Deputado Federal Chiquinho Brazão UNIÃO/RJ apresenta projeto de vacinação gratuita para cães e gatos.

Ter um animalzinho de estimação, traz muita alegria para os donos, principalmente quando estão saudáveis e felizes, por isso é muito importante garantir que eles estejam com todas as vacinas em dia.

A vacinação dos animais é uma questão de saúde pública. Foi apresentado na câmara federal, o projeto de lei 3029/2021, de autoria do Deputado Federal Chiquinho Brazão UNIÃO/RJ, para que as vacinas polivalentes v8 para cães e v4 para gatos sejam aplicadas gratuitamente.

Segundo a organização mundial da saúde estima-se que só no brasil, existam mais de 30 milhões de animais abandonados. Junto com os abandonos, vem as doenças, não apenas dos animais, mas também as que são transmitidas para as pessoas.

A vacinação em cães e gatos, assim como nos humanos, possuem dois objetivos:  proteger o animal de estimação contra doenças infecciosas, e protegê-los contra os agentes circulantes dessas doenças.

Entender que a vacinação dos animais domésticos é tão importante para os pets quanto para os humanos é o primeiro passo para uma vida segura e saudável.

Mas, segundo o deputado, muitos tutores não têm condições financeiras de pagar as vacinas, e justamente por isso a necessidade de investir na prevenção através da vacinação.  “Não podemos negar o impacto financeiro para as famílias de baixa renda que procuram atendimento clínico para seus animais. Eles, assim como nós, precisam de cuidados, e por conta desses gastos, muitos são abandonados, principalmente quando estão doentes. Nosso compromisso é com a saúde, e investir em vacinas, é investir em saúde pública”, conclui o deputado.

Deputado Federal Chiquinho Brazão (Avante-RJ) apresenta PL que aprimora Lei Maria da Penha

No Brasil, a violência contra a mulher é um grave problema de saúde pública que atinge to- das as classes sociais e diferentes níveis de formação cultural, educacional, religiosa e profissional. Dados dos últimos anos mostram que apesar dos avanços alcançados, ainda é preciso uma maior conscientização e o aprimoramento das medidas para proteger as mulheres vítimas de agressão

De acordo com o Dossiê Mulher 2020, divulgado pelo Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro, 82,4% dos crimes foram cometidos pelo companheiro ou ex-companheiro da vítima, e 78,8% das vítimas de feminicídio foram mortas dentro de seus próprios lares.

Com o intuito de aperfeiçoar os mecanismos criados pela Lei Maria da Penha, o deputado Chiquinho Brazão apresentou o Projeto de Lei 146/2021 no Congresso Nacional, para que os agressores sejam obrigados ao recolhimento noturno ou recolhimento domiciliar integral, além de serem proibidos de frequentar bares, casas noturnas e estabelecimentos do mesmo gênero, domiciliar, e também utilizem tornozeleira eletrônica.

“A pandemia acelerou uso da tecnologia no combate à violência contra a mulher, na verdade, mais do que nunca, essa ferramenta se fez necessária. Acompanhando o crescimento da violência contra a mulher durante o isolamento social, se faz necessário que o poder público implemente políticas que visem fornecer às mulheres, ferramentas tecnológicas como parte das medidas para fortalecer os sistemas de resposta e apoio às situações de violência. Além de criar medidas de enfrentamento, é necessário fiscalizar e conscientizar a população. Se calar também é crime”, afirma o deputado.

Para pagar indenização a ministro Alexandre de Moraes, deputado federal Otoni de Paula tem conta-salário bloqueada

O deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) aproveitou a sessão da Câmara dos Deputados de quarta-feira (23) para anunciar que teve sua conta bancária — pela qual recebe o salário de parlamentar — bloqueada. A decisão foi do juiz Guilherme Medeiros, da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, em uma execução provisória de um processo movido pelo ministro do STF Alexandre de Moraes.

Ainda ao microfone do plenário, o parlamentar revelou ter descoberto o bloqueio quando sua esposa foi ao supermercado fazer compras.

“Certamente, uma petição do seu advogado, informando ao juiz que essa é sua conta salarial, e essa conta será desbloqueada, ou o juiz responderá por abuso de autoridade”, disse, em seguida, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

“Ficamos surpresos com a rapidez dessa execução provisória. Eu já tinha sinalizado que ia pagar a indenização de R$ 50 mil ao ministro Alexandre de Moraes. Não tinha necessidade de bloquear o meu salário. Vou entrar com uma petição para liberar minha conta, senão fico sem poder sustentar a minha família”, lamentou Otoni de Paula.

No ano passado, o parlamentar foi condenado por xingar o ministro do STF em suas redes sociais, chamando-o de “lixo” e “esgoto”, por exemplo.

 

Crédito: Jornal O Dia

Deputado Federal Kim Kataguiri pede desculpas após fala sobre nazismo no Flow Podcast

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) pediu desculpas após sua fala sobre o nazismo no podcast “Flow”, em que tinha dito considerar que a Alemanha errou ao criminalizar a agremiação.

“Eu errei, eu disse algo que ofende a comunidade judaica. Que faz com que ela se sinta ameaçada. Eu errei e a comunidade judaica tem razão de me criticar por eu ter dito esse absurdo”.

Durante episódio na última segunda (7), o apresentador do podcast Bruno Aiub que usa o nome de Monark, afirmou que “nazista tinha que ter o partido nazista, reconhecido pela lei”. Kataguiri também participou do programa e disse, na ocasião, que foi um erro a Alemanha ter criminalizado o partido nazista.

O parlamentar pediu desculpas durante uma live com o deputado estadual Heni Ozi Cukier (Novo).

Após a repercussão do assunto, o procurador-geral da República, Augusto Aras, determinou nesta terça-feira (8) a abertura de uma investigação sobre suposto crime de apologia do nazismo praticado por Monark e por Kataguiri.

Na última quarta-feira (9), o Partido dos Trabalhadores (PT) acionou o Conselho de Ética da Câmara contra o deputado Kim Kataguiri. O partido afirma que “ao defender abertamente a descriminalização de uma doutrina que prega a disseminação de ódio e intolerância, o Deputado Federal representado se distancia de seus deveres constitucionais e deixa de ser amparado pela imunidade parlamentar material”.

O Conselho de Ética analisa representações contra deputados envolvidos em supostos atos de quebra de decoro parlamentar. As punições previstas são:

  • censura, verbal ou escrita;
  • suspensão de prerrogativas regimentais;
  • suspensão temporária do exercício do mandato;
  • perda do mandato.

Crédito: Portal g1

Dois dias antes de ser preso, Jerominho anunciou pré-candidatura para deputado federal

A prisão por extorsão a mão armada de motoristas de vans, nesta quinta-feira (27), interrompeu o sonho de Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho. Dois dias antes, ele anunciou em uma rede social que pretendia se candidatar a deputado federal pelo Patriota ainda neste ano.

Jerominho é ex-vereador e ficou mais de uma década preso ao lado do ex-deputado e irmão, Natalino Guimarães. Ambos são apontados como criadores da milícia Liga da Justiça, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. A prisão desta quinta é relativa a um crime ocorrido em 2005.

“Eu sou um homem da Zona Oeste, sou um brasileiro, sou um patriota. Tenho capacidade de lutar pela minha Zona Oeste, eu tenho capacidade de discutir os projetos de interesse pelo Rio de Janeiro. Estou filiado ao partido do Patriota e vou colocar meu nome à disposição do Patriota numa pré-candidatura a deputado federal”, afirmou na terça.

A declaração foi dada em uma rede social em que Jerominho disse ainda que tinha intenção de apoiar o atual governador Cláudio Castro, por ser um homem “bem intencionado”.

O g1 pediu um posicionamento à presidente regional do Patriota, Eliane Cunha, mas não houve resposta até a última atualização desta reportagem.

 

Governo nomeou filha de Jerominho

No final de 2020, a Polícia Federal fez uma operação que teve a família Jerominho como alvo. A investigação descobriu que a família queria ocupar postos no Executivo e no Legislativo para retomar o poder na Zona Oeste.

O RJ2 mostrou, na segunda-feira, que uma das filhas de Jerominho foi nomeada em um cargo de confiança no governo de Cláudio Castro. Hellen Patricia Guinâncio Guimarães foi escolhida como assistente na Secretaria de Agricultura, Pesca, Pecuária e Abastecimento.

Após a revelação, o governo despublicou a nomeação. A reportagem questionou de quem partiu a indicação e quem resolveu nomeá-la, mas não houve resposta.

Hellen é filha, sobrinha, irmã e ex-mulher de milicianos condenados. Seu irmão Luciano Guimarães e seu ex-marido André Malvar continuam presos até hoje, apontados como assassinos do grupo de extermínio.

No dia seguinte à publicação no Diário Oficial que tornou “sem efeito” a nomeação de sua filha, Jerominho foi às redes sociais e criticou o recuo de Cláudio Castro. Nesse mesmo vídeo, ele acabaria anunciando a intenção de se candidatar.

“É injusto tirarem minha filha porque ela é filha do Jerominho. O Rio de Janeiro vai aceitar esse tipo de injustiça, governador? Precisamos de líder e o senhor é líder. O senhor conhece minha história, lembro bem do senhor trabalhando como assessor na Câmara de Vereadores e o senhor se lembra de mim. Em alguns momentos, eu lutei a favor de indignidades que seriam cometidas contra o senhor”.

 

Crédito: g1