Jovem de 18 anos ataca creche com facão e mata professora e crianças

Tragédia

Um jovem de 18 anos atacou uma creche de Saudades na cidade no oeste de Santa Catarina, matou crianças e uma professora com um facão na manhã desta terça-feira 4 de Maio.

O Corpo de Bombeiros Militar confirmou a informação.

Segundo a corporação, duas crianças e uma professora morreram e ainda há outros feridos.

“É uma tragédia”, disse o comandante do 2º BPM de Chapecó.

O autor do ataque tentou suicídio, ficou gravemente ferido e foi conduzido ao município de Pinhalzinho, a 11 km do município de Saudades.

Fonte: r7

 

Policial se veste de Capitão América para conscientizar crianças sobre a pandemia

Era por volta das 10h deste domingo 14 de Março, quando o policial militar, que prefere ser identificado apenas como Everaldo, de 44 anos, deixou Petrópolis, em direção à cidade vizinha, Teresópolis, em uma missão especial.

O uniforme dessa vez foi outro. Ele trocou a farda da corporação por um traje bem mais lúdico. Fantasiado de Capitão América, o PM aproveitou o dia de folga para visitar crianças e orientá-las sobre o uso de máscaras e a importância de se protegerem contra a Covid-19.

“Sou policial militar e dedico um pouco do meu tempo de folga para levar alegria para algumas crianças. É muito gratificante ajudar de alguma forma nesse período de distanciamento social.”

Em Teresópolis, duas das crianças visitadas pelo Capitão América perderam familiares para a doença.

“Uma perdeu a avó e a outra perdeu o pai. Eu evito de tocar no assunto quando vou visitar a criança, eu só vou para levar alegria mesmo. Levo a máscara do Capitão América, ensino como usar”, conta o policial.

De lá, seguiu para Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde também visitou outras duas crianças. A ação só terminou às 19h.

A ação e as máscaras são custeadas pelo próprio policial.

Fonte: g1.globo.com

Crianças desaparecem após saírem para brincar no RJ

Três crianças desapareceram após saírem para brincar em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, no domingo (27).

Os primos Alexandre, de 10 anos, Lucas, de 8 anos, e o colega Fernando Henrique, de 11 anos, foram brincar pela manhã. O desaparecimento dos jovens foi notado quando eles não voltaram para almoçar.

As buscas foram iniciadas por conta própria às 19h. Segundo a mãe de Fernando, Tatiana da Conceição, os três costumavam ficar próximo de casa.

“Eles até entravam tarde, mas nunca pensei que eles fossem sumir.”, afirmou Tatiana, em entrevista à Record TV Rio.

Após a repercussão do caso, as famílias afirmaram que muitas pessoas entraram em contato. No entanto, a divulgação de informações falsas acabou dificultando as buscas.

“A gente só tá tendo notícias errada. Não estamos achando eles.”, disse.

O caso está sendo investigado pela DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense). Os pais das crianças foram ouvidos nesta segunda-feira (28).

 

Fonte: noticias.r7.com

Carro cai dentro de rio e seis crianças e um adulto morrem em campos, Rj

Seis crianças e um adulto morreram em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, depois que o carro em que estavam caiu dentro de um rio, por volta das 19h40 de segunda-feira (14).

Os seis menores que estavam no carro eram da mesma família. Enzo Gabriel, de 2 anos, Kemilly Sophia, 6, Phandora, 8, e Ana Laisa, 4, eram irmãos; Brunna Vitória, de 3 anos, e Erick, de 12, eram seus primos.

Crianças que morreram em acidente em Campos dos Goytacazes eram da mesma família — Foto: Ana Carolini Mota/Inter TV RJ e Arquivo Pessoal
Duas jovens, de 18 e 13 anos, também estavam no carro e tiveram ferimentos leves. Elas foram encaminhadas para o hospital Ferreira Machado. Segundo informações da família, a mais velha delas é mãe de Brunna.

O motorista, Adilson, tinha 45 anos e era amigo da família.

Apesar de transportar 9 pessoas no momento do acidente, o modelo do veículo comportava até cinco ocupantes.

Os corpos do motoristas e de cinco dos menores foram resgatados ainda na segunda-feira (14). A sexta criança, Ana Laisa, chegou a ser dada como desaparecida, mas o corpo dela foi encontrado na manhã desta terça-feira (15).

O carro caiu de uma ponte que passa por um córrego na RJ-208, na altura do bairro da Tapera. De acordo com testemunhas, o motorista tentou desviar de um ciclista, perdeu o controle do carro e caiu dentro do rio.

Na manhã desta terça (15), o veículo foi retirado de dentro da água pela equipe dos bombeiros, com apoio dos Mergulhadores do 5º Grupamento da corporação.

Carro que caiu dentro de rio foi retirado da água nesta terça-feira (15); 6 pessoas morreram e 1 criança está desaparecida — Foto: Ana Carolini Mota/Inter TV RJ

Passeio

Segundo os familiares das crianças, Adilson levou as seis crianças e as duas jovens para passar o dia na Lagoa de Cima, tradicional balneário da região.

A avó de Erick, Rita de Cássia, contou que estava dormindo quando seu filho, pai da criança, ligou para dar a notícia. “[Ele] falou ‘mãe, mais um filho meu morreu’. Ali eu já tinha perdido o chão, não sabia mais onde eu tava”.

Fonte: g1.com

Duas crianças foram mortas enquanto brincavam na porta de casa em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense

Duas meninas, morreram baleadas após um tiroteio sexta-feira (4) em Duque de Caxias, no Rio de janeiro. Apesar de uma moradora dizer que os projéteis partiram de policiais, a PM (Polícia Militar) do Estado afirma que não disparou nenhum tiro na operação.

A mãe de Emilly, Ana Lúcia Moreira, afirmou que a irmã avistou um carro da polícia momentos antes do tiroteio que matou sua filha de 5 anos e a prima Rebeca, de 7 anos. 

“Conforme eles passaram, eles deram o tiro. Se eles deram o tiro, algum alvo eles viram.”, disse Ana Lúcia.

No entanto, a mãe não sabe dizer se havia algum suspeito próximo. Segundo ela, a movimentação dos moradores para ajudar as crianças foi intensa.

Emilly Victoria Silva dos Santos foi baleada na cabeça e a prima Rebeca Beatriz Rodrigues dos Santos, no tórax.

O enterro das duas ocorreu no sábado (5) no Cemitério Nossa Senhora das Graças, também na Baixada Fluminense. Emilly que completaria 5 anos no dia 23 de dezembro foi enterrada com o vestido que usaria na festa.

Neste domingo (6), parentes e amigos fizeram um protesto na praça Raul Cortez, em Duque de Caxias, para pedir justiça pela morte das meninas. Aos gritos de “vidas negras importam”, os manifestantes iniciaram uma caminhada e disseram que não havia operação quando as crianças foram baleadas.

Em nota, a PM afirmou que “não houve disparos por parte dos policiais militares” e que os agentes estavam em patrulhamento quando ouviram disparos de arma de fogo.

Apesar disso, a DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) apreendeu os cinco fuzis e cinco pistolas para realizar confronto balístico. Os policiais envolvidos na ação já foram ouvidos.

 

Fonte: r7.com