Prefeitura entrega obra da nova Unidade de Saúde da Família do Flamengo

A Prefeitura de Maricá entregou nesta terça-feira (29/03) a obra da nova Unidade de Saúde da Família (USF) Elenir Umbelino de Mello, no Flamengo. A unidade vai reorganizar o atendimento na região central da cidade, contemplando os moradores do Flamengo, Condado, Marques, Parque da Colina e Camburi. A previsão de início dos atendimentos é de um a dois meses, após o período de organização da assistência e contratação e qualificação dos profissionais de saúde.

Ao todo, seis consultórios foram construídos para atendimento médico, de enfermagem e saúde bucal. A unidade conta com sala de imunização, curativo e procedimento e farmácia. A expectativa é que 12 mil pessoas sejam atendidas por três equipes formadas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde, além de dentistas e auxiliares.

Representando o prefeito Fabiano Horta, o secretário de Governo João Maurício destacou o empenho da gestão para garantir infraestrutura de qualidade ao cidadão da cidade.

“Estamos entregando mais um equipamento de saúde e o nosso grande desafio abrindo mais uma USF é chegar à meta de 100% de cobertura da Estratégia de Saúde da Família até o final desta gestão. O nosso governo segue trabalhando muito, com muitas entregas e realizações, mas temos certeza que ainda vamos avançar muito na saúde do nosso município com a qualidade que toda população merece”, destacou o secretário.

 

 Reestruturação do primeiro distrito

A implantação faz parte da reestruturação do atendimento do primeiro distrito de Maricá que atualmente concentra grande parte dos atendimentos na USF Central. Com inserção da USF Elenir Umbelino de Mello nesta área haverá uma melhor distribuição e qualificação da assistência para os moradores da região.

“Hoje a gente recebe um equipamento de excelência, dentro de todas as regras e dos padrões de conformidades. É uma unidade com um novo conceito para a Estratégia de Saúde da Família de Maricá e a primeira de outras que virão para trazer qualidade estrutural e possibilidades de ações de saúde mais eficientes para transformação da vida e da saúde das pessoas”, destacou a secretária municipal de Saúde, Solange Oliveira.

Atualmente em Maricá, a cobertura do serviço chega a cerca de 95% da população. O município possui 24 estabelecimentos de Atenção Primária em funcionamento, organizados com 54 equipes de Saúde da Família, oito equipes de Núcleo Ampliado de Saúde da Família, 21 equipes de Saúde Bucal e uma equipe do Consultório na Rua.

O presidente da autarquia Serviços de Obras de Maricá (Somar), Renato Machado, falou das obras da Secretaria de Saúde, das parcerias estabelecidas e da gratificação de ver os projetos executados.

“É muito gratificante ver mais uma obra finalizada.  Fizemos muitas parcerias para avançarmos com os projetos e os processos da obra, enfrentando a burocracia e os desafio para poder entregar uma nova e importante unidade de Saúde para a cidade”, afirmou.

 

Nome da nova unidade homenageia ex-profissional de saúde de Maricá

Elenir Umbelino de Mello, conhecida carinhosamente como Dona Bilú, nasceu em 12 de julho de 1936 e faleceu em 22 de julho de 2011. Auxiliar de enfermagem, Dona Bilú trabalhou no Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro, por mais de 20 anos. Conhecida por sua dedicação, desempenhou a sua profissão com excelência e muito amor à área da saúde.

A filha mais nova da Dona Bilú, Lilia de Mello, de 48 anos, representou a família durante a cerimônia de entrega da unidade. Enfermeira por influência da mãe, Lilia lembrou a trajetória de dedicação profissional da homenageada.

“Foi um exemplo de pessoa, de profissional e mãe. Eu e minha família estamos muito honrados com esse carinho. Nossa mãe que dedicou muito a vida dela à Saúde de Maricá. Ela sempre tratou a profissão com muito amor e por causa dela hoje sou enfermeira com muito orgulho. Fica aqui a nossa gratidão”, agradeceu.

Maricá inicia aplicação da quarta dose da vacina contra Covid-19 em idosos com 80 anos ou mais

A Prefeitura de Maricá inicia nesta sexta-feira (25/03) a aplicação da segunda dose de reforço (quarta dose) contra a covid-19 nos idosos com 80 anos ou mais, conforme recomendação do Ministério da Saúde. A dose estará disponível para as pessoas desta faixa etária que receberam o primeiro reforço há, no mínimo, quatro meses. A vacinação vai ocorrer em nove polos fixos e na Unidade Móvel de Saúde que está estacionada no Jardim Atlântico, em Itaipuaçu. A expectativa do município é reforçar a imunização de 4.300 idosos.

Para receber o reforço, é necessário que o idoso apresente um documento de identidade com foto, CPF, além do comprovante de vacinação em um dos polos do município. Os idosos acamados ou com dificuldade de locomoção severa podem receber a vacina em casa. Basta agendar na Unidade de Saúde da Família (USF) de referência.

“Estudos indicam que a imunidade proporcionada pela vacina vai reduzindo ao longo do tempo, principalmente nos grupos mais vulneráveis como os idosos desta faixa etária. Por isso, é fundamental que este grupo receba a segunda dose de reforço dentro do intervalo recomendado para ampliar a proteção contra o vírus”, explica a subsecretária da Rede de Atenção Ambulatorial e Saúde Coletiva, Claudia Rogéria de Lima.

Dose de reforço continua para a população acima de 18 anos

Mais de 72 mil pessoas acima de 18 anos já receberam a dose de reforço, indicada a partir dos quatro meses após a aplicação da segunda dose ou dose única. O número corresponde a 56% da população adulta. A aplicação do reforço continua ocorrendo normalmente para esta faixa-etária, de segunda a sexta-feira, também nos nove polos e na Unidade Móvel de Saúde.

Além da dose de reforço em geral e dose extra para o grupo de pessoas imunossuprimidas (pessoas com baixa imunidade), o município segue aplicando a segunda dose, com intervalo reduzido para 21 dias na vacina da Pfizer e oito semanas para a AstraZeneca, e repescagem da primeira dose para todos acima de 12 anos.

Polos de vacinação

Segunda a sexta-feira, das 9h às 17h

Unidade Móvel da Saúde: Rua Trinta e Seis, lote 01, quadra 206, Jardim Atlântico (próximo da Unidade de Saúde da Família Jardim Atlântico).

Segunda a sexta-feira – das 9h às 16h

USF Central – Rua Clímaco Pereira, 241, Centro

USF Retiro- Estrada do Retiro, s/n

USF Santa Paula- Estrada de Cassorotiba, s/n

USF São José 2- Estrada da Cachoeira, s/n

USF Chácara de Inoã- Rodovia Amaral Peixoto, km 16. (ao lado do Polo Mania), Inoã

USF Ponta Grossa – Rua Irineu Ferreira Pinto, s/n

USF Ubatiba – Avenida Niterói, s/n

USF Marinelândia- Rua Nove, Quadra 15, Cordeirinho

USF Espraiado- Rua Gualberto Batista de Macedo, s/n

Caminhão vai reforçar o serviço de saúde do município

A prefeitura de Tanguá entregou nesta quarta-feira (09/03) para a população o Caminhão da Saúde. A unidade móvel, que esteve abandonada nos últimos anos, foi totalmente reformada e equipada.

A expectativa é que a população que reside em locais de difícil acesso ao serviço público de saúde também seja atendida pela unidade móvel, que ofertará atendimento médico. Além de sala para consultas, o caminhão conta com equipamentos odontológicos. O interior do veículo recebeu climatização, e possui também sanitário disponível.

Para o prefeito Rodrigo Medeiros, a retomada do Caminhão da Saúde representa uma grande conquista para a população.

“Entregar o nosso Caminhão da Saúde totalmente apto a operar, depois de tantos anos esquecido nos galpões da prefeitura, onde serviu até mesmo de depósito de galhos de árvores, é muito gratificante. Demos um enorme passo no objetivo de promover o acesso à saúde nos quatro cantos da nossa cidade. Agora poderemos oferecer um atendimento de maior alcance à população”, disse o prefeito.

Presente na solenidade, o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Lopes, também expressou sua satisfação com a entrega do Caminhão da Saúde.“Ter à nossa disposição um veículo que nos permita atender a moradores em diversos locais é algo muito importante para a secretaria e felizmente alcançamos esse objetivo. O Caminhão da Saúde será fundamental para diversas ações que executaremos em várias partes do município”, destacou o secretário Rodrigo.

Estado do Rio publica decreto deixando a cargo dos municípios flexibilização do uso de máscara em locais fechados; veja o vídeo

O Governo do Estado publica, nesta quinta-feira (03.03), decreto que estabelece novas medidas de prevenção e enfrentamento da propagação da Covid-19. O texto faculta aos municípios a flexibilização do uso de máscara em lugares fechados, diante do cenário heterogêneo atual da pandemia no estado do Rio de Janeiro. Em função da alta cobertura vacinal e de haver municípios com baixo risco para a doença e outros ainda saindo da quarta onda da Covid-19 provocada pela variante Ômicron,  caberá aos gestores municipais a decisão de liberar ou não o uso do equipamento de proteção individual.

– Independentemente da decisão tomada por cada secretaria municipal, aquelas pessoas que desejarem continuar usando máscara em locais fechados ou abertos podem assim fazê-lo. Recomendamos que pessoas com sinais e sintomas respiratórios mantenham o uso da máscara se forem entrar em contato com outras pessoas. O ideal é que essas pessoas façam isolamento – diz o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) seguirá com o monitoramento dos indicadores e a atualização semanal dos Mapas de Risco por região e por município para subsidiar as decisões do poder executivo municipal.

Nos locais em que a Secretaria de Estado de Saúde determinar a permanência do uso obrigatório de máscara, permanecerá em vigor as penalidades dispostas no art. 5º da Lei Estadual N.º 8.859/2020.

Na hipótese de conflito, nos municípios em que já se encontrem em vigor  medidas de proteção a vida relativas à Covid-19, valerá a norma mais restritiva.

O decreto entra em vigor na data de sua publicação. As medidas poderão ser revistas caso haja mudança no cenário epidemiológico da Covid-19 no estado.

 

Crédito: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

Prefeitura de Maricá cria a Fundação Estatal de Saúde

A Prefeitura de Maricá publicou na edição 1276 do Jornal Oficial de Maricá (JOM)  de quarta-feira (16/02) o Estatuto aprovado para a criação da Fundação Estatal de Saúde de Maricá (FEMAR). As fundações estatais, adotadas em várias cidades e estados brasileiros, constituem uma ferramenta que favorece a modernização da gestão e dão celeridade às respostas para as demandas de saúde.

Um dos maiores desafios para a gestão da saúde pública é garantir respostas ágeis, compatíveis com as crescentes demandas de saúde da população. Este desafio ficou ainda mais evidente com o surgimento da pandemia da Covid-19, que exigiu dos órgãos públicos providências para a ampliação da capacidade de atendimento, com a compra de equipamentos e insumos em uma velocidade não compatível com o fluxo processual do serviço público.

A criação da FEMAR visa melhorar este cenário, uma vez que estas instituições possuem autonomia financeira e administrativa, que dão agilidade aos processos de contratação e aquisição, e favorecem à criação e ampliação de serviços de saúde. A despeito da autonomia, as fundações estatais obedecem aos preceitos do serviço público, como licitação, prestação de contas, submissão aos órgãos de controle e realização de concurso público, preservando o cumprimento dos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

A Secretária Municipal de Saúde, Solange Oliveira, refere-se à criação da FEMAR como um marco na gestão da saúde de Maricá.

“A iniciativa do governo em criar a Fundação Estatal de Saúde se deve ao grande potencial que o modelo oferece para a gestão pública. O prefeito Fabiano Horta foi o grande apoiador do projeto e acompanhou toda a sua construção. O modelo de gestão permite dar maior celeridade aos trâmites processuais, garantindo uma ação mais efetiva e eficiente para ofertar serviços de saúde de forma integral e oportuna. A FEMAR constitui um legado do atual governo para a gestão pública de Maricá”.

Eficiência na gestão

Nomeado Diretor Geral da FEMAR, o administrador e servidor da Prefeitura de Maricá Marcelo Rosa, de 42 anos, iniciou a sua trajetória na cidade em 2010. Coordenou o setor de licitações do Executivo Municipal, foi secretário de Administração e passou pelas direções das empresas públicas Serviços de Obras de Maricá (SOMAR) e Companhia de Saneamento de Maricá (SANEMAR). Em 2021, assumiu a Subsecretaria Geral de Gestão da Saúde.

De acordo com Marcelo Rosa, a FEMAR vem para garantir a celeridade administrativa que as políticas de saúde necessitam.

“Atualmente, todos os processos da Secretaria de Saúde seguem o mesmo fluxo dos processos dos demais órgãos da administração direta da Prefeitura, o que implica em um prazo estendido de tramitação não compatível com as urgências da saúde. Por isso, a criação da FEMAR é fundamental como um instrumento para garantir a eficácia na execução dos serviços, com ações e respostas mais rápidas”, afirmou o administrador.

Marcelo Rosa lembrou que a autoridade sanitária do município continua sendo a Secretaria Municipal de Saúde.

“A FEMAR não implica na desconstrução da Secretaria de Saúde, muito pelo contrário, será um braço operacional necessário para a pasta”, concluiu.

Com o Estatuto publicado em Decreto, a criação da FEMAR está iniciada. Seguem-se o período de registro e de elaboração dos normativos pertinentes. Em seguida, serão iniciadas as suas atividades nos serviços de saúde.

Estrutura organizacional

Dirigida por um colegiado composto por um conselho executivo de diretores, a FEMAR conta com as diretorias Geral; Financeira; Administrativa; de Gestão do Trabalho e Desenvolvimento Institucional; de Ensino, Produção do Conhecimento e Tecnologias e de Atenção à Saúde.

A Diretoria de Gestão do Trabalho e Desenvolvimento Institucional foi desenhada para investir na capacitação dos servidores da FEMAR, de modo a estimular a sua formação e aperfeiçoamento.

Já a Diretoria de Ensino, Produção do Conhecimento e Tecnologias prevê grandes parcerias de inovação, passando pela área da tecnologia da informação, projetos de pesquisa, estágios e programas de residência médica e multiprofissional, além da produção de novas tecnologias, a exemplo do respirador não invasivo desenvolvido no Hospital Municipal Ernesto Che Guevara em parceria com o Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTIM).

A Diretoria de Atenção à Saúde é apta a absorver os serviços da Rede de Atenção à Saúde de Maricá, exceto os com poder fiscalização e de Polícia, como é o caso da Vigilância Sanitária. A absorção dos serviços ocorrerá de forma gradual por meio de contratos de gestão entre a Secretaria Municipal de Saúde e a FEMAR.

A FEMAR pertence à estrutura da Prefeitura de Maricá. Todos os serviços prestados à população vão observar os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), especialmente a gratuidade, integralidade, universalidade e equidade.