Niterói lidera ranking de saneamento do Estado do Rio

às
nikit

Niterói ficou em primeiro lugar no Estado do Rio no ranking do Instituto Trata Brasil de fornecimento de água e coleta de esgoto. No País, a cidade saltou da posição 23 para o quarto lugar entre os municípios que mais investem em saneamento. O levantamento avalia as 100 maiores cidades brasileiras e foi divulgado nesta segunda-feira (20). O município conta com 100% de tratamento e abastecimento de água, cobertura de 95,55% no atendimento e 100% no tratamento de esgoto.

Niterói investe, desde 2013, em ampliação de reservatórios de água na Região Oceânica e em Pendotiba, em novas adutoras e também em Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) com a inauguração e modernização das redes no Sapê, Caramujo e Jurujuba.

O prefeito de Niterói, Axel Grael, falou sobre a importância desses índices na qualidade de vida da população.

“Niterói é um exemplo no setor de saneamento para o estado do Rio e para o Brasil. A cidade vem se destacando e sendo referência em temas voltados para a sustentabilidade e meio ambiente. Ampliamos investimentos em saneamento nos últimos anos e, por meio do trabalho em parceria com a concessionária Águas de Niterói, foi possível a construção de novas estações de tratamento de esgoto e a ampliação de outras unidades. Estamos empenhados em fazer de Niterói uma cidade cada vez melhor”, afirmou Axel Grael. “Os índices de saneamento de Niterói são comparáveis a cidades do primeiro mundo”.

O ex-prefeito e atual secretário Executivo de Niterói, Rodrigo Neves, destacou que os investimentos realizados desde 2013 foram fundamentais para que o município alcançasse a posição de destaque no ranking do Instituto Trata Brasil.

“Nossa gestão implantou novos reservatórios de água em Pendotiba e na Região Oceânica, além de novas adutoras. Em 2017, chegamos a 100% de distribuição de água tratada. Implantamos novas e modernas estações de tratamento de esgoto, como no Sapê e Caramujo, modernizamos a estação de Jurujuba e implantamos o programa Enseada Limpa, para recuperação das águas das enseadas da Baía de Guanabara em Niterói. A continuidade das políticas públicas e a Parceria Público-Privada permitiu que Niterói seja a primeira do Rio e a quarta do Brasil em saneamento, trazendo saúde, qualidade de vida e lazer para população”, disse Rodrigo Neves.

O relatório deste ano faz uma análise dos indicadores do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), ano de 2021, publicado pelo Ministério das Cidades. O ranking do saneamento básico aborda os novos indicadores de água e esgoto, além de dados sobre perdas de água, investimentos, operadoras e tarifa média das 100 maiores cidades do país. O estudo é elaborado com base nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), que são anunciados todo ano pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, reunindo as informações fornecidas pelas empresas prestadoras dos serviços de água e esgoto dessas cidades.

Niterói pulou do 23º lugar geral no ranking, em 2022, para a quarta posição, em 2023. Segundo o Trata Brasil, o principal motivo para esse avanço é a redução nas perdas na distribuição, que fez o município receber a nota máxima não somente neste indicador, como no de investimentos onde foram gastos mais de R$ 194 milhões, entre 2017 e 2021. A cidade também está entre as que tiveram a maior variação positiva no ranking com a subida de 19 posições.

“Niterói segue em posição de destaque nacional e no Estado do RJ porque, há 10 anos, não paramos de investir e temos como prioridade a universalização do saneamento. Vamos continuar trabalhando para chegarmos a 100% na oferta de rede coletora de esgoto”, reforça a secretária municipal de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa.

Nos últimos anos, a gestão municipal também investiu na universalização da coleta domiciliar do lixo, dando uma solução para a gestão do destino final dos resíduos. Além disso, foi implantado o programa Enseada Limpa de recuperação das enseadas da Baía de Guanabara. Com isso, a cidade evoluiu de 15% de semanas balneáveis em 2013 para 68% em 2020, o que possibilitou a prática de esportes aquáticos.

Saneamento básico – 
Quando a concessionária Águas de Niterói assumiu os serviços de saneamento básico no município, em 1999, a água só chegava a 72% da população. Atualmente, este índice é de 100%. Na parte de coleta e tratamento de esgoto, a cidade saltou de 35%, em 1999, para os atuais 95,5%. Essas conquistas são resultado de boa gestão e investimentos como a expansão da rede de abastecimento de água e implantação de novas unidades de bombeamento, devido ao crescimento populacional e ao aumento de demanda, e a implantação de novas Estações Elevatórias de Esgoto (EEE).

A continuidade das políticas públicas e a Parceria Público Privada (PPP) permitiram a Niterói ser a primeira do Estado e a quarta do Brasil em saneamento.

“A posição de Niterói no Ranking do Trata Brasil mostra os investimentos contínuos da Águas de Niterói no saneamento do município. Temos um programa robusto de melhorias de abastecimento, redução de perdas e medição das comunidades e áreas irregulares, para que tenhamos, cada vez mais, controle operacional do sistema, melhorando nossos indicadores com uma gestão sustentável, gerando impacto positivo enorme para o social e para o meio ambiente”, declara o diretor de Águas de Niterói, Bernardo Gonçalves.

Veja também

Light afirma que teve que fazer uma parada emergencial por causa de um defeito na rede subterrânea.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias