casas e automóveis destruídos.

 

Hoje: Homem morre após cair de uma pedra na praia de Cabo Frio

Um homem morreu nesta quinta-feira (6) ao cair de pedra na Praia das Conchas, no bairro Peró, em Cabo Frio.

Segundo informações, populares acharam o corpo nesta manhã, próximo à Cabana do Pescador. O homem já estava morto.

Agentes da Postura foram acionados e estão no local. Não se sabe se a vítima escorregou e caiu ou se jogou. Não foi possível precisar a hora do incidente.

O corpo ainda não foi identificado e será encaminhado para o IML de Macaé.

Jovem de 18 anos ataca creche com facão e mata professora e crianças

Tragédia

Um jovem de 18 anos atacou uma creche de Saudades na cidade no oeste de Santa Catarina, matou crianças e uma professora com um facão na manhã desta terça-feira 4 de Maio.

O Corpo de Bombeiros Militar confirmou a informação.

Segundo a corporação, duas crianças e uma professora morreram e ainda há outros feridos.

“É uma tragédia”, disse o comandante do 2º BPM de Chapecó.

O autor do ataque tentou suicídio, ficou gravemente ferido e foi conduzido ao município de Pinhalzinho, a 11 km do município de Saudades.

Fonte: r7

 

Tentativa de assalto em ônibus acaba em morte na BR-101

Um policial à paisana reagiu a uma tentativa de assalto a um ônibus no Barreto em Niterói, na noite de ontem, quarta-feira (28). O policial era passageiro do veículo que fazia a linha Candelária-Venda das Pedras.

Por volta das 20h, dois criminosos anunciaram um assalto no ônibus que estava lotado e que saia da Ponte Rio-Niterói para acessar a BR-101. Um policial militar a paisana reagiu e houve troca de tiros. Um bandido morreu e outro ficou ferido. Um passageiro também acabou atingido por um disparo no pé.

Dois passageiros também foram atingidos. Um homem levou um tiro no pé e uma mulher foi baleada de raspão. Eles foram levados para o Hospital Estadual Azevedo Lima em Niterói e passam bem.

“Ele estava com a mão na cintura e quando chegou a mais ou menos 1,5 metro de mim, não pensei duas vezes e saquei minha arma e atirei. O bandido que estava na frente ao lado do motorista também atirou de volta e eu revidei”, contou o PM.

Os tiros quebraram várias janelas do ônibus.

A perícia foi feita no local do assalto.

 

 

 

Ex-candidato a presidente, Levy Fidelix morre aos 69 anos

Morreu na noite desta sexta-feira (23) o fundador e presidente nacional do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Levy Fidelix. O político tinha 69 anos e morreu na cidade de São Paulo. O perfil do político no Twitter comunicou o falecimento, sem no entanto, citar a causa da morte.

Apresentador de televisão, professor universitário e publicitário, Fidelix concorreu à presidência da República nas eleições de 2014, 2010 e 1994. No ano passado, concorreu à prefeitura de São Paulo.

Antes de criar o PRTB, Fidelix participou da fundação do Partido Liberal (PL), em 1986, quando se lançou na carreira política e disputou uma vaga na Câmara dos Deputados pelo estado de São Paulo. Depois, migrou para o Partido Trabalhista Renovador (PTR), quando também concorreu a um mandato de deputado federal, no início dos anos 1990.

Uma das bandeiras mais conhecidas de Fidelix como candidato foi a implantação do aerotrem como solução para desafogar o trânsito nas principais capitais brasileiras.