10 anos após assassinato, Elize revela manuscrito de livro em que pretende contar à filha sua vida e por que matou Matsunaga

Após dez anos, Elize Matsunaga quer publicar o livro autobiográfico “Piquenique no Inferno”, que escreveu à mão na prisão, para pedir perdão à filha, que está impedida de ver desde 2012. E contar à garota que à época baleou, matou e esquartejou sozinha Marcos Matsunaga para se proteger das ofensas e agressões do marido.

A expectativa dela é de que a menina, atualmente com 11 anos, possa ler a obra um dia, quando estiver adulta, e conhecer a versão da mãe para o que aconteceu: Desde sua origem humilde até os relatos de ter sido vítima de violência sexual na adolescência e doméstica quando se casou. Por decisão da Justiça, a guarda da filha está com os avós paternos, que proíbem o contato da criança com a mãe

O crime foi cometido em 19 de maio de 2012 no apartamento do casal, na Zona Oeste de São Paulo, e teve repercussão na imprensa por envolver uma bacharel de direito casada com um empresário herdeiro da indústrias de alimentos Yoki. Ele tinha 42 anos à época; ela, 30.

“Minha amada [filha], não sei quando você lerá essa carta ou se um dia isso irá acontecer. Sei o quão complicada é nossa história, mas o que eu escrevo aqui não se apagará tão fácil”, escreve Elize, atualmente com 40 anos, numa carta incluída na obra.

A reportagem teve acesso com exclusividade a trechos das 178 páginas do livro, falou com os advogados de Elize, mas não conversou com a bacharel.

No manuscrito, feito num caderno com o desenho de crianças na frente de uma escola, ela conta sua vida antes, durante e depois de ter sido presa e julgada pelo crime

Essa versão de Elize para o crime já era conhecida da polícia e da Justiça, mas é a primeira vez que ela mesma decide transformar o relato em um livro. As informações chegaram até a ser usadas por sua defesa no seu julgamento para sensibilizar os jurados. Numa das passagens, por exemplo, a bacharel conta ter sido estuprada pelo padrasto quando tinha 15 anos.

 

Crédito:g1

Polícia investiga assassinato de jovem em Araruama

Agentes da 118ª DP (Araruama) estão investigando o assassinato de um jovem, de 23 anos, que foi morto a tiros, enquanto estava de bicicleta, na Avenida da Pedreira, em Ponte dos Leites, bairro de Araruama. Até o momento, não se sabe quem cometeu o crime.

Os policiais foram acionados e, segundo o portal RC24H, já encontraram o corpo da vítima sem vida. O corpo dele estava cheio de marcas de tiro. A perícia foi acionada e recolheu o corpo que foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da região.

Testemunhas deverão ser ouvidas e suspeitos podem ser detidos.

 

Crédito: O São Gonçalo

Uma mulher e dois homens são executados em Niterói e SG no último fim de semana

Três pessoas foram executadas, a tiros, entre a noite deste sábado (22) e a madrugada deste domingo (23). Os casos aconteceram em São Gonçalo, onde além dos mortos, uma pessoa ficou ferida, e em Niterói, onde uma mulher foi assassinada.

São Gonçalo 

Em Guaxindiba,  um homem morreu e outro ficou baleado após um ataque criminoso, na Rua Silva Porto.

A dupla estava na via quando os bandidos efetuaram os disparos. Um homem, de 20 anos, que já foi identificado  pela família, morreu no local. Outra vítima,  também homem ainda não identificado, foi baleado e socorrido para o Hospital Estadual Alberto Torres,  no Colubandê.

O caso aconteceu em frente uma lanchonete do bairro e a família da vítima foi até o local logo após receber a notícia do crime, que aconteceu na noite de sábado.

Já na madrugada deste domingo, a Polícia Militar foi acionada para a Rua Expedicionário Américo Fernandes, em Ipiiba, onde um homem foi torturado e executado.

A vítima, identificada como Lucas Pereira, estava com mãos e pés amarrados, alem de marcas de tiros.

Niterói

Em Niterói, a vítima foi uma mulher, identificada  como Dandara Santos. O caso aconteceu no sábado e ela chegou a ser socorrida para o Hospital Estadual Azevedo Lima,  no Fonseca, porém já chegou a unidade sem vida.

A jovem, que possuía marcas de tiros no corpo, foi deixada na unidade de saúde, mas nenhuma testemunha do caso foi localizada até o momento. Ainda não foi divulgado sequer onde o crime aconteceu.

Investigação 

Todos os casos foram periciados pelos agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo,  onde os homicídios serão investigados.

Imagens de câmeras de seguranças e testemunhas serão analisadas e ouvidas para que informações possam ajudar na elucidação dos crimes.

Os corpos das vítimas de São Gonçalo foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó,  no mesmo município.  Já o corpo da jovem, deixado no hospital do Fonseca, foi removido para o IML do Barreto, em Niterói.

 

Crédito: Jornal O São Gonçalo

PM prende homem acusado de matar a mulher na frente dos filhos na Zona Oeste do Rio

Um homem foi preso, na manhã desta terça-feira (18), acusado de matar a facadas a mulher na Estrada do Itanhangá, na Zona Oeste do Rio. Segundo a Polícia Militar, a dona de casa Ivone dos Santos Lima foi assassinada na frente dos filhos.

De acordo com a corporação, agentes do 31ºBPM (Recreio dos Bandeirantes) estavam em patrulhamento quando foram acionados por moradores do bairro Itanhangá. No local, uma mulher foi encontrada caída e teve a morte constatada por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Os policiais prenderam o homem, que estava sendo cercado pelos vizinhos. A Delegacia de Homicídios da Capital vai investigar o caso. A área foi isolada para perícia.

 

Crédito: odia.ig.com.br

Corpo de MC Boco é velado no Recife após artista ser assassinado a tiros durante show

O corpo de MC Boco está sendo velado na manhã da última segunda-feira (27), no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife. O cantor de brega funk foi assassinado em cima do palco durante um show, na madrugada do domingo (26), em Serrambi, em Ipojuca, no Litoral Sul de Pernambuco.

MC Boco, nome artístico de Paulo Roberto Gonçalves Cavalcanti, tinha 34 anos e foi assassinado no Aconchego Bar. Ele foi atingido por vários tiros e chegou a ser socorrido para uma unidade de saúde, mas não sobreviveu.

De acordo com uma testemunha, o assassinato ocorreu por volta das 2h40. O autor dos disparos foi um homem encapuzado, ainda não identificado. Essa hipótese não foi confirmada pela Polícia Civil, que não divulgou informações sobre suspeitos.

O velório teve início na noite do domingo (26) e até as 10h desta segunda (27) será restrito aos familiares amigos. Na manhã desta segunda, o tempo está chuvoso na capital pernambucana e até as 8h30 não havia fãs no local.

De acordo com informações repassadas por funcionários da funerária contratada pela família do artista, o velório teve início às 19h40 do domingo (26) e seguiu até as 23h, quando o local foi fechado.

A expectativa é que os fãs tenham entrada liberada no velório, no fim da manhã desta segunda. O sepultamento tem previsão de acontecer às 14h.

O corpo do cantor permanece dentro de um caixão, na área interna de uma das salas das funerárias do cemitério.

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o crime. A motivação do homicídio ainda é investigada. No entanto, há suspeita de que uma briga de facções criminosas possa ter relação com o caso.

A mulher do artista, Alynne Cristina, afirmou que MC Boco não tinha envolvimento com grupos criminosos e também negou qualquer relação da morte com a prisão dele por tráfico de drogas.

Em junho de 2020, Boco foi detido com mais três homens por estar com 670 gramas de derivado de pasta base de cocaína.

Ele ficou preso preventivamente até outubro deste ano. Na época, a assessoria do cantor negou o envolvimento do artista e afirmou que ele estava “no local errado na hora errada”.

Nota

Por meio de nota, a Secretaria de Defesa Social (SDS) informou que as investigações sobre o homicídio foram iniciadas pela Equipe da Força Tarefa de Homicídios Metropolitana Sul, da Polícia Civil de Pernambuco. “As diligências seguem até o total esclarecimento do crime”, disse a SDS.

Ainda segundo o governo, o policiamento ostensivo, realizado pelo 18° Batalhão da Polícia Militar, “seguirá realizando incursões e rondas na localidade a fim de localizar e capturar os envolvidos”.

A morte do cantor gerou grande repercussão nas redes sociais e pesar entre amigos, colegas e fãs. MC Boco é considerado um dos precursores da transformação na música brega do Recife.

No início da carreira, em 2007, fez dupla com Sheldon Férrer, na época com nome artístico de MC Sheldon.

Os dois se consolidaram como pioneiros do brega funk. Eles eram tão próximos que tinham os nomes, um do outro, tatuados nos braços.

Sheldon foi um dos primeiros a se manifestar sobre a morte do artista. Ele lamentou o fato de os dois estarem brigados e não se falarem desde 2020.

Outros artistas da cena de brega funk do estado também manifestaram o pesar pela morte do artista, tais como Dadá Boladão, MC Leozinho e MC Japão.

Crédito: g1.globo.com