Dois andares de prédio em Rio das Pedras são demolido pela Prefeitura de Rio de Janeiro

Técnicos da Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva) iniciaram na manhã de hoje (11) o trabalho de escoramento de um prédio em Rio das Pedras, na zona oeste do Rio de Janeiro, para fazer a demolição manual de dois pavimentos do imóvel ainda nesta sexta-feira. No último dia 3, um prédio na mesma comunidade desabou matando duas pessoas e deixando outras quatro feridas.

“As equipes da conservação estão escorando o prédio de baixo para cima para aliviar o peso para poder começar a demolição dos últimos andares. O prédio está muito danificado. Então precisamos escorar para segurança de todos”, disse a secretária de Conservação, Anna Laura Secco.

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, ligada à Secretaria de Ordem Pública, foi acionada após moradores da Rua Estrela Dalva, nº 185, em Rio das Pedras, terem ouvido estalos no imóvel de quatro pavimentos.

Após a realização de vistoria, os técnicos constataram que o 3° e o 4° andares do prédio têm que ser demolidos, pois causam sobrecarga nos andares inferiores, podendo ocasionar risco de desabamento de toda a estrutura.

Os agentes da Defesa Civil também interditaram de forma preventiva o prédio de quatro pavimentos que fica ao lado. Não foram constatados danos à estrutura deste imóvel, que tem previsão de liberação após a conclusão do trabalho das equipes nesta sexta-feira.

A Secretaria de Assistência Social está fazendo o cadastramento das famílias impactadas pelas interdições e avaliando suas necessidades.

Vítimas

Na semana passada, um prédio na Rua das Uvas, em Rio das Pedras, desabou matando Natan Gomes, de 30 anos, e a filha, Maitê Gomes Abreu, de 2 anos e 8 meses de idade. A esposa de Gomes, Kiara Abreu, de 26 anos, foi retirada dos escombros e permanece hospitalizada. Outras três vítimas também foram retiradas com vida dos escombros.

A Polícia Civil montou uma força-tarefa para investigar o caso, integrada pelas delegacias distritais e especializadas 16ª DP (Barra da Tijuca), 32ª DP (Taquara), Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) e Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco).

A corporação informou que o dono do imóvel já foi identificado, localizado e levado a prestar depoimento. O imóvel foi construído entre 2006 a 2014 por Genivan Gomes, pai de Natan, e tinha situação irregular.

 

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Bombeiros encontram mais três corpos em escombros na Muzema

Os bombeiros encontraram na manhã desta terça-feira (16) mais três corpos nos escombros dos dois prédios que caíram na comunidade da Muzema, Zona Oeste do Rio de Janeiro, na última sexta (12). Durante a madrugada, as equipes já tinham encontrado o corpo de uma mulher, por volta das 4h30. Com isso, sobe para 15 o total de mortos.

Segundo informações iniciais, entre os três últimos corpos encontrados, havia uma mulher grávida. Os outros dois eram uma mãe e um filho.

Os corpos ainda não foram identificados. Nove pessoas permanecem desaparecidas. As buscas nos escombros entraram no quinto dia na manhã desta terça.

Enterros

Mais três vítimas do desmoronamento dos prédios na Muzema foram enterradas na tarde desta segunda-feira (15). Os corpos de Maria Silvia de Abreu, de 49 anos, de Zenilda Bispo Amorim, de 38 anos, e o filho dela, Juan Amorim Rodrigues, de 10 anos, foram sepultados no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, Zona Norte do Rio.

Maria Silva de Abreu foi a segunda vítima da tragédia a ser enterrada. Ela foi encontrada na noite do último domingo (14). Os vizinhos contaram que ouviram gritos de Maria sob os escombros no dia do desabamento. Sob o caixão da vítima, amigos e familiares colocaram uma foto dela.

A mãe e o filho que também foram enterrados na tarde de segunda-feira foram encontrados praticamente ao mesmo tempo na noite do último sábado. Os caixões seguiram lado a lado durante a cerimônia.