Funcionários de hospitais federais do Rio entram em greve

Profissionais da rede federal de saúde deram início a uma greve e fizeram uma série de reivindicações em manifestações nesta quarta-feira
às
greve
Foto: Reginaldo Pimenta/Agência O Dia

Profissionais da rede federal de saúde deram início a uma greve e fizeram uma série de reivindicações em manifestações nesta quarta-feira (15). A paralisação por tempo indeterminado foi aprovada em assembleias no início do mês e, a partir de hoje, atendimentos não emergenciais e cirurgias eletivas foram suspensos. A previsão é de que as unidades permaneçam funcionando com 30% do quadro de funcionários.

A paralisação ocorre nos hospitais de Bonsucesso e Andaraí, na Zona Norte, da Lagoa e Ipanema, na Zona Sul, Cardoso Fontes, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, e dos Servidores do Estado, na Saúde, no Centro. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social no Estado do Rio (Sindsprev/RJ)), os servidores são contra a divisão da gestão das unidades entre a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), o Grupo Hospitalar Conceição, o Governo do Estado e a Prefeitura do Rio, o que chamaram de “fatiamento”. 

“Nós somos completamente contra a privatização e transferir as nossas unidades para o Estado. Não dá para ser estadualizado, muito menos municipalizado, eles não dão conta. Nós temos condições de organizar os hospitais, desde que tenha pessoal e recursos. Essa gestão tem que ser feita pelo hospital, pelos servidores, não por uma pessoa que a gente nunca viu e não conhece como o hospital funciona”, declarou Osvaldo Mendes, membro da diretoria colegiada do Sindisprev. 

Nesta quarta-feira, os hospitais federais amanheceram com placas e faixas informando sobre a greve. Enfermeira do Hospital de Bonsucesso há 29 anos, Roseane Rocha Vilela conta que tem assistido a rede se deteriorar ao longo dos anos, com a falta de profissionais, insumos e medicamentos. Ela diz que após várias tentativas de diálogo com o Ministério da Saúde, viu na greve o único meio para ter as demandas atendidas. 

“A rede está se degradando, está acabando. Não temos material, não temos seringas, agulhas, materiais para cirurgias, medicamentos. Nós tivemos várias tentativas de diálogo, estivemos em Brasília na semana passada para um audiência com a ministra, passamos todas as nossas insatisfações e não vimos nada que nos levasse a crer que ela vai modificar esse quadro, muito pelo contrário, ela pareceu deixar claro que o fatiamento vai acontecer. Nós não vamos deixar, enquanto nós pudermos lutar, não vamos permitir que distribuam um pedacinho para cada um”, afirmou a enfermeira. A profissional relatou também que, até o momento, não houve comentários sobre demissão de servidores.

A auxiliar de serviços gerais Genilda Cruz, 56, conta que é paciente do Hospital de Bonsucesso há cerca de 15 anos mas, ao procurar atendimento ambulatorial na manhã de hoje, precisou voltar para casa. “Não está tendo atendimento, nem marcação, nem nada. Eu queria extrair meu dente, porque ele está quase caindo, mas quando cheguei no hospital, eles disseram que não teria atendimento. Os funcionários passam muito perrengue, mas é muito frustrante, porque não deram previsão para voltar e eu não sei para onde ir, porque eu sou paciente há muito anos, meu prontuário é daqui”, desabafou. 

De acordo com o Sindisprev, por ser um setor sensível, as unidades vão manter os serviços de hemodiálise, diálise, quimioterapia, oncologia, cirurgias oncológicas, trocas de sonda e curativos queimados, cirurgias e atendimentos de emergência e urgência, maternidade, atendimento a pacientes especiais, transplantes e ambulatório de TAP.

Fonte: odia.ig.com

Veja também

Deborah Vilas Boas Pires da Silva, de 27 anos, estava em um ponto de ônibus na manhã desta terça-feira (18), quando foi baleada.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias