Filipe Toledo é nota 10 e vence etapa do Rio da WSL

Deu a lógica na final do Rio Pro, etapa brasileira da elite do mundial de surfe. Líder do ranking e garantindo nas finais na Califórnia, Filipe Toledo não deu chances ao estreante Samuel Pupo e venceu a etapa no início da tarde de ontem, terça-feira (28). O surfista ainda conseguiu uma nota 10 unânime, sua primeira na competição.

Após bater o campeão mundial e olímpico Ítalo Ferreira, Samuel Pupo foi para a final com grande expectativa. O peso de sua primeira decisão no WCT foi grande e impediu o surfista de conseguir boas notas. Do outro lado, Filipinho estava em busca de seu quarto título no Brasil e não decepcionou.

Após duas ondas inexpressivas, Filipinho aproveitou uma esquerda, mesmo sem a prioridade, e acertou um aéreo perfeito, recebendo notas 10 dos cinco juízes. Para completar, em sua onda seguinte, também uma esquerda, Filipinho encaixou três fortes batidas e impressioou os julgadores, que deram nota 8.67.

Já com gritos de campeão nas areias de Saquarema, Samuel Pupo só conseguiu uma nota digna do surfe que apresentou na competição em sua oitava onda, quando conseguiu um 8.00 em uma esquerda. Porém, na combinação, ele não teria mais tempo de superar Filipinho, que conquistou seu quarto título em etapa brasileira.

Ranking

Com a vitória, Filipe Toledo soma incríveis 40.040 pontos já com o descarte da melhor nota, disparado na liderança do ranking. Essa foi a quinta final de etapa do brasileiro, que conquistou sua segunda vitória. Ele é o único matematicamente garantido na final em Trestles, na Califórnia, onde mora, mesmo ainda restando duas etapas antes da decisão.

Já Samuel Pupo, que era somente o 17º colocado no ranking, tem chances remotas de chegar à final.

Ítalo Ferreira, que também descartou o terceiro lugar como sua melhor nota, segue entre os que se classificam para a final do tour.

 

Crédito: www.tribunadonorte.com.br

Campeonato de Surfe: mar de Itaúna não melhora, e Rio Pro é adiado pelo 2º dia seguido

A WSL (Liga Mundial de Surfe) decretou lay day (dia sem competição) no Rio Pro pela segunda vez seguida. Com isso a próxima chamada em Saquarema será nesta segunda-feira às 7h15 com a possibilidade de as baterias começarem às 7h35. O evento foi paralisado na sexta-feira após a conclusão das quartas de final feminina no fim da tarde. No masculino, as baterias foram até o round 3.

Com a chegada de um vento sudoeste no sábado, o campeonato precisou ser interrompido. Neste domingo, o dia ainda amanheceu bastante chuvoso. A janela do Rio Pro vai até quinta-feira.

A tendência é que o evento retorne com as oitavas de final masculina. Oito surfistas brasileiros estão na disputa do título, dentre eles o líder do ranking Filipe Toledo, que enfrenta o peruano Miguel Tudela na bateria 5.

Dono do único 10.00 do Rio Pro 2022 até aqui, Caio Ibelli enfrenta Miguel Pupo na bateria 2. Outro confronto brasileiro é entre o campeão olímpico Italo Ferreira e Michael Rodrigues na bateria 3. Os demais brazucas que estão na disputa são Mateus Herdy, Miguel Pupo e Yago Dora.

No feminino, Tatiana Weston-Webb garantiu a vaga na semifinal na última bateria de sexta-feira. A brasileira enfrenta a líder do ranking Carissa Moore por uma vaga na decisão. Quem passar do confronto pega a vencedora de Johanne Defay x Gabriela Bryan.

Oitavas de final masculina

1. Jack Robinson (AUS) x Mateus Herdy (BRA)
2. Caio Ibelli (BRA) x Samuel Pupo (BRA)
3. Italo Ferreira (BRA) x Michael Rodrigues (BRA)
4. Miguel Pupo (BRA) x Nat Young (EUA)
5. Filipe Toledo (BRA) x Miguel Tudela (PER)
6. Connor O’Leary (AUS) x Matthew McGillivray (AFS)
7. Ethan Ewing (AUS) x Yago Dora (BRA)
8. Callum Robson (AUS) x Jackson Baker (AUS)

Semifinal feminina

1. Johanne Defay (FRA) x Gabriela Bryan (HAV)
2. Carissa Moore (HAV) x Tatiana Weston-Webb (BRA)

Crédito: ge.globo.com

Saquarema recebe a partir do dia 23 etapa do Campeonato Mundial de Surfe

Entre os dias 23 a 30 de junho, Saquarema será palco de mais uma etapa do Campeonato Mundial de Surfe. A Liga Mundial de Surfe (WSL) divulgou na última segunda-feira (20) quem serão os surfistas convidados e substitutos da etapa de Saquarema que tem início da janela nesta quinta-feira e vai até o dia 30 de junho. Destaque para a presença de Yago Dora que substitui Kelly Slater contundido. Além dele completam a lista brasileira João Chianca, o Chumbinho, e Michael Rodrigues. O evento no Brasil é o oitavo da temporada.

Yago Dora retorna ao palco que o colocou em outro patamar do surfe mundial. Foi em Saquarema no ano de 2017 que ele ficou conhecido como “Estragodora”. Na ocasião, derrotou três campeões mundiais e acabou eliminado nas semifinais por Adriano de Souza. O paranaense radicado em Santa Catarina ocupa a vaga do onze vezes campeão mundial pois também vem de uma lesão na primeira fase da temporada, uma ruptura nos ligamentos do tornozelo esquerdo.

Na etapa última etapa do WQS, segunda divisão da liga, realizada em Saquarema no ano de 2021, Yago Dora foi o campeão e fez final justamente com João Chianca. Chumbinho iniciou a temporada 2022 na elite, mas não conseguiu se manter na linha de corte para a reta final. Dessa vez, ele ganha a oportunidade de retornar ao Circuito como convidado da casa, já que é nascido e criado em Saquarema.

Michael Rodrigues também substituirá um surfista lesionado. Trata-se de outro campeão mundial: John John Florence. Michael ocupa a vaga por ser o brasileiro mais bem colocado no ranking 2022 do WSL Challenger Series. O também havaiano Seth Moniz, é outro que segue se recuperando de contusão e será substituído pelo peruano Miguel Tudela, atual líder do ranking regional da WSL Latin America, mesmo critério utilizado para convidar a peruana Sol Aguirre.

Ao todo serão dez brasileiros participando no masculino e Tati Weston-Webb no feminino. Confira abaixo todos os surfistas relacionados e como ficaram as baterias da primeira fase.

Confira Round 1

Masculino

  1. Italo Ferreira (BRA) x Kolohe Andrino (EUA) x Yago Dora (BRA)
  2. Griffin Colapinto (EUA) x Matthew McGillivray (AFS) x João Chianca (BRA)
  3. Jack Robinson (AUS) x Jake Marshall (EUA) x Michael Rodrigues (BRA)
  4. Filipe Toledo (BRA) x Samuel Pupo (BRA) x Miguel Tudela (PER)
  5. Kanoa Igarashi (JAP) x Connor O’Leary (AUS) x Gabriel Medina (BRA)
  6. Ethan Ewing (AUS) x Jordy Smith (AFS) x Jackson Baker (AUS)
  7. Callum Robson (AUS) x Caio Ibelli (BRA) x Jadson Andre (BRA)
  8. Barron Mamiya (HAV) x Miguel Pupo (BRA) x Nat Young (EUA)

Feminino

  1. Brisa Hennessy (CRC) x Lakey Peterson (EUA), Tatiana Weston-Webb (BRA)
  2. Carissa Moore (HAV) x Courtney Colongue (EUA) x Sol Aguirre (PER)
  3. Johanne Defay (FRA) x Isabella Nichols (AUS) x Caroline Marks (EUA)
  4. Stephanie Gilmore (AUS) x Tyler Wright (AUS) x Gabriela Bryan (HAV)

 

Crédito: ge.globo.com

Foto: Douglas Silva

Itacoatiara, em Niterói, pode ter registrado a maior onda já surfada no Brasil

O surfista Gabriel Sampaio aproveitou, e muito bem, o swell que entrou na manhã de ontem, quinta-feira (19), no litoral de Niterói e pode ter batido o recorde da maior onda já surfada no Brasil, segundo fotógrafos e surfistas que estiveram na Praia de Itacoatiara.

Apesar das condições adversas, o surfista desceu numa “bomba” de aproximadamente seis metros, segundo foi reportado no local. Para comparação a maior onda surfada registrada no Brasil até o momento foi em 2019, na praia da Costa (ES), entre 5m e 6m de altura.

Ano passado, no último swell, em abril, ocorreu uma onda rara e poderosa, também no quintal de Niterói, na Laje da Besta. O fenômeno que acontece na Baía de Guanabara, desperta de tempos em tempos no Rio de Janeiro com ondas de aproximadamente 4 metros na entrada da Baia, entre o Pão de Açúcar e Niterói. Ou seja, o feito de Gabriel Sampaio no Shock em Itacoatiara conseguiu ser maior.

Nas primeiras horas da manhã, os salva-vidas da praia disseram à reportagem que o swell entrou com ondas de aproximadamente três metros. Porém, a tempestade subtropical Yakekan (que significa som do céu) afastou os surfistas. Isso aconteceu por causa do vento de Sul atingiu a praia e prejudicou a formação das ondas.

Não havia nenhum surfista no Costão ou no Pampo. Somente no Shock, atrás da Prainha, onde as ondas foram surfadas de tow-in, quando o surfista é puxado para onde por um Jet-Ski.

Apesar das ondas no local apresentarem os perigosos tubos de costume, o mar mexido por causa dos ventos prejudicou a performance dos surfistas.

 

Crédito: Jornal A Tribuna

Foto: Tony D’Andrea/ ItacoatiaraBigWave

Saquarema Surf Festival agitará praia de Itaúna de 15 à 21 de novembro

A “tempestade brasileira” que vem tomando conta do surfe mundial nos últimos anos está de malas prontas para voltar para casa. O Saquarema Surf Festival desembarca em Saquarema entre os dias 15 e 21 de novembro. O evento, que marca a retomada das competições de surfe no país, é uma realização da 213 Sports, empresa do grupo V3A, em parceria com a World Surf League (WSL), é apresentado pela Prefeitura de Saquarema, com os patrocínios de Quiksilver, ROXY, 51 Ice e apoios de Orthopride e Stanley Brasil.

“Nos inspiramos no Festival de Saquarema de 1976, que deu destaque para Saquarema em todo Brasil e colocou a cidade no destino de todos os surfistas brasileiros. O Saquarema Surf Festival irá celebrar o surfe através do estilo de vida e esporte”, afirma Pedro Dau Mesquita, sócio e diretor comercial da 213 Sports.

O Saquarema Surf Festival reunirá três campeonatos, o Quiksilver|ROXY Pro com etapas do Qualifying Series valendo 3.000 pontos na corrida pelo acesso regional para o WSL Challenger Series, da categoria Pro Junior Sub 20, fomentando a base do esporte, e do Longboard Pro. Será um evento totalmente igualitário, um dos pilares incentivados pela WSL, uma vez que as três competições terão premiações de mesmo valor para homens e mulheres. O evento será realizado em memória do surfista Leo Neves, um dos expoentes do esporte no país, morador e ídolo da cidade, que faleceu em 2019, durante a disputa de um campeonato na mesma praia de Itaúna, onde acontecerá o evento.

“É com grande alegria e satisfação que retornaremos a Saquarema, com um novo evento na Capital Nacional do Surfe”, disse o CEO da WSL Latin America, Ivan Martinho. “Agora temos uma nova data no calendário esportivo da cidade, para se juntar ao Oi Rio Pro que voltará a ser realizado em 2022. O Saquarema Surf Festival terá competições importantes do WSL Qualifying Series e seletivas sul-americanas para o Mundial Pro Junior e de Longboard, todas para homens e mulheres competirem. Certamente, será uma semana intensa na Praia de Itaúna e antecipadamente parabenizamos nossa licenciada para realizar o evento, 213 Sports, bem como todos os patrocinadores, especialmente a Prefeitura de Saquarema, sempre comprometida e incentivando nosso esporte”.

Ídolos do esporte têm presença confirmada: Adriano de Souza, campeão mundial de surfe, Silvana Lima e Phil Rajzman, bicampeão campeão mundial de Longboard.

As competições terão participação de ídolos do esporte como o campeão mundial Adriano de Souza, Silvana Lima, Phil Rajzman, bicampeão mundial de longboard. Além de revelações que já inspiram a nova geração, como Lucas Vicente, campeão mundial Pro Junior 2019, Sophia Medina e Tainá Hinckel. Além de idolos locais como Lucas Chumbo e Raoni Monteiro.

Com tantos atrativos, o Saquarema Surf Festival promete ser o palco ideal para viver a experiência, não apenas da retomada do surfe no país, mas também do lifestyle do esporte que não para de crescer no Brasil, atraindo cada vez mais investimentos, fãs e atenção do mercado.

“Estamos muito felizes com a volta das etapas mundiais de surfe no Brasil depois de períodos difíceis com tantas restrições necessárias. Reconhecemos a importância deste evento para o segmento e para o momento do surfe no país. E para a Quiksilver e Roxy, fazer parte disso é um privilégio. A retomada da Quiksilver no core surf hoje é o nosso foco e não poderia ser diferente, este é o início de um plano de ação para estas duas grandes marcas, e esperamos anunciar mais novidades em breve”, afirma Tatiana Rovella, marketing manager da Quiksilver e Roxy no Brasil.

Surfe movimenta a economia local e gera impacto milionário na cidade

Considerada a Capital Nacional do Surfe, Saquarema tem na Praia de Itaúna o principal palco do esporte no país. Sede da etapa brasileira do WSL Championship Tour, em 2019 a cidade teve impacto positivo de R$ 15 milhões na economia do município, principalmente nos segmentos ligados à atividade turística. Devido à pandemia de Covid-19, a elite mundial do surfe não esteve em Saquarema em 2020 e 2021. Agora, a expectativa é que o Saquarema Surf Festival reabra o caminho para os fãs de surfe até a cidade.

Segundo a prefeita de Saquarema, Manoela Peres, “a realização do Saquarema Surf Festival é um marco importante para a retomada do nosso calendário esportivo. Estamos trabalhando para recepcionar todos os turistas e apaixonados pelo surf da melhor forma possível, tudo com muita segurança e seguindo todos os protocolos sanitários em vigor”.

O Saquarema Surf Festival também marcará a inauguração do Centro de Treinamento de Surf, um projeto da Prefeitura de Saquarema dedicado a atender gratuitamente atletas amadores ou profissionais com idade entre 10 e 20 anos.  A iniciativa pretende valorizar o talento dos jovens surfistas locais, possibilitando acesso a treinamento especializado visando desenvolver suas potencialidades para atingir o mais alto nível do surfe.

O Centro de Treinamento está localizado na praia de Itaúna, palco da etapa brasileira do WSL Championship Tour desde 2017. A nova estrutura é um equipamento multidisciplinar. Serão ofertadas vagas para alunos em vulnerabilidade social que receberão, além dos treinamentos específicos, alimentação, aulas de inglês, acompanhamento clínico, fisioterápico, psicológico, nutricional e assistência social.

 

Crédito: Secretaria de Comunicação de Saquarema