Brasil goleia Uruguai por 4 X 1 e fica mais perto da vaga para Copa de 2022

Nada como um dia após o outro. Ou uma rodada após a outra. Após deixar uma péssima impressão no empate sem gols com a Colômbia, no último domingo, a seleção deu a volta por cima com um passeio sobre o Uruguai, pelas Eliminatórias da Copa de 2022. É bem verdade que o adversário teve uma atuação muito aquém do esperado e deu todo o espaço para o Brasil jogar. Mas a goleada por 4 a 1 não encantou só pelo placar, mas pela postura da equipe.

De quebra, o triunfo praticamente confirmou o Brasil no Mundial do Qatar. Líder com folgas na tabela, a seleção chegou aos 31 pontos. Embora ainda não esteja matematicamente classificada, atingiu uma pontuação que, desde que as Eliminatórias são disputadas no formato atual, sempre garantiu uma vaga entre os quatro primeiros.

E não poderia haver rodada melhor para o Brasil atingir este feito. Foi o primeiro jogo da seleção no país com venda de ingressos (foram mais de 12 mil presentes). A última vez havia sido na final da Copa América de 2019, no Maracanã, contra o Peru.

E não faltou festa para os jogadores. Sempre que tocou na bola, Neymar foi ovacionado pelo público. Uma gritaria normalmente direcionada aos astros da música. Gabigol também foi muito ovacionado. Enquanto não entrou em campo, o atacante do Flamengo teve o nome pedido aos gritos.

E todo esse carinho foi correspondido. Foi uma equipe de muita movimentação. Ao contrário do habitual, não foi só Neymar quem teve liberdade para flutuar pelo campo. Paquetá, Fred e Raphinha também se destacaram pela movimentação. Este último, por sinal, foi um personagem à parte. Além de iniciar a jogada do gol de Neymar, marcou dois — seus primeiros com a Amarelinha.

Suárez descontou de falta para os uruguaios. E coube a Gabigol completar a goleada. Por sinal, fazendo de cabeça, algo que lhe tem sido cobrado por Renato Gaúcho no Flamengo.

Agora com um ambiente positivo, a seleção voltará a campo em novembro. No dia 11, recebe a Colômbia. No dia 16, visita a Argentina

 

Crédito: extra.globo.com

Brasil vence o Peru e mantém 100% nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022, no Catar

O Brasil derrotou o Peru por 2 a 0, na noite desta quinta-feira (9) na Arena Pernambuco, e manteve o aproveitamento perfeito nas Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022 (Catar) com oito vitórias em oito jogos.

A vitória teve um significado especial para o camisa 10 Neymar, que marcou uma vez pelo time comandado por Tite e se tornou o maior artilheiro da seleção brasileira na história da competição, com o total de 12 gols, um a mais do que Romário e Zico, os segundos colocados da relação.

Vitória tranquila

Após optar pela formação que iniciou o duelo com os argentinos (Weverton; Danilo, Lucas Veríssimo, Éder Militão e Alex Sandro; Casemiro, Gerson, Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro; Neymar e Gabriel Barbosa) o técnico Tite viu sua equipe assumir o comando das ações, com Neymar criando muito.

E foi dos pés do camisa 10 que surgiu o primeiro gol do Brasil. Aos 13 minutos Santamaría perdeu para Neymar, que avançou livre em velocidade pela esquerda e cruzou para o meio da área, onde Gabriel Barbosa furou e a bola sobrou para Éverton Ribeiro bater de chapa, de primeira, para abrir o placar.

Se no primeiro Neymar foi o arco, no segundo ele foi a flecha. Aos 39 minutos Danilo lançou Gabriel Barbosa, que avançou pela direita e finalizou, a defesa afastou parcialmente e Éverton Ribeiro aproveitou a sobra e chutou, mas Santamaría conseguiu cortar e a bola ficou com o camisa 10 do Brasil, que só teve o trabalho de escorar para o fundo das redes.

Se na etapa inicial o Brasil dominou, na segunda diminuiu o ritmo e pouco criou, o que manteve o placar inalterado até o fim.

A seleção brasileira volta a jogar pelas Eliminatórias em outubro, quando mede forças com Colômbia, Venezuela e Uruguai.

 

Crédito: www.atribunarj.com.br

Polícia Federal investiga jogadores argentinos por falsidade ideológica

Os quatro jogadores argentinos que descumpriram a quarentena contra a disseminação do coronavírus são investigados pela Polícia Federal por falsidade ideológica após infringirem a lei sanitária brasileira. Segundo fontes da PF ouvidas pela GloboNews, um inquérito foi aberto no último domingo (5) após a Anvisa afirmar que os jogares Emiliano Martínez, Buendía, Cristian Romero e Giovani Lo Celso prestaram informações falsas para as autoridades brasileiras sobre os locais onde eles haviam passado nos últimos dias antes de entrarem no país. Essa investigação é criminal porque há suspeita da prática de crime.

Um documento oficial da Anvisa sobre a confusão do jogo entre Brasil e Argentina mostra que um membro da delegação argentina, Fernando Ariel Batista, falsificou informações de quatro jogadores argentinos.

A investigação será conduzida pela delegacia da PF no Aeroporto de Guarulhos pois foi o local de entrada dos atletas no Brasil. Eles também são alvo de uma investigação feita pela Agência de Vigilância por descumprimentos de medidas sanitárias em decorrência da pandemia, que é considerada uma infração administrativa.

Segundo fontes da PF e da Anvisa ouvidas pela GloboNews, os jogadores e a comissão técnica já tinham conhecimento prévio de que eles não poderiam ter ido ao estádio. E mesmo assim o fizeram, desprezando as informações da portaria que rege liberações de entrada no país.

Eles foram notificados a deixar o Brasil na noite do domingo (5) e, segundo a Polícia Federal, não foram deportados. Os jogadores já deixaram o Brasil e desembarcaram na Argentina.

Ainda de acordo com a PF, os jogadores permaneceram em silêncio em depoimento à Polícia Federal. Os atletas foram notificados de que estavam sendo investigados antes de deixar o Brasil.

A Agência divulgou nova nota neste domingo (5), após a suspensão do jogo entre as seleções de futebol da Argentina e do Brasil, e afirmou que cumpriu as leis sanitárias brasileiras e tentou barrar a ida dos quatro jogadores ao estádio.

Mais cedo, na mesma data, agentes da Polícia Federal e da Anvisa entraram no campo da Neo Química Arena, em São Paulo, para retirar os quatro jogadores da Argentina. Depois, a Conmebol suspendeu o jogo pelas eliminatórias da Copa do Mundo, organizadas pela Fifa.

A Anvisa explica que tentou estabelecer a quarentena desses quatro jogadores desde sábado (4).

“Desde a tarde deste sábado (4/9), a Anvisa, em reunião ocorrida com a participação de representantes da CONMEBOL, CBF e da delegação argentina recomendou a quarentena dos quatro jogadores argentinos, ante a confirmação de que os jogadores prestaram informações falsas e descumpriram, inequivocamente, a Portaria Interministerial nº 655, de 2021, a qual estabelece que viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, pelo Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia, estão impedidos de ingressar no Brasil”, diz a nota.

Depois, neste domingo pela manhã, a Anvisa acionou a Polícia Federal “a fim de que as providências no âmbito da autoridade policial fossem adotadas de imediato”.

“No exercício de sua missão legal, a Anvisa perseguiu, desde o primeiro momento, o cumprimento à legislação brasileira, que, nesse caso, se restringia à segregação dos quatro jogadores envolvidos e a adoção das medidas sanitárias correspondentes. Desde o instante em que tomou conhecimento da situação irregular dos jogadores – no mesmo dia da chegada da delegação – a Anvisa comunicou o fato às autoridades brasileiras em saúde, por meio do CIEVS – o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde”, diz o texto.

A Agência disse ainda que teve uma reunião com as autoridades envolvidas e voltou a determinar a quarentena neste momento.

“Ainda na tarde do sábado, ocorreu a reunião já referida envolvendo o Ministério da Saúde, secretaria estadual de saúde de São Paulo, representantes da CONMEBOL, CBF e da delegação argentina. Nessa reunião, a Anvisa, em conjunto com a autoridade de saúde local, determinou, no curso da reunião, a quarentena dos jogadores”, diz a nota.

A Polícia Federal tentou buscar os jogadores no hotel e, depois, no vestiário, mas a Argentina não liberou a entrada e, por isso, afirmam que tiveram que entrar no campo.

O Ministério da Saúde afirmou “que apoia e reconhece as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), autoridade em saúde responsável pelas ações de vigilância sanitária do país”.

Segundo o GE, um acordo entre governo federal, CBF e Conmebol permitiu que os quatro participassem do jogo e, por isso, chegaram a entrar em campo.

Esses quatro argentinos jogam em clubes ingleses (Emiliano Martínez no Aston Villa, e Cristian Romero e Lo Celso, no Tottenham). Viajantes que estiveram no Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia precisam fazer quarentena de 14 dias antes de entrar no Brasil.

Antes de viajar a São Paulo, eles chegaram a informar que estariam na Venezuela. “Porém, notícias não oficiais chegaram à Anvisa dando conta de supostas declarações falsas prestadas por tais viajantes”, disse a Anvisa.

Para o órgão, trata-se de “notório descumprimento” de uma portaria interministerial e das normas de controle imigratório brasileiro.

Crédito: G1

Suspensão de Brasil x Argentina é alvo de críticas da imprensa internacional

A imprensa internacional criticou a suspensão da partida entre Brasil e Argentina, que seria realizada no último domingo (5) na Arena Neo Química, em São Paulo. O jogo foi interrompido por funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) após descumprimento de regras sanitárias por parte da equipe argentina.

Agentes da Anvisa entraram no gramado para determinar a deportação de quatro jogadores argentinos que não cumpriram quarentena. Houve confusão com a chegada dos servidores federais, e a seleção da Argentina deixou o campo na sequência. O time brasileiro aproveitou para fazer um treino.

Em seu portal, o jornal argentino Olé destacou em sua manchete: “Papelão mundial brasileiro”. O periódico ainda escreveu: “Membros de saúde se meteram no campo para deter jogadores da Premier League (liga inglesa). Escândalo total. Argentina se retirou. E a seleção de Tite apoiou os jogadores de Scaloni. Foi suspensa”.

O Clarín adotou tom semelhante e também chamou o episódio de “escândalo” e “papelão”. Na mesma linha, o TyC Sports afirmou: “Escândalo mundial! Suspenso pelas autoridades sanitárias”.

O espanhol Marca também classificou a decisão como um “escândalo”. “Suspenso Brasil x Argentina”, publicou o jornal em seu portal. O português A Bola noticiou a suspensão da partida e ressaltou que “no centro da polémica estão quatro jogadores argentinos que representam clubes ingleses e que, segundo as regras determinadas pelo governo brasileiro, deviam ter cumprido um período de quarentena como todos os estrangeiros que entram no Brasil provenientes de Inglaterra”.

A BBC, por sua vez, escreveu: “Brasil x Argentina suspenso após jogadores visitantes serem acusados de violação à Covid-19”. Os britânicos chamaram a interrupção de “intervenção dramática”.

O italiano Gazzetta dello Sport classificou o episódio como “inacreditável” e publicou: “Brasil x Argentina interrompido após 7 minutos por ‘falta de quarentena'”.

A Conmebol anunciou em suas redes sociais, nesta tarde, que a decisão final sobre a partida, ficará por conta da Fifa.

“Por decisão do árbitro da partida, o encontro organizado pela Fifa entre Brasil e Argentina, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo, está suspenso. O árbitro e o comissário da partida enviarão um informe à comissão disciplinar da Fifa, que determinará os passos a seguir”, explicou confederação.

Os agentes da Anvisa argumentam que quatro jogadores da Argentina não podem exercer qualquer atividade no Brasil antes de passar por uma quarentena pois estiveram, antes, no Reino Unido. Apesar da determinação da Anvisa, tornada pública no início da tarde, Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero foram escalados. Só Buendia não entrou em campo. Portaria da Anvisa determina que qualquer viajante que passou pelo Reino Unido faça quarentena de 14 dias devido à pandemia de Covid-19.

— Chegamos nesse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou, desde o primeiro momento, não foi cumprido. Eles tiveram orientação para permanecer isolados para aguardar a deportação. Mas não foi cumprido. Eles se deslocam até o estádio, entraram em campo, há uma sequência de descumprimentos — disse o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, em entrevista à TV Globo, lembrando que, antes, eles haviam prestado informação falsa no aeroporto.

 

 

Crédito: Jornal Extra

Tite convoca Gabigol, Arana e Claudinho para rodada tripla das Eliminatórias da Copa

A lista de convocados para a rodada tripla das Eliminatórias da Copa, que acontece em setembro, foi anunciada pelo técnico Tite na última sexta-feira (13). A seleção brasileira — que lidera a competição com 18 pontos — enfrentará o Chile, no dia 2, em Santiago; a Argentina, no dia 5, na Arena Corinthians; e o Peru, no dia 9, na Arena Pernambuco. Na lista estão cinco jogadores que atuam no futebol basileiro, Gabigol e Everton Ribeiro, do Flamengo, Weverton, do Palmeiras, Daniel Alves, do São Paulo, e Guilherme Arana, do Atlético-MG. As novidades incluem os atacantes Raphinha, do Leeds, e Matheus Cunha, do Hertha Berlim, além do meia Claudinho, ex-Bragantino e hoje no Zenit. Os dois últimos foram campeões olímpicos.

Este será o primeiro compromisso da seleção principal após o vice-campeonato na Copa América, diante da Argentina, em julho. No mês seguinte, o time sub-23 conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 ao superar a Espanha na final.

— Quando a gente fala em despontar, estamos falando de agora. Temos uma base pronta, que estabeleceu na Copa América alguns objetivos. Um deles foi o título, que não conquistou. Diversificou dupla de ataque, diferentes composições de meio-campo… O processo criativo de construção na Copa América oscilou em alguns momentos, justamente também por modificações — refletiu Tite ao explicar os testes na seleção.

Os convocados por Tite:

Goleiros: Alisson (Liverpool), Éderson (Manchester City) e Weverton (Palmeiras).

Laterais: Daniel Alves (São Paulo), Danilo (Juventus), Alex Sandro (Juventus) e Guilherme Arana (Atlético Mineiro).

Zagueiros: Éder Militão (Real Madrid), Lucas Veríssimo (Benfica), Marquinhos (PSG) e Thiago Silva (Chelsea).

Meias: Bruno Guimarães (Lyon), Casemiro (Real Madrid), Claudinho (Zenit), Everton Ribeiro (Flamengo), Fabinho (Liverpool), Fred (Manchester United) e Lucas Paquetá (Lyon).

Atacantes:Roberto Firmino (Liverpool), Gabriel Barbosa (Flamengo), Gabriel Jesus (Manchester City), Matheus Cunha (Hertha Berlim), Neymar (PSG), Raphinha (Leeds) e Richarlison (Everton).

 

Fonte: Jornal Extra