Estudantes de Itaboraí descobrem asteroides em programa com parceria da Nasa

A descoberta de cinco asteroides, fez estudantes matriculados no Atendimento Educacional Especializado em Altas Habilidades
às
nasa 2
Foto: Divulgação

A descoberta de cinco asteroides, fez estudantes matriculados no Atendimento Educacional Especializado em Altas Habilidades do Espaço AMES, em Itaboraí, entrarem para a história da instituição. Esse feito foi possível através do programa ‘Caça Asteroides MCTI’, onde os jovens cientistas fizeram buscas por movimentações desses fragmentos. Vale destacar que tudo isso é possível a partir de imagens emitidas pelos Telescópios PanStar 1 e 2, localizados no Havaí (EUA).

É importante informar que o projeto é feito em parceria com a NASA e Ministério da Ciência e Tecnologia, além de ser dividido em campanhas. Os estudantes itaboraienses participaram da campanha do mês de abril, quando essa descoberta aconteceu a partir da análise das imagens, que chegaram dos Telescópios PanStar, do Havaí (EUA).

Após o recebimento dessas imagens, elas são baixadas, por meio do site da Colaboração Astronômica Internacional (IASC), analisadas e colocadas em um programa chamado Astrometrica. Nesse processo foram identificados esses cinco fragmentos.

Os estudantes foram supervisionados pelo professor de Ciências, Carlos Alexandre Ribeiro e juntos analisaram as imagens obtidas e realizaram o processo necessário para confirmar a descoberta. O educador expressou o sentimento de ver esses estudantes conquistarem esse feito.

“Como professor, liderar uma equipe de estudantes que consegue achar cinco Asteroides é coroar toda uma caminhada na tarefa de contribuir com a educação científica. Para os alunos, creio que é a prova de que são capazes de realizar coisas extraordinárias. A partir desse feito, muitos outros despertamentos podem ocorrer e mudar positivamente o rumo da vida deles. Essa não é só uma conquista de alunos e professores, é uma conquista de pais, familiares e gestores porque educação é um movimento amplo e todos estão de parabéns”, expressou o docente.

No Espaço Ames, foram formadas duas equipes, uma pela manhã, outra à tarde. O estudante que identificar um asteroide, que ainda não tenha sido reportado anteriormente, e após passar por diversas etapas de qualificação da Nasa, pode até dar nome ao fragmento.

Os asteroides, às vezes chamados de planetas menores, são fragmentos que sobraram da formação inicial do nosso sistema solar há cerca de 4,6 bilhões de anos. A maior parte destes antigos restos espaciais pode ser encontrada orbitando o sol entre Marte e Júpiter dentro do cinturão de asteroides principal.

O Caça Asteroides MCTI é um programa em parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e o International Astronomical Search Collaboration (IASC/NASA Partner). Está presente em mais de 80 países, por meio de treinadores oficiais. Em 2021, as equipes participantes do Caça Asteroides MCTI detectaram 1.423 asteroides.

Veja também: Obras de pavimentação e infraestrutura avançam pelos bairros Apolo II e Sossego e nos acompanhe nas redes sociais.

Veja também

Light afirma que teve que fazer uma parada emergencial por causa de um defeito na rede subterrânea.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias