Proeis em Saquarema tem primeira semana com apreensões e prisões

A primeira semana de atividades do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) e Saquarema foi bem agitada. Ao todo, 34 cigarros de maconha, uma cartela de seda, duas trouxinhas de maconha, uma sacola com erva picada levada para perícia, R$ 27 em espécie, uma moto com registro de furto recuperada e um indivíduo preso, além de outras três pessoas autuadas.

O reforço policial na cidade vem trabalhando de forma conjunta com a Secretaria Municipal de Segurança e Ordem Pública. São 10 policiais e 3 viaturas atuando pela cidade. Caso seja necessário, o número de policiais pode chegar a 30 todos os dias.

Para os próximos dias, cinco novas viaturas do modelo pick-up S10 e quatro motos para patrulhamento chegarão ao município para sem usadas no Proeis.

DER coloca o ‘bloco na rua’ e faz campanha por trânsito seguro

O DER-RJ já botou o bloco na rua e agradou motoristas e operadores das concessionárias Rota 116 e CCR Via Lagos, que entraram na campanha por um trânsito seguro.

 

O Carnaval é uma das datas de maior registro de acidentes nas rodovias estaduais do Rio de Janeiro. Mas, com respeito a algumas regras simples, é possível virar esse jogo. Desde quinta-feira (28/2) vestidos com camisetas com o lema da ação “Dê preferência à vida. Brinque o Carnaval com segurança”, operadores das concessionárias CCR Via Lagos e Rota 116 distribuem, nos pontos de pedágios das duas rodovias, material educativo com dicas para uma viagem mais segura. Também são veiculadas frases nos Painéis de Mensagens Variáveis Móveis, entre elas: “Cinto não é Fantasia. Use Sempre”; “Dê preferência à vida. Brinque o Carnaval em Segurança” e “Você ligado. Farol Ligado”.

Com o objetivo de reduzir o número de infrações nas áreas com maios registros de acidentes, agentes do departamento, munidos com radares portáteis, também realizam operações de fiscalização nas RJs 124, 140 e 106, próximo aos municípios de Rio Bonito, Iguaba, Araruama e São Pedro da Aldeia. A ação, com equipamentos que identificam veículos em velocidade acima da permitida, também começou na última quinta-feira e irá continuar até a próxima quarta-feira (6), sempre das 8h às 17h. Possivelmente será estendida para a sexta e o sábado, após o Carnaval, dias 8 e 9/3.

Fonte: Jornal O São Gonçalo

PM divulga esquema de segurança para o carnaval

A Polícia Militar do Rio divulgou na noite desta quinta-feira um vídeo em que o Secretário da Polícia Militar, Rogério Figueiredo, explica como será o esquema de segurança para o Carnaval 2019.

Serão 10840 policiais, em 1056 viaturas, que ficarão em diversos pontos da cidade, principalmente onde terá maior concentração de pessoas como o Centro, Sambódromo, Orla da Zona Sul e Intendente Magalhães.

De acordo com o Secretário, a operação começou na manhã desta sexta-feira e se estende até a quarta-feira de cinzas e será integrada com os demais órgãos de segurança como a Polícia Civil, a Guarda Municipal e Forças Federais.  O objetivo é ” garantir a segurança de cariocas, fluminenses e dos milhares de turistas que nos visitam todos os anos”, reforça Figueiredo.

Ele também destacou que haverá reforço no patrulhamento das vias expressas, trilhas e praias e que outras cidades da região metropolitana e dos lagos também foram contempladas no planejamento.

Ainda sinalizou que este ano, em caráter experimental, serão utilizados dispositivos de leitura facial e de placas em Copacabana.

“Estamos confiantes de que teremos um carnaval seguro e muito animado”, finalizou o Secretário.

Ele ainda agradeceu aos policiais pela dedicação.

Fonte: Portal Eu, Rio!

Vereadores pedem mais segurança para Maricá

O crescente número de assaltos a transeuntes, carros e residências despertou preocupação nos vereadores que discutiram medidas para inibir esses índices negativos durante sessão na Câmara Municipal de Maricá. Os parlamentares solicitaram um efetivo maior de policiais na cidade. O vereador Ismael Breve (DEM) solicitou o reforço principalmente durante o Carnaval. “Estive em conversa com nosso secretário de Governo e fiz cobranças quanto a nossa segurança e ele me passou que o prefeito está em conversa com os comandos e está pedindo para que nossa cidade, principalmente no Carnaval, tenha policiamento e que não tirem os policiais daqui para mandar para Niterói”.

O vereador Cemar (Solidariedade) informou que participará de uma reunião com o comando do 5° Batalhão para viabilizar mecanismos de defesa contra assaltos ocorridos nos coletivos da Viação Nossa Senhora do Amparo na altura do Instituto Nacional de Traumatologia (Into), no Rio. “Amanhã, às 15 horas, vou participar de uma reunião com o comandante do 5º batalhão para que possamos falar sobre os assaltos. Vamos buscar e trazer soluções para o município”.

O vereador Chiquinho (PP) levantou alguns casos recentes de violência ocorridos na cidade. Ele solicitou a colocação dos módulos de segurança nas entradas e saídas do município. “A falta de efetivo prejudica o policiamento em Maricá. Vim mostrar isso porque tem nove dias que aconteceu isso tudo em nossa cidade. As patamos de Maricá estão em São Gonçalo e em Niterói. Maricá já não tem policial e estão tirando daqui para levar para outro lugar”.

O vereador Dr. Richard (PT) salientou que a Segurança Pública é responsabilidade do Governo do Estado. “Não podemos esquecer que a questão da segurança é uma obrigação do Estado e não do município. Precisamos de um batalhão nesta cidade”. Marcus Bambam (PV) ressaltou o trabalho feito pelos policiais do Proeis. “Imagina se não tivéssemos contratado os policiais do Proeis. A situação estaria muito pior. Esses policiais estão aqui prendendo, rodando, atuando, conversando com os moradores”.

O vereador Rony Peterson (PR) sugeriu uma reunião com autoridades a fim de encontrar uma solução rápida para sanar a violência. “Temos que ter uma audiência com o secretário de Polícia para mostrar para ele como é Maricá. Esse é nosso dever. Concordo que o Proeis tem mais de 70 policiais diários em nossa cidade e temos que observar o trabalho fantástico feito pela 6ª Companhia”.

Fonte: Portal Errejota Notícias

Segurança que matou jovem em mercado foi condenado por agressão a ex-companheira

O segurança Davi Amâncio, que matou o jovem Pedro Henrique Gonzaga, no supermercado Extra na quinta-feira (14), não poderia estar trabalhando como vigilante. Segundo o “Fantástico” apurou, Davi já foi condenado a três meses de prisão em regime aberto por lesão corporal depois de agredir uma ex-companheira.

Segundo relato da mulher, após uma discussão por ciúmes, ele a agrediu com vários socos no rosto na frente dos seus filhos.

Pela lei, a condenação de Davi o impede de trabalhar como vigilante. Ele fez o curso de vigilante em maio de 2017 e foi contratado em dezembro do mesmo ano. A condenação pela agressão saiu dias depois da contratação.

Segundo a Polícia Federal, a documentação de Davi seria revista no curso de reciclagem previsto para maio de 2019. A PF afirma que não tem como saber que algum vigilante foi condenado neste intervalo.

O advogado da empresa de segurança Groupe Protection diz que a checagem da ficha criminal é uma responsabilidade da Polícia Federal. “Quem tem a atribuição legal de normatizar todo o processo de formação e posteriormente manter a reciclagem desses indivíduos e monitorar se ele está habilitado ou não, apto ou não, é de atribuição da Polícia Federal”, disse André França.

França diz ainda que Davi permanece na empresa, mas foi afastado enquanto a investigação apura o que aconteceu.

Davi foi solto depois de pagar fiança de R$ 10 mil e deve responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. A polícia tem 30 dias para concluir a investigação.