Formada em Tanguá, Banda Strategya já está pronta para o Carnaval 2019

às

É só chegar o ano novo que o clima de festa começa a surgir, mesmo que em 2019 o Carnaval tenha sido adiado em um mês, a ser realizado em março. Mas apesar do tempo de espera, a banda Strategya já está preparada para a folia, uma das suas especialidades. O grupo é o nome dos sucessos autorais “É Mil, É Mel” e “Cheirinho de Amor”, compostas por Paulinho Resende, renomado compositor que já trabalhou com artistas como Alcione, Zeca Pagodinho e Diogo Nogueira.

Organizada em 1996 em Tanguá, a Strategya foi formada com músicos da própria cidade e também de Rio Bonito e São Gonçalo. De lá para cá, são mais de 20 anos de estrada e muita história, que inclui apresentações com grandes nomes da música nacional, como a dupla Jorge e Mateus, a cantora Claudia Leitte, os grupos Paralamas do Sucesso, Revelação, Roupa Nova, Araketu, Biquini Cavadão, a banda Detonautas e tantos outros.

A agenda para o Carnaval 2019 já está fechada. Mas apesar de não ser possível ainda divulgar os locais, o líder da Strategya, Luciano Lúcio, garante que a banda está se preparando para fazer uma grande festa. “A gente já tem bastante coisa amarrada nessa região”, conta o músico e político, que está na banda há quase 14 anos e hoje administra o grupo.

O líder da banda, Luciano Lúcio, e o frontman da Roupa Nova, Ricardo Feghali (Foto: Arquivo pessoal)

A banda Strategya, registrada em 2010, também tem shows agendados em Goiás e Minas Gerais, dois dos mais populares berços da música nacional. O grupo é um dos mais requisitados em todos os Carnavais na região, e promete ser mais um nome a agitar a festa mais popular do país neste ano.

Veja também

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Saúde, abriu nesta segunda-feira (04/03) o segundo polo de atendimentos à dengue
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias