Arraial do Cabo recebe visita de baleias e encanta turistas

Quem estava no mar de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, pôde observar grupos dos mamíferos passando no local. As baleias, que procuram o litoral do Rio de Janeiro em períodos de reprodução, encantam cariocas e turistas. Nos meses de junho a agosto, elas saem do sul do continente em direção ao sul da Bahia.

De acordo com especialistas, pelo menos, 20 mil baleias, geralmente das espécies franca e jubarte, passam pelo litoral do Rio nessa temporada.

Elas chegam a medir 16 metros e a pesar 30 toneladas. Além de Arraial do Cabo, os animais já foram flagrados nas praias da capital fluminense e também em Niterói.

 

Créditos: Band News FM Rio

Prefeitura de Rio Bonito promove a Feira da Integração neste sábado,10

A prefeitura de Rio Bonito realiza neste sábado, dia 10 de junho, a Feira da Integração, em parceria com o Convention & Visitors Bureau e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Rio Bonito, na Praça Fonseca Portela, no Centro, a partir das 8h. Além de exposição e venda de Artesanatos, o evento também vai contar com uma Feira de Antiguidades, uma Feira de Adoção de Pets, e ainda a Feira da Agricultura Familiar. A proposta do governo municipal é realizar o projeto todo segundo sábado de cada mês.
No evento, o público encontrará barracas de culinária, produtos de artesanato, como bijuterias, bordados, entre outros itens, além de diversos produtos de época, como roupas, móveis, e pratarias de colecionadores locais.
Fonte: Secretaria de Comunicação de Rio Bonito

Após sete anos, Itaflores pode voltar ao calendário de eventos da região

Com o objetivo de valorizar a produção municipal de flores e torná-la referência na região novamente, a Prefeitura de Itaboraí já começou a planejar a volta do Itaflores. Promovido pelas Secretarias Municipais de Agricultura (Semagri) e de Turismo e Eventos (Semtur), o tradicional evento pode retornar ao calendário da cidade após sete anos.
Representando o prefeito Marcelo Delaroli, o secretário de Agricultura de Itaboraí, Abílio Pereira, deu início ao planejamento das ações, durante uma reunião na sede do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Leste Fluminense (Conleste), no Centro. Participaram do encontro, o diretor geral do Conleste, Hédio Mataruna, o representante do Emater-Rio, Paulo Cézar da Silva e a da FlorTec, Ana Paula Sá Leitão.
O evento, que não é realizado há sete anos no município, está sendo organizado com o objetivo de beneficiar os produtores locais e contará com uma série de atividades, incluindo workshops, cursos e expedições para floristas. Atualmente, Itaboraí ocupa o primeiro lugar em produção de plantas ornamentais no Estado.
Para o prefeito de Itaboraí, Marcelo Delaroli, o Itaflores é um evento tradicional no município e que não pode continuar esquecido. “Vamos retomar este evento tão importante para a cidade. Uma forma de fomentar a economia local, contribuindo com as vendas dos produtores locais e ainda divulgar seus produtos para todo estado. É com muita satisfação que iremos realizar este evento tão significativo para a cidade e para nossos produtores de plantas ornamentais”, frisou o chefe do Executivo.
O secretário municipal de Agricultura, Abílio Pereira, enfatiza que, diferentemente das outras edições, o Itaflores está sendo reformulado como um projeto de transformação deste mercado no município. Segundo o chefe da pasta, as ações não serão reduzidas apenas aos dias de evento.
“Estamos montando um calendário de atividades voltadas ao ramo da floricultura que continuará ao longo dos meses. Será um marco na história deste mercado produtor em Itaboraí. Sabemos do potencial da nossa cidade e o Itaflores é uma forma de concentrar os trabalhadores, valorizar a produção local e dar oportunidades profissionais para que o setor continue crescendo”, afirmou o secretário.
Para auxiliar nos detalhes do planejamento, a reunião contou com a participação da responsável pela organização da primeira edição do Itaflores, a diretora da FlorTec, Ana Paula Sá Leitão. Direto de Holambra (SP), conhecida como a capital nacional das flores, ela relembrou a força da produção local itaboraiense.
“Tenho um carinho especial e muito grande por Itaboraí. Participei da primeira edição do Itaflores na cidade e fico feliz de ver a intenção de retomar um projeto como esse, tão importante para o nosso mercado produtor. Quero que aconteça o quanto antes e que cresça cada vez mais”, disse.
Crédito: Prefeitura de Itaboraí

Abertas as inscrições para concurso mundial que vai eleger “Melhores Vilas Turísticas”

O Ministério do Turismo recebe, a partir desta quinta-feira (01.07), inscrições para um concurso global liderado pela Organização Mundial do Turismo (OMT) que vai eleger as “Melhores Vilas Turísticas” do mundo em áreas rurais. Cada país, por meio de suas autoridades máximas de turismo, poderá indicar três destinos. Assim, para definir os representantes brasileiros no concurso, o MTur receberá, até 21 de julho, propostas de entidades públicas ou privadas que desejem participar da seleção. As inscrições devem ser enviadas ao e-mail candidaturas@turismo.gov.br.

O objetivo é identificar aldeias ou vilarejos, ou seja, povoados ou cidades de pequeno porte que adotem estratégias inovadoras e transformadoras para o turismo em áreas rurais, alinhadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) – um conjunto de metas em temas fundamentais para o desenvolvimento humano, como redução das desigualdades, padrões sustentáveis de produção e de consumo e crescimento econômico inclusivo.

“Como um país-membro da OMT e reeleito na última semana a uma vaga no Conselho Executivo da organização, apoiamos a iniciativa, que deve promover o turismo como indutor da valorização e preservação das nossas vilas rurais, incluindo belezas naturais, conhecimento e a diversidade cultural e gastronômica dos nossos destinos para o mundo”, destaca o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

Podem participar da Chamada Pública localidades rurais com até 15 mil habitantes, que abriguem atividades tradicionais, como agricultura, silvicultura, pecuária ou pesca e que compartilhem valores e estilo de vida da comunidade. 

Além dos pré-requisitos já definidos pela OMT, detalhados AQUI, o Ministério do Turismo levará em consideração outros três critérios para classificação dos destinos: estar posicionado digitalmente e conseguir divulgar seus produtos turísticos; possuir ações de turismo de base comunitária ou produção associada a cadeias, como a de alimentos e de artesanato; e dispor de um evento tradicional com visitação turística no calendário oficial.

Acesse AQUI a Chamada Pública.

BENEFÍCIOS – Por meio de um selo, a OMT identificará as “Melhores Vilas Turísticas”, que servirão de exemplo de destinos rurais na relação com bens culturais e naturais, preservação e promoção de valores rurais e comunitários e defesa da inovação e da sustentabilidade nos aspectos econômicos, sociais e ambientais. O resultado do concurso será anunciado em outubro, durante a Assembleia Geral da Organização Mundial do Turismo, prevista para ocorrer em Marraquexe, no Marrocos.

A OMT também disponibilizará um programa de apoio a aldeias e vilas que não tenham sido classificadas, neste primeiro momento, para obter o selo. E, ainda, criará uma rede para troca de experiências, boas práticas, conhecimentos e oportunidades no desenvolvimento do turismo rural.

“Queremos reconhecer a singularidade de cada vila e mostrar as melhores iniciativas para fazer do turismo um meio para um futuro melhor no meio rural. À medida que retomamos o turismo, trabalhamos para garantir que não deixemos ninguém – e nenhuma aldeia – para trás”, declarou o secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili.

 

Fonte: Agência de Notícias do Turismo

Circuito Gastronômico e Cultural da Beira-Rio fortalecido

O secretário municipal de Turismo, Vespasiano Luz, o subsecretário, Lucas Couto, e o secretário de Ordem Pública, André Gouvea, se reuniram com os proprietários dos restaurantes da Beira-Rio, em Barra de São João, para discutir demandas e ações que visam fortalecer o Circuito Gastronômico e Cultural da Beira-Rio.

Entre as principais demandas levantadas está o planejamento e organização do uso da Beira-Rio, com ordenamento do trânsito, mais segurança pública, sinalização,Informação e divulgação turística, além de explorar de forma sustentável nossas riquezas naturais e culturais, usando o esporte, a arquitetura e nossa história como ferramentas para o desenvolvimento do turismo na Beira-Rio.

O Circuito Gastronômico e Cultural da Beira-Rio segue da praça As Primaveras até a praça do Canhão. Ao longo do percurso, margeado pelo belo Rio São João, contamos com cinco restaurantes: Por-do-Sol, Prosa Mineira, Tempero de Pimenta, Café Simpatia e o Caiçara, cada um com sua especialidade.

Além da gastronomia variada, o circuito tem muita história para contar. Começando pela Praça As Primaveras e o Museu Casa de Casimiro de Abreu, onde nasceu o principal poeta da segunda geração do romantismo no Brasil. O imóvel era a residência da família e local de trabalho do pai do poeta.

Seguindo pela rua Bernardo Gomes, mais conhecida como Beira-Rio, árvores centenárias são testemunhas vivas de um período em que o local era a principal rua de comércio da cidade. As Palmeiras Imperiais reforçam a passagem de Dom Pedro II e sua comitiva por ali. Elas representavam status e poder no período monárquico.

Pela Beira-Rio passou também o naturalista Charles Darwin, cientista que criou a teoria da evolução. Darwin explicou a evolução das espécies por meio da seleção natural, onde os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência do que os menos adaptados, deixando um número maior de descendentes. Sua obra mais conhecida é “A Origem das Espécies”.

O Circuito acaba na Praça do Canhão, num trecho que concentra casarios bem preservados do período colonial. O local conta com a antiga ‘bica’, onde os moradores de Barra de São João pegavam água para o consumo de suas casas.

Da Praça do Canhão se tem uma vista privilegiada do Morro São João. Com quase 60 milhões de anos, está localizado numa área com grande potencial para o desenvolvimento do turismo científico e ecológico.