Após ajudar no parto da melhor amiga, mulher descobre que o marido dela é o pai da criança

Uma mulher contou uma história de dupla traição que viralizou na web. Após ajudar a fazer o parto do bebê da melhor amiga, Hailey Mae Custer, de 28 anos, descobriu algo que a chocou: o marido dela era o pai da criança.

A moradora de Wickenburg (Arizona, EUA) ficou muito animada por ajudar a trazer ao mundo o filho da melhor amiga. Porém uma marca de nascença no pescoço do bebê, idêntico ao do marido, Connor (nome fictício dado por ela), de 36 anos, acendeu o alerta.

Depois de confrontar a dupla sobre suas suspeitas, seus piores temores foram confirmados.

Ela afirma que seu agora ex-marido a traiu com pelo menos 30 mulheres durante o casamento, e até teve dois filhos com duas mulheres diferentes enquanto era casado com ela.

“Ouvi que a minha amiga estava grávida e sem-teto, então falei com ela. Eu senti a necessidade de ajudá-la”, relatou, de acordo com reportagem do “Sun”.

O primeiro relato da história, feito por Hailey no TikTok, foi visto cerca de 4 milhõs de vezes. Foi ela quem deu o primeiro banho do bebê.

“Tínhamos acabado de chegar do hospital e eu estava trocando o bebê. Quando ela virou o pescoço, o sinal de nascença apareceu. Quando eles são bebês, é muito difícil ver, e eu não estava procurando. Eu pensei: OK. O choque tomou conta de mim. Quando descobri que minha amiga estava parada ao meu lado, olhei para ela e dava para perceber. Ela não conseguiu dizer nada, apenas baixou a cabeça e olhou para o chão, e eu simplesmente soube ali. Não houve palavras ditas, eu simplesmente sabia”, relatou.

Ao compartilhar a sua história no TikTok, Hailey, que tem quatro filhos, disse ter recebido muitas mensagens de apoio, mas também algumas críticas.

“Eu recebi um ou dois comentários que são obviamente de homens e narcisistas que disseram ‘Bem, se você cuidasse do seu homem, ele não teria me traído”, contou ela.

A americana disse ter perdoado o ex e a amiga e “seguido em frente” pelos filhos. Recuperada do trauma, que provocou consequências psicológicas, Hailey está vivendo um outro relacionamento.

Connor e a amiga de Hailey não quiseram se pronunciar.

 

 

Crédito: extra.globo.com

Mulher vai a UPA com cólica renal, descobre que estava grávida e acaba dando à luz

Uma mulher descobriu que estava grávida de cerca de 8 meses ao procurar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) reclamando de uma suposta cólica renal.

A paciente de 43 anos deu entrada na unidade em Araranguá (SC), na manhã de terça-feira (19), alegando fortes dores abdominais, abaixo do ventre, e na coluna, mas destacando que tinha histórico de disfunção nos rins. Enquanto esperava pelo atendimento, ela pediu para usar o banheiro e foi surpreendida pelas fortes contrações.

Ellen Lazzaretti, enfermeira obstetra e coordenadora da UPA, conta que a primeira profissional que chegou ao banheiro, alertada pelos gritos da grávida, já viu o bebê “coroando”, etapa do parto em que a parte mais larga da cabeça passa pela abertura da vagina. Poucos segundos depois, o recém-nascido acabou caindo no vaso, sendo rapidamente socorrido.

Todo o processo entre a chegada da paciente e o nascimento da criança levou cerca de 40 minutos.

O bebê, um menino, veio ao mundo pesando 2,2 kg. “Não tem como a gente saber a prévia exata do tempo de gestação porque ela não sabia que estava grávida, eu enviei as fotos do bebê para um pediatra, e ele estima que estava com 35, 36 semanas, até pelo peso dele”, detalhou Ellen em entrevista ao UOL.

Ainda segundo a enfermeira obstetra, a paciente realmente não sabia que estava esperando um bebê, já que achava sentir os primeiros sintomas da menopausa e tem dois filhos mais velhos, um deles já adulto.

“Ela falou que realmente não sabia, foi uma reação de susto, porque ela trabalhou até meia-noite no emprego dela, com dores nas costas, achando realmente que era cólica renal, por isso ela veio de manhã cedinho, antes de trabalhar. Os filhos dela, um de 20 e um de 14, também ficaram bem assustados, mas é um pacotinho de surpresa bem-vindo, né?”, destacou a profissional.

Depois de receberem os primeiros socorros na UPA, mãe e bebê foram encaminhados de ambulância ao Hospital Regional da cidade. Ambos passam bem, mas o recém-nascido continua internado em observação, por ser prematuro.

“Isso se chama gravidez silenciosa, que não é rara, mas é incomum. Ela tem 43 anos, estava acima do peso, entrando no período de menopausa. Menstruava, não menstruava…então para ela, depois de 14 anos, ela não imaginou que estava grávida. Ela não sentiu o bebê mexer”, concluiu Ellen.

 

Crédito: noticias.uol.com.br