Às vésperas do Carnaval, Ministério Público pede interdição de Sambódromo

às

A pouco mais de um dia para o início oficial do Carnaval de 2019, neste sábado (2), o Ministério Público do Rio de Janeiro pediu a interdição do Sambódromo da Marquês de Sapucaí, local onde são realizados os desfiles das escolas de samba do Carnaval carioca. O órgão justificou o pedido com a falta de garantia da segurança para o público, já que o local não possui alvará dos Bombeiros. De acordo com a 6ª Promotoria de Justiça, o espaço já está interditado preventivamente, sendo liberado somente mediante uma autorização especial.

“Em se tratando de local frequentado pelo grande público deve, obrigatoriamente, observar o Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Estado, que fixa os requisitos exigíveis nas edificações e no exercício de atividades, estabelecendo normas de segurança contra incêndio e pânico”, diz o Ministério Público, afirmando que a estrutura do Sambódromo oferece risco à vida e à integridade física dos visitantes e também dos integrantes das escolas de samba. As arquibancadas da passarela possuem vãos na estrutura, além de buracos e vergalhões que estão expostos.

O Ministério Público exige da Riotur e da Liga das Escolas de Samba (Liesa) a assinatura de um termo de responsabilidade que garanta as condições de segurança exigidas para a liberação do espaço. O Corpo de Bombeiros, a Riotur e a Liesa ainda não se pronunciaram sobre a decisão.

Veja também

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias