Projeto na Alerj assegura condições de trabalho a entregadores de aplicativo

Alerj assegura condições de trabalho a entregadores de aplicativo e Proposta do deputado Guilherme Delaroli tem parecer favorável na CCJ e recebe 31 apoiamentos.
às
Deputado Guilherme Delaroli quer dar condições dignas de trabalho aos entregadores/ Foto: Octacilio Barbosa/Alerj

Alerj assegura condições de trabalho a entregadores de aplicativo. Os entregadores das empresas de aplicativos ganharam o apoio de deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para melhoria nas condições de trabalho. O Projeto de Lei 1432/2023, de Guilherme Delaroli (PL), portanto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e recebeu apoiamento de 31 parlamentares que assinaram para a proposta tramitar com urgência na Casa.

O projeto obriga as empresas de aplicativos de entrega a instalarem pontos de apoio aos entregadores em locais de alta demanda de pedidos, com infraestrutura adequada, disponibilizando: água potável; banheiro; refeitório com mesas, cadeiras e micro-ondas; ambiente para descanso, além de pontos de energia para recarga de celular, wi-fi gratuito e estacionamento para moto e bicicleta.

“Os entregadores são massacrados pelos poderosos, as empresas arrecadam cifras milionárias e repassam muito pouco para a categoria. Então o projeto de lei é para dar dignidade e condições mínimas de trabalho a essa classe que tanto sofre”, explica o deputado Guilherme Delaroli.

Na justificativa, o deputado destaca a importância da categoria, especialmente no período de restrições da Covid-19, citando pesquisa realizada em 2022 constando 385.742 entregadores no país, segundo a Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia e o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento.

O projeto de lei estabelece que os custos provenientes da instalação e manutenção dos pontos de apoio serão de responsabilidade exclusiva das empresas, não podendo sob qualquer forma ser cobrado ou repassado aos entregadores.

Ainda de acordo com o PL 1432/2023,  as empresas de aplicativo terão o prazo de 120 dias para se adequarem à lei, e o descumprimento acarretará ao infrator multa de 1.000 UFIRs-RJ, dobrando em caso de reincidência. 

Alerj assegura condições de trabalho a entregadores de aplicativo Foto: Octacilio Barbosa/Alerj

“Diversas cidades no Brasil já conseguiram aprovar leis similares, o Estado do Rio não pode negligenciar nem esquecer desses homens e mulheres que trabalham muito, por horas, e hoje, infelizmente, não têm nenhuma condição de trabalho”, conclui Guilherme Delaroli, que recebeu o apoio de deputados de diferentes partidos para urgência na tramitação e votação, incluindo o presidente da Alerj, Rodrigo Bacellar (PL).

Veja também: Novo BRT Transoeste registra fila de 1 hora de espera e nos acompanhe nas Redes sociais.

Veja também

Encerradas definitivamente, sistema de transferências via DOC, um dos mais tradicionais meios de pagamentos bancários por décadas.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias