Passagem do metrô do Rio, fica mais cara a partir deste sábado, 8 de Maio

O preço da tarifa básica do Metrô Rio vai ficar mais cara a partir deste sábado (8). Atualmente, custando R$ 5,00, o preço subirá para R$ 5,80.

A tarifa sugerida anteriormente era de R$ 6,30, mas o governo do estado e a concessionária acertaram um novo valor após dois meses de negociações. O reajuste de R$ 6,30 entraria em vigor no dia 2 de abril, mas acabou sendo adiado.

O Metrô Rio justifica o aumento alegando perdas que ultrapassam R$ 600 milhões, principalmente por causa da pandemia. Segundo a empresa, antes da pandemia de Covid-19, o movimento de passageiros no metrô ultrapassava os 900 mil por dia, e hoje em dia caiu para 390 mil.

Homem com mandado de prisão se envolve em acidente e é preso em Maricá

Um homem considerado foragido da Justiça acabou sendo preso na tarde desta quarta-feira (5) em Maricá (RJ), após se envolver em um acidente de trânsito e ser reconhecido por um policial civil que atendia a ocorrência. De acordo com a polícia, o homem já havia sido alvo de uma operação e tem 16 anotações criminais.

A prisão aconteceu no km 26 da RJ-106, Rodovia Amaral Peixoto, no bairro do Parque Nanci.

De acordo com a polícia, os agentes da 82ª DP estavam monitorando a região quando verificaram um acidente de trânsito próximo de onde estavam. Ao observarem um dos envolvidos no acidente, um dos policiais desconfiou que se tratava do homem com mandado de prisão em aberto e que já foi alvo de operação.

Os agentes então pediram o documento de identidade dele e, ao confrontar com os bancos de dados disponíveis, verificou que se tratava do foragido.

O homem foi preso e levado para a 82ª DP, de onde tentou fugir, mas foi condito pelos agentes.

De acordo com a polícia, o homem é considerado muito perigoso, além de ser apontado como uma das lideranças da comunidade Saco das Flores, localidade dominada por uma facção criminosa.

“Uma operação com 25 mortos não pode ser considerada eficaz” diz defensora pública

 Jacarezinho

“Um grande absurdo” e “terror generalizado” foram algumas das definições de defensores públicos e representantes de instituições ligadas à defesa dos direitos humanos sobre a operação policial na Favela do Jacarezinho, ocorrida entre a manhã e tarde desta quinta-feira (6).

A operação da Secretaria estadual de Polícia Civil na comunidade da Zona Norte do Rio de Janeiro foi a mais letal da história do Rio de Janeiro, com 25 mortos – um deles o policial civil André Farias, que trabalhava numa unidade especializada da corporação.

A defensora pública do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos, Maria Julia Miranda, que foi à favela pouco antes do fim da operação, disse ter visto “muitas poças de sangue” e afirmou que “uma operação com 25 mortos não pode ser considerada eficaz”.

A defensora descreveu um cenário de muros e portas na favela “cravejados de balas”.

Na outra casa, a defensora afirmou que um rapaz foi executado no quarto de uma menina de 8 anos.

“Inclusive, a coberta que ela [a menina] usa estava na poça de sangue. Essa menina está completamente traumatizada. (…) Provavelmente nesses casos houve execução. O que, pra gente, configura desfazimento de cena de crime”, acrescentou a defensora.

Miranda disse, ainda, que havia mães perdidas na favela, em busca dos filhos. A defensora relatou, também, que os serviços públicos foram afetados, dando como exemplo a paralisação do metrô e das aulas, assim como atendimento médico em clínicas da família.

Pedidos de socorro

O ouvidor-geral da Defensoria Pública, Guilherme Pimentel, disse que desde cedo o setor começou a receber “pedidos de socorro” de moradores do Jacarezinho.

“Prestamos as informações básicas sobre acessos de denúncia e assistência jurídica da Defensoria, além de como acessar os serviços de socorro, médicos. Mas quando identificamos o agravamento extremo da situação, vimos necessidade de ir até o território”, afirmou.

Segundo ele, a Ouvidoria e outros órgãos chegaram ao local às 13h30 e encontrou comércios, casas e automóveis destruídos.

 

Corpo do radialista Ronaldo Jr. será sepultado hoje, às 17h, em Tanguá

A perícia concluiu que a morte do radialista e locutor Ronaldo Júnior, de 57 anos, foi causada por choque elétrico, que ocasionou uma parada cardíaca. O corpo foi encontrado no início da noite de ontem (5), dentro de casa, no bairro Ampliação, em Tanguá. A morte teria ocorrido na noite de segunda feira. Paulo Ronaldo de Almeida Oliveira, seu nome verdadeiro, chefiava o posto do Detran de Tanguá e era uma figura bastante conhecida na região.
O corpo do radialista foi encontrado por uma vizinha, depois que colegas de trabalho foram à sua casa, por volta das 19h de ontem. Eles estranharam que Ronaldo não apareceu no posto na terça e na quarta-feira, e também não atendia as chamadas no telefone. A  vizinha resolveu olhar pelos fundos da casa, com a ajuda de uma lanterna, já que não havia luz acesa no primeiro piso do imóvel. Após avistar o corpo caído, ela resolveu chamar o irmão de Ronaldo, que sabia onde ele guardava a chave da casa. Eles encontraram o radialista descalço, vestindo apenas uma bermuda.
Natural de Itaperuna, noroeste do Estado, Ronaldo Júnior morava em Tanguá há vários anos. Com passagens por algumas rádios da região, sua voz grave e possante o alçou a apresentador de shows de grandes nomes da música brasileira, como Roupa Nova, The Fevers, entre outros. Trabalhou em campanhas de vários políticos da região, e integrou a equipe de Comunicação da então prefeita de Rio Bonito, Solange Almeida, no primeiro e no segundo mandato dela, entre 1997 e 2004. Mais tarde, se uniu ao deputado estadual Marcos Abrahão, e foi nomeado para chefe do posto do Detran de Tanguá, atividade que conciliava com a de locutor de shows e eventos, viajando por vários estados. Com a prisão do deputado, Ronaldo ficou afastado do Detran por cerca de dois anos. Ao retomar o mandato, o parlamentar conseguiu nova nomeação para ele, que voltou ao posto no final de março deste ano.

Um tanguaense de coração

Membro da Igreja Assembleia de Deus, Ronaldo Júnior amava a cidade que escolheu para morar, e era um dos maiores divulgadores dos seus recantos, seus atrativos naturais e sua gente. Amante do ciclismo, era comum vê-lo em sua bicicleta percorrendo os mais distantes e belos lugares do município. Os roteiros percorridos eram mostrados em belas fotos no seu perfil do Facebook. Uma mensagem enviada pra ele pelo seu pastor, no dia do seu aniversário, no último 6 de abril, definia bem o locutor: “Amante da natureza, cristão, visionário e pessoa de bem”.
Ele era pai de um filho, Tiago Giromoto e tinha três netos. Seu corpo está sendo velado desde às 14 horas no cemitério de Tanguá, onde será sepultado, hoje, às 17 horas.

Prefeitura de Araruama abre inscrições para estágio remunerado para estudantes universitários

A Prefeitura de Araruama, na Região dos Lagos do Rio, abriu inscrições para estágio remunerado para estudantes universitários que moram no município. Para se inscrever é necessário preencher um formulário disponível no edital publicado no site oficial da prefeitura.

As vagas são para estagiar na própria Prefeitura e o aluno deve estar devidamente matriculado e cursando direito, administração, assistência social, psicologia, pedagogia ou fisioterapia.

De acordo com a prefeitura, a iniciativa tem como objetivo aliar teoria e prática para que os estudantes da cidade possam se preparar ainda mais para entrar no mercado de trabalho.

Para preencher o formulário, é preciso ter alguns documentos em mãos. São eles: RG; CPF; comprovante de residência na cidade de Araruama; histórico do curso que frequenta; e declaração de frequência, assinada pela instituição de ensino superior, com índice de aproveitamento do curso.

Já preenchida, a ficha de inscrição e os documentos devem ser enviados para o e-mail estagioremunerado.pma@gmail.com. No “assunto” do e-mail deve constar o nome do candidato e o curso pelo qual deseja se candidatar ao estágio.

De acordo com o edital, as listagens classificatórias preliminares serão publicadas no site da Prefeitura de Araruama, no dia 26 de maio. O candidato que se julgar prejudicado poderá enviar pedido de reconsideração por meio de ficha, também disponível no edital, até as 16 horas do dia 27 de maio para o e-mail estagioremunerado.pma@gmail.com.

A previsão é de que listagem classificatória final seja publicada 31 de maio.

A jornada de atividades será de no máximo seis horas diárias, não podendo ser superior a 36 horas semanais. Ainda de acordo com o edital, a Bolsa Auxílio deve variar entre R$ 600 para os estagiários que cursam administração, fisioterapia, pedagogia, serviço social e psicologia; e R$ 800 para estagiários que fazem o curso de direito.