Todos contra o Flamengo. CBF e 19 clubes decidem manter campeonatos sem público e tentam derrubar liminar do Flamengo

A CBF e 19 clubes que disputam o Campeonato Brasileiro – todos menos o Flamengo – decidiram nesta quarta-feira que os jogos da Série A vão continuar sem a presença de público.

Os 19 clubes também decidiram entrar em conjunto com uma ação no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para tentar derrubar a liminar concedida ao Flamengo que permite presença de público nos jogos da equipe. Além disso, ficou decidido que, se algum clube usar liminar para ter torcedores na arquibancada, a rodada inteira do Brasileiro será suspensa.

Uma nova reunião para discutir o tema foi marcada para o dia 28 de setembro.

Horas antes da reunião, o Flamengo publicou nota oficial afirmando que “não cabe aos clubes ou à CBF” deliberar sobre a presença de público nos estádios. Por isso, o clube não participou da reunião. Nesta semana, a Prefeitura do Rio de Janeiro permitiu o que chamou de “evento-teste” com público em três jogos do time rubro-negro no Maracanã, um deles pelo Brasileirão, contra o Grêmio.

Durante a reunião, o Atlético-MG lembrou que também tem uma liminar que lhe permite mandar jogos com presença de público, mas deixou claro que não vai usá-la porque prefere o entendimento coletivo.

Os jogos do Brasileirão ainda não tiveram público em 2021, apesar da liberação das autoridades em algumas cidades. Os clubes, com exceção do Flamengo, acreditam que a volta deve ser ao mesmo tempo para todos. Em São Paulo, por exemplo, o governador João Doria afirmou que só haverá liberação de público nos estádios a partir de 1º de novembro.

Horas antes da reunião, houve constrangimento no grupo de WhatsApp dos presidentes dos clubes da Série A. O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, compartilhou a nota oficial em que explicava os motivos pelos quais não participaria da reunião e foi cobrado por alguns pares.

“É assim que se quer falar em Liga?”, “É com essa postura que se prega união dos clubes?” foram alguns dos comentários de outros presidentes.

Durante a reunião, o Flamengo foi alvo de mais críticas no mesmo sentido, de que a postura de “jogar sozinho” vai contra qualquer tentativa de criação de uma liga.

Crédito: ge.globo.com

‘outro patamar’ do Flamengo citado por Vanderlei, ameaça bom relacionamento com torcida

Além dos 17 jogos sem vencer o Flamengo, o que irrita a torcida do Vasco desde a noite de quinta-feira é a declaração do técnico Vanderlei Luxemburgo dada depois da derrota por 2 a 0 no clássico.

O treinador afirmou que “o jogo do Flamengo você descarta, claro que você quer ganhar pela rivalidade, por tudo que envolve um clássico entre Flamengo e Vasco, mas o Flamengo está brigando por outro patamar”.

A reação dos torcedores foi imediata e deixa em xeque o conhecido clima amistoso entre o treinador e os vascaínos, que costumam dizer que Luxemburgo é o único rubro-negro que eles gostam.

“Clássico é clássico. Aposto que no vestiário ele não falou ‘se perdermos, tá de boa’, assim como aposto que ele diria ‘no futebol é 11 contra 11, não se ganha nem perde de véspera’, caso tivéssemos vencido”, escreveu um torcedor no Twitter.

“Gosto do trabalho dele, mas não tem que entrar com esse pensamento. A obrigação é pelo menos lutar em campo, não entrar para empatar ou perder. Um time apático e omisso desse não consegue ganhar nem do Íbis”, afirmou outro.

“Nao acho que o Luxa mentiu. A realidade é absurda. O Vasco tira o Benítez (que é um jogador nota 5 no Brasil, mas nota 9 no Vasco) e coloca o Catatau (que é horível). Eles trocam o ‘Gabisemgol’ e entra o Pedro. É colocar uma Ferrari para fazer um pega com um Fiat 147. Não dá”, defendeu o torcedor.

Vanderlei Luxemburgo tem contrato com o Vasco somente até o fim do Campeonato Brasileiro. Faltam quatro rodadas para o término da competição e o time está a dois pontos da zona de rebaixamento.

Nova coletiva serve para apagar incêndio

Nesta sexta-feira, Luxemburgo voltou a dar entrevista coletiva, por problemas técnicos na entrevista de quinta-feira, e aproveitou para se corrigir, depois da repercussão da declaração do treinador.

– A grandeza do Vasco é igual a do Flamengo. Nesse jogo a rivalidade está presente e já há uma motivação por si só. Quis dizer que eles estão disputando título e nos brigando embaixo. É algo momentâneo. A grandeza e tradição do Vasco ninguém vai tirar – afirmou.

O treinador destacou que o momento é de cuidar do lado psicológico dos jogadores.

– Temos a Maíra (Ruas, psicóloga do Vasco), que conversa muito com os jogadores. Eu também sou experiente para tratar disso, já conversamos com os jogadores logo depois da partida, a derrota para o Flamengo já é passado.

Antes de encerrar a coletiva, Vanderlei Luxemburgo destacou seu desejo de fazer um trabalho a longo prazo no Cruz-maltino:

– Estamos trabalhando muito, todos os dias, e os jogadores sabem que nossa competição é outra. Não vou mentir para o torcedor e se ele entendeu mal isso aí, do patamar, esquece, é claro que a grandeza dos clubes é a mesma, só que os momeentos são diferentes, não posso dizer outra coisa. Ano que vem quero estar aqui disputando título, disputando a Libertadores. Vamos manter o Vasco na Primeira Divisão e depois temos de fazer um planejamento para levar o Vasco a esse patamar.

 

Fonte: extra.com

Campeonato carioca 2021 sofrera mudanças

O Campeonato Carioca 2021 terá um formato diferente do que vinha sendo adotado nas edições mais recentes. Em arbitral realizado na tarde desta segunda, os clubes participantes e a Ferj bateram o martelo sobre a fórmula de disputa: a primeira divisão será em turno único, com 12 participantes, no qual todos se enfrentarão, em 11 rodadas.

O título sairá de um mata-mata entre os quatro melhores classificados ao final desta fase inicial. Com isso, haverá semifinais, em dois jogos, e a decisão, também em duas partidas. A fase principal começa em 28 de fevereiro.

Os confrontos da primeira fase serão definidos por sorteio e divulgados pela Ferj. O novo formato reduzirá a quantidade de datas para 15, duas a menos do que o de 2020 e uma a menos do que o disponibilizado no calendário da CBF, que é 16.

A última vez que o campeonato foi disputado em turno único foi em 2015, tendo o Vasco como campeão. Nos últimos anos, foi organizado em dois turnos com as equipes divididas em dois grupos.

As tradicionais Taça Guanabara e Taça Rio perderam o destaque, mas não ficaram de fora. A primeira será concedida ao time que ficar em primeiro na classificação ao fim das 11 rodadas. Os times que ficarem entre 5º e 8º vão disputar um mata-mata cujo vencedor levará a Taça Rio.

 

Fonte: extra.globo.com