Mãe ucraniana escreve nome e telefone nas costas de filha de 2 anos caso ela desapareça na guerra

Aleksandra Makoviy, artista ucraniana, divulgou em suas redes sociais um registro do que deve ser um dos momentos mais difíceis de toda a sua vida.

Nos primeiros dias da invasão russa, esta mãe ucraniana escreveu nome e telefones, com uma caneta, nas costas de sua filha Vira, de 2 anos, com medo de que ela desaparecesse na guerra.

“Eu estava tremendo nas primeiras horas”, contou a mãe. “Assinei com as mãos tremendo muito.”

Makoviy lembrou que escreveu as informações em um momento de desespero, enquanto ouvia as primeiras explosões, e temia por sua vida.

Além das informações escritas a tinta na pele, ela também enfiou nos bolsos da pequena um cartão que, afirmou a mãe, não conseguiu se desfazer, ainda que elas estejam em segurança fora do país.

 

Abrigo na França

Makoviy e a filha Vira conseguiram escapar da Ucrânia pela Polônia, como milhões de outros refugiados da guerra, e vivem neste momento em uma cidade no sul da França.

“Fomos recebidos por voluntários, recebemos moradia e fomos totalmente atendidos”, disse a mãe.

Ela contou ter recebido centenas de mensagens após a imagem de sua filha viralizar, com ofertas de ajuda e recados amorosos.

“Como é que pode um mundo como este, de coisas boas, ter esse mal contínuo invadindo nossas cidades?”, desabafou Makoviy.

Não há informações sobre o pai da pequena Vira, mas um decreto ucraniano proibiu que homens entre 18 e 60 anos abandonassem o país durante a guerra.

 

Crédito: G1

Criança de 2 anos morre após ser espancada pela própria mãe em Manaus

Uma criança de 2 anos morreu na última sexta-feira (11/3), no Hospital Platão Araújo, Zona Leste de Manaus, vítima de lesão corporal. Segundo a Polícia Civil, o menino foi espancado pela própria mãe, uma jovem de 23 anos, na terça-feira (8/3).

Conforme a equipe de plantão da unidade especializada, a vítima deu entrada no Hospital e Pronto Socorro (HPS) na quinta-feira (10/3) pois, segundo a mulher, o filho apresentava sinais de febre, vômito e respiração fraca.

Crédito: Metrópoles

Mãe é presa acusada de abusar da filha junto com o companheiro

Policiais civis da 57ª DP (Nilópolis) prenderam, nesta segunda-feira (21/02), uma mulher acusada de estupro de vulnerável contra a filha, de 11 anos. Ela foi capturada naquele município, após levantamento de informações de inteligência e monitoramento.

As investigações apontam que a mãe permitia que o companheiro praticasse atos libidinosos contra a menina. O caso chegou à delegacia após a vítima relatar o crime a colegas da escola. A mãe de uma das crianças tomou ciência do caso e denunciou. A partir daí, foram realizadas diligências para apuração dos fatos e em seguida, com o apoio do Ministério Público, foi decretada a prisão preventiva dos criminosos.

A mulher foi encaminhada ao sistema penitenciário, onde ficará à disposição da Justiça. O padrasto da vítima está foragido e segue sendo procurado.

 

Crédito: O São Gonçalo

Mãe é presa suspeita de ‘vender’ filha de 4 anos por R$ 50 para estupradores

A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira, 26, dois idosos e a mãe de uma menina de 4 anos na cidade de Maribondo, interior de Alagoas, por suspeita de estupro de vulnerável contra a criança. A mulher é suspeita de “vender” a filha por R$ 50 para os estupradores.

De acordo com a equipe da Polícia Civil do 101º DP, a investigação apontou que a mãe da criança, uma jovem de 20 anos, permitia que os homens de 78 e 81 anos abusassem da menina, mediante pagamento em dinheiro, no valor de R$ 50. Não há informações sobre o pai da criança ou há quanto tempo os abusos ocorriam.

O crime ocorria na casa da vítima, localizada no Centro da cidade de Maribondo. De acordo com o chefe de Operações do 101º DP, um dos homens chegava a introduzir o dedo na vagina da criança, além de pedir que ela segurasse o pênis durante o abuso sexual.

A mãe da menina e os idosos responderão pelo crime de estupro de vulnerável, com pena prevista de 6 a 8 anos em regime fechado.

 

Crédito: O Dia

Morre mãe do presidente Jair Bolsonaro aos 94 anos

Olinda Bolsonaro, mãe do presidente Jair Bolsonaro, morreu na madrugada desta sexta-feira (21), aos 94 anos. O anúncio foi feito pelo presidente em suas redes sociais. A causa da morte ainda não foi informada. O corpo será velado e enterrado em Eldorado, no interior de São Paulo.

“Com pesar o passamento da minha querida mãe. Que Deus a acolha em sua infinita bondade”, escreveu ele no Twitter.

Olinda Bolsonaro estava internada no Hospital São João, em Registro, no interior de São Paulo, desde a última segunda-feira (17). Ela morava em Eldorado, que fica a aproximadamente 52 quilômetros de distância de Registro e não conta com hospital de referência.

Volta ao Brasil

Na mesma publicação em que anunciou a morte da mãe, Bolsonaro também afirmou quese prepara para voltar ao Brasil. O presidente cancelou viagem oficial à Guiana para ir ao enterro.

Bolsonaro viajou na manhã da última quinta-feira (20) para Paramaribo, no Suriname, e chegou à cidade por volta de 12h, no horário de Brasília. Essa era a primeira parada da viagem que duraria dois dias e também incluiria a Guiana.

Crédito: Portal g1