Após família denunciar erro, acusado de matar jovem em Guaratiba é solto

às

A Justiça do Rio mandou soltar Leonardo Almeida dos Santos, preso pela morte de Matheus Lessa em Guaratiba, na Zona Oeste. A família e amigos protestavam desde a sua prisão, alegando a sua inocência. Câmeras que ajudariam a provar a sua inocência foram conseguidas pela família e apresentada à polícia. O delegado Evaristo Pontes, da Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital) voltou atrás ao apontar Leonardo como o autor e foi pessoalmente no Tribunal de Justiça (TJRJ) pedir a sua soltura. Os verdadeiros responsáveis pelo crime foram presos.

O juiz de plantão determinou a imediata expedição do alvará de soltura para o rapaz durante a madrugada desta quarta-feira, atendendo manifestação do Ministério Público do Rio (MPRJ). Os verdadeiros assassinos foram identificados como Yuri Gladstone Guimarães e Adeílton Santana de Oliveira, conhecido por “Boquinha”. O juiz de plantão decretou a prisão temporária dos criminosos.

‘Semelhança física’ colocou inocente na cadeia

Segundo o Tribunal de Justiça do Rio, inicialmente, Leonardo foi apontado por testemunhas como o autor “em razão da semelhança física com Yuri”. Apesar dos protestos e do vídeo que mostrava a vítima em outro ponto no mesmo horário aproximado do crime, somente com a prisão de Yuri Gladstone Guimarães o latrocínio foi esclarecido e Leonardo inocentado, como sustentavam os parentes.

“As quatro pessoas confirmaram de forma muito contundente e não tiveram dúvidas em apontar o Leonardo como sendo um dos autores desse latrocínio e autor do disparo da arma de fogo que vitimou o Matheus”, disse Pontes ao Fantástico, no último domingo. Os parentes de Matheus Lessa estiveram na DH-Capital novamente e prestaram um novo depoimento.

Veja também

Uma pré-candidata a vereadora de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e seu filho foram assassinados na noite deste sábado
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias