Uber terá opção de pedir corrida pelo Whatsapp no Brasil

A Uber está prestes a testar no Brasil uma nova forma mais rápida, personalizada e eficiente para pedir uma corrida pelo aplicativo de mensagens Whatsapp. A Índia já recebeu testes com a novidade e o Brasil é um dos próximos da lista.

A informação foi revelada pelo próprio CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, que falou sobre o uso de novas tecnologias do serviço durante um evento organizado pela Meta, a dona do WhatsApp e do Facebook.

O CEO foi convidado ao evento para falar sobre a possibilidade de utilizar serviços da API do WhatsApp em seus próprios aplicativos de graça. Com isso, será possível utilizar o ambiente de chat do Whatsapp para fazer tarefas de outros serviços, como chamar uma corrida por mensagem por meio de um chatbot.

A Meta acredita que poderá trazer mais usuários e empresas para a plataforma ao fornecer essa integração entre ambientes. A  estratégia faz parte do plano de monetização do WhatsApp, que inclui um plano Premium para a versão Business do aplicativo.

O serviço de pedir uma corrida pelo Whatsapp está em teste na Índia desde dezembro de 2021, mas de uma forma ainda mais básica de funcionamento. Mesmo assim, o CEO disse que isso ajudou a trazer novos clientes. Vale lembrar que tanto a Índia como o Brasil são uns dos países que mais utilizam o aplicativo de mensagens.

 

Crédito: o São Gonçalo

OAB afirma que vai pedir reunião com Ministério da Justiça, BC e MPF sobre bloqueios de bens da GAS Consultoria

A Ordem dos Advogados do Brasil afirma que vai pedir uma reunião com o Ministério da Justiça, o Banco Central e o Ministério Público Federal sobre os bloqueios de bens da GAS Consultoria. A empresa é de Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó dos Bitcoins”, preso sob a acusação de comandar um esquema de pirâmide financeira. A GAS Consultoria interrompeu os pagamentos pendentes após o bloqueio da Justiça.

Clientes da empresa se reuniram, nesta quarta-feira, com o presidente do Conselho Federal da OAB, Felipe Santa Cruz, em Brasília. O encontro foi feito para a entrega de um manifesto que afirma que a empresa não é uma pirâmide. Um dos clientes que participou da reunião e que vem representando o grupo, o advogado Jeferson Brandão, afirma que não houve lesados.

A reunião aconteceu a pedido do presidente da OAB, órgão que pode confrontar o MPF sobre o assunto. Felipe Santa Cruz afirma que é preciso esclarecer o preconceito que envolve os investimentos em criptomoedas.

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, também defendeu a devolução do dinheiro aos clientes da GAS Consultoria.

Na Operação Kryptos, que resultou na prisão de Glaidson, os agentes apreenderam 21 carros de luxo, 13 milhões e 800 mil reais em espécie e 591 bitcoins, o equivalente a cerca de 150 milhões de reais na cotação atual.

Saiba como pedir reaplicação do Enem em caso de infecção por covid-19

Candidatos inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que estejam acometidos de covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas podem solicitar a reaplicação das provas. O Enem será aplicado nos próximos dias 17 e 24 de janeiro (versão impressa) e nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital). Já a reaplicação do exame está marcada para os dias 23 e 24 de fevereiro. Quem estiver doente deve comunicar a condição, antes da realização das provas, acessando a Página do Participante na internet. 

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para a análise da possibilidade de reaplicação, a pessoa deverá inserir, obrigatoriamente, no momento da solicitação, documento legível que comprove a doença. Na documentação deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.

Pelo edital do Enem 2020, são doenças infectocontagiosas, para fins de pedido de reaplicação das provas: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela e covid-19. O Inep reforça que os participantes que apresentarem sintomas na véspera ou no dia da prova não deverão comparecer ao exame, “primando pela segurança e pela saúde coletiva”.

“Em casos como esses, além de registrar o ocorrido na Página do Participante, o inscrito deverá entrar em contato com a Central de Atendimento do Inep (0800 616161) e relatar a condição, com o objetivo de agilizar a análise do laudo pela autarquia. A aprovação ou a reprovação da solicitação deverá ser consultada, também, na Página do Participante”, informa a autarquia.

Segundo o Inep, não só pessoas com problemas de saúde na data das provas poderão participar da reaplicação. Quem tiver problemas logísticos, como, por exemplo, falta de energia elétrica, também poderá comunicar o problema pela Página do Participante para fazer o exame em fevereiro.

Protocolos

O governo informa que protocolos relacionados à covid-19 na aplicação do exame incluem a disponibilização de álcool em gel nas salas e a obrigatoriedade do uso de proteção facial durante a prova. O participante poderá levar mais de uma máscara para troca ao longo do dia. As máscaras serão verificadas pelos fiscais para evitar possíveis infrações. O participante que não utilizar a máscara cobrindo totalmente o nariz e a boca, desde a entrada até a saída do local de provas, ou recusar-se, injustificadamente, a respeitar os protocolos de proteção contra a pandemia, a qualquer momento, será eliminado do exame, exceto em casos previstos na Lei n.º 14.019, de 2020.

Também foram estabelecidas regras específicas para reduzir aglomerações durante a aplicação do Enem. Segundo o Inep, a ocupação das salas será de, aproximadamente, 50% da capacidade. Os colaboradores do Enem também deverão possibilitar o máximo de ventilação natural nos ambientes. Além disso, os portões serão abertos às 11h30 (horário de Brasília), 30 minutos antes do previsto nos editais. As pessoas consideradas de grupos de risco (idosos, gestantes e pessoas com doenças respiratórias ou que afetam a imunidade) ocuparão salas com no máximo 25% da capacidade máxima. Ainda de acordo com o Inep, esses participantes já foram previamente identificados na base de inscritos e alocados nas salas especiais.

 

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br